Seculo

 

Vale é multada em R$ 3 milhões por poluição no Porto de Tubarão


10/07/2018 às 11:43
O Conselho Regional de Meio Ambiente na Grande Vitória (Conrema V) decidiu, em reunião realizada nessa segunda-feira (9), manter o Auto de Multa aplicado à Vale pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), em fevereiro de 2016, no valor de R$ 3 milhões.

A multa, segundo o parecer da Câmara Técnica Recursal e de Assuntos Jurídicos (CT ASSJUR) do Conrema V, é referente à “queda de carvão, minério de ferro e fertilizantes no ambiente decorrente da ineficácia da rotina operacional do carregamento e descarregamento no Porto de Tubarão, apresentando dispersão do material que atingiu o mar, o ar e consequentemente o meio antrópico” – crime que já foi alvo da operação da Polícia Federal que interditou o Porto de Tubarão durante cinco dias do mês de janeiro de 2016, e de aplicação de multas por parte da Prefeitura de Vitória.

No parecer, o relator, Emmanuel Bersan Pinheiro, representante da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama), menciona o relato dos agentes do Iema, dando conta de que, “durante a vistoria, as atividades no píer foram reduzidas ou interrompidas, mesmo havendo navio atracado, caracterização essa que entendeu a Assessoria Jurídica do Iema como uma tentativa de burlar a fiscalização. Além disso, conforme descrito no relatório de vistoria, a situação de negligência que resultou na queda de resíduos no mar e sua dispersão no ar, não ocorreu de forma isolada, mas está incorporada à rotina operacional da empresa”.

O documento ressalta ainda que, “caso a Vale estivesse adotando todas as medidas de controle possíveis, não haveria as citadas constatações, um exemplo disso foi que após a solicitação de interrupção dos trabalhos no Terminal de Grãos e Fertilizantes, houve a substituição da borracha de vedação”.

Durante a votação no Conrema V, nessa segunda (9), houve apenas três votos contrários, dois deles vindos dos conselheiros da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Rubem Antônio Piumbini (Findes Mineral) e Daniela Menezes de Lima (Findes Industrial), que chegou a apresentar um parecer com pedido de nulidade do processo.

À decisão do Conrema V não cabem mais recursos na esfera administrativa, pois a Vale já recorreu por duas vezes, sendo ambos os pedidos negados.

O valor de R$ 3 milhões é resultado de um ajuste feito em dezembro de 2017, visando corrigir um equívoco de interpretação da normativa legal que embasou o Auto de Multa – o inciso I do Art. 7º da Lei nº 7085/2002 – que havia valorado o Auto, inicialmente, em R$ 6 milhões. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Devoção' cega

Enquanto lideranças partidárias ecoam o ‘Volta Hartung’, o próprio lava as mãos e deixa seu exército fiel em apuros nas eleições deste ano

OPINIÃO
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Geraldo Hasse
Notícias do fundo do poço
Se não ceder às pressões externas, a Petrobras pode voltar a liderar a economia
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Último desejo
MAIS LIDAS

Ministério Público investiga suspeita de cartel em licitações da Secretaria de Agricultura

Amancio, um cantador da capoeira

Vagas no Senado viram a grande disputa deste ano no Espírito Santo

'Devoção' cega

A quadrilha democrática da Rua Sete