“Sono buona gente, ma tutti ladri”

Roberto Junquilho

O cenário no País é de caos, de bagunça generalizada em todos os setores da vida nacional. A população sente o reflexo direto dos desmandos praticados pela classe política, com o manto de um poder Judiciário apático e conivente e o estímulo da mídia familiar elitista que comanda o barco segundo os seus interesses. O governo de Michel Temer não tem mais sustentação do ponto de vista ético e de gestão, em decorrência dos números da economia, das acusações de corrupção entre seus ministros, em especial o ato vergonhoso de Geddel Vieira Lima, seu principal articular político. Está na hora da renúncia.

A pressão da sociedade cresce e os jovens se destacam nos protestos, principalmente contra a PEC 55, e aqui e acolá ocorrem atos contrários às ações nocivas promovidas pelos usurpadores do poder. Mas isso ocorre de forma isolada, na medida em que cada facção partidária da esquerda quer a parte maior do bolo, e, assim, não obtém a força necessária para que possam ser olhados como uma movimentação de massa capaz de mudar a situação. Leia mais

As farmácias, o vicioso círculo lucrativo das doenças

Roberto Junquilho

No local onde funcionava a Calçados Itapuã, fechada há poucos meses, em frente ao Centro da Praia, será inaugurada nos próximos dias mais uma grande farmácia, totalizando nove estabelecimentos desse tipo em um raio de cerca de 300 metros na região da Reta da Penha. Talvez você esteja pensando, como muitos, que a nova loja é sinal de que a população amplia a cada dia sua comodidade, tendo o acesso aos medicamentos facilitado.

Pode ser, mas há outro fator bem mais preocupante: a medicalização da sociedade, como demonstra o crescimento fora do comum dos números do setor farmacêutico. O poderio de corporações transnacionais cujo objetivo é, unicamente, vender mais e não, necessariamente, curar enfermidades, monta um cenário que cobre, principalmente, os países emergentes, como o Brasil. Leia mais