Seculo

 

Ex-diretoria do Conselho de Técnicos em Radiologia é considerada ré por improbidade


10/07/2018 às 17:36
A Justiça Federal acatou denúncia do Ministério Público Federal (MPF) tornando réus todos os ex-diretores do Conselho Regional de Técnicos em Radiologia do Espírito Santo – 13ª região (CRTR-ES) nas gestões anteriores ao ano de 2014. Eles respondem pelo crime de improbidade administrativa, sendo acusados pela Promotoria pelo desvio de R$ R$ 228,6 mil da entidade para interesses particulares entre 2009 e 2011. Os desvios teriam sido feito por meio de pagamento de diárias e verbas de representação fraudadas. 
 
Além disso, outros dois processos também tramitam na Justiça Federal. Um deles pede que os ex-diretores façam a reparação de R$ 400 mil aos cofres da entidade por danos materiais, uma vez que deixaram de cobrar anuidades dos associados, causando um rombo nas contas. Por fim, o ex-presidente Joaquim Faria também responde por ação criminal por peculato. 
 
“Mesmo conhecendo os comandos legais da Resolução do Conter Nº 13/2005 [Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia], que regem o pagamento relativo a diárias, ajuda de custo e verbas de representação, eles mesmos liberaram à seu favor e receberam essas verbas indevidamente e de forma irregular; enriquecendo ilicitamente e causando prejuízo ao erário público. Desta forma, agindo de má-fé, os réus atuaram de forma desleal com a administração pública e violaram diversos comandos constitucionais e legais, especialmente o princípio da legalidade e o da moralidade...”, diz trecho da denúncia do MPF acatada pela Justiça Federal.
 
As irregularidades teriam ocorrido entre os anos de 2009 a 2011, quando Joaquim Marques Faria ocupava o cargo de diretor-presidente; Márcia Lúcia Ferreira dos Santos atuava como diretora-tesoureira; e José Menezes como diretor-secretário. Além deles, outros ex-diretores também foram denunciados e são réus do processo.

De acordo com levantamentos, no ano de 2009, foram R$ 76,1 mil de desvios; em 2010, R$ 89,9 mil; em 2010, R$ 89,1; em 2011, R$ 72,7, totalizando R$ 228,6 mil em todo o período.
 
O presidente do Conselho Regional de Técnicos em Radiologia do Espírito Santo – 13ª região, Sérgio Ricardo Coutinho Rangel, explica que o grupo denunciado estava há mais de 20 anos à frente da entidade, perdendo para a oposição no ano de 2013. “Logo que assumimos, iniciamos uma auditoria onde identificamos as diversas irregularidades, que foram denunciadas ao Ministério Público. Com toda investigação e denúncias, a entidade passou a ter mais credibilidade diante da categoria”, disse. 
 
Advogada condenada
Em outro processo, a Justiça Federal já condenou a ex-advogada do Conselho, Maristela Pereira Guasti. Ré confessa, Maristela foi condenada por estelionato pelo desvio de R$ 21,1 mil referentes a custas processuais no ano de 2013, dinheiro utilizado no pagamento de despesas pessoais. 
 
A advogada foi condenada a dois anos de reclusão em regime aberto e pagamento de multa. A decisão é do juiz federal Yuri Inanov dos Santos Farina, de dezembro de 2016.  

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Devoção' cega

Enquanto lideranças partidárias ecoam o ‘Volta Hartung’, o próprio lava as mãos e deixa seu exército fiel em apuros nas eleições deste ano

OPINIÃO
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Geraldo Hasse
Notícias do fundo do poço
Se não ceder às pressões externas, a Petrobras pode voltar a liderar a economia
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Último desejo
MAIS LIDAS

Ministério Público investiga suspeita de cartel em licitações da Secretaria de Agricultura

Amancio, um cantador da capoeira

Vagas no Senado viram a grande disputa deste ano no Espírito Santo

'Devoção' cega

A quadrilha democrática da Rua Sete