Seculo

 

Câmara rejeita projetos que proíbem nomeação de doadores de campanha


13/06/2018 às 19:38
A Câmara de Vitória rejeitou, por oito votos a um, projetos do vereador Roberto Martins (PTB) que proíbem a nomeação pela Prefeitura e Câmara de cargos comissionados e função gratificada de doadores de campanha eleitoral no município.  
 
Se aprovados, o PL241/2017 e PR29/2017 impediriam a nomeação para cargo político, cargo comissionado e função gratificada de pessoas que tenham efetuado doação financeira ou bem estimável em dinheiro para a campanha eleitoral da autoridade nomeante, por quatro anos, contados a partir da data de doação.
 
O autor das propostas argumenta que o objetivo é possibilitar um reforço à democracia, sem depender de sustentação do poder econômico. “É importante estarmos vigilantes para evitar o risco de prática de caixa dois, já que os doadores poderiam justificar tais doações" destaca Martins.
 
Os dois projetos são resultantes de outras iniciativas, uma delas apresentado pelo vereador de Nova Venécia, Antônio Emílio (PPS), aprovado pela Câmara de Vereadores. Roberto Martins lembrou essa proposta, em argumento ao vereador Fabrício Gandini (PPS), um dos que votaram contra a matéria. 
 
As regras para doações de campanha foram alteradas em 2017, com a reforma eleitoral. A partir desta eleição, fica proibido o financiamento das campanhas por empresas e o valor do limite de gastos foi fixado e diminuído. Somente pessoas físicas podem fazer doações, com um nível de exigência mais abrangente, a fim de evitar fraudes. 
 
Os projetos de Roberto Martins foram considerados inconstitucionais por cinco votos a quatro e o mérito foi rejeitado por oito votos a um. Com a decisão, o executivo municipal fica livre para preencher cargos públicos com doadores de campanha, ampliando mais brecha na reforma eleitoral. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Cara e crachá

Uns publicaram vídeos e notas nas redes sociais, outros só notas, outros nada. Mas a CPI da Lava Jato continua na conta dos deputados arrependidos

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Gustavo Bastos
Conto surrealista
''virei pasta para entrar mais fácil na pintura de Dalí''
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

‘Lutava contra um sistema podre e falido com os braços amarrados. Agora estou livre’

Visita de interlocutores de Hartung a Rodrigo Maia sinaliza mudança de cenário

Juiz Leopoldo mais próximo de ir a Júri Popular por assassinato de Alexandre Martins

Hartung, o suspense

Contrato do governo do Estado com a Cetesb sobre poluição do ar continua sigiloso