Stonewall – O início do ativismo LGBT

stonewall-poster-cropRoland Emmerich, que dirigiu Independence Day e O Dia Depois de amanhã é produtor de Stonewall, um longa-metragem sobre os tumultos em Nova Iorque, em 1969, que marcou o início do ativismo homossexual.

 Se ele nunca tem dificuldade em encontrar financiamento de várias centenas de milhares de dólares para um filme-catástrofe, Roland Emmerich teve de bater em muitas portas para levantar fundos para produzir  um filme na rebelião do bar  Stonewall, no village em Nova Yorque. “Foi uma batalha difícil, mas finalmente chegamos lá”, disse, em entrevista a um canal de TV americano.

 Na década de 1960, gays e lésbicas não são considerados como pessoas completas, gozando dos mesmos direitos que os heterossexuais e transexuais, travestis, etc. são ainda menos bem-vistos. Alguns bares abertamente membros da comunidade gay eram o único refugio e incursões da polícia nesses locais são extremamente comuns. No bairro de Greenwich Village, em Nova York, o Stonewall Inn, um bar de propriedade da Máfia, é um desses poucos refugios.  Mas, nas primeiras horas da manhã de 28 de junho de 1969, as autoridades policiais de Nova York ordenaram uma batida no local, fato comum mas que já há muito tempo vinha provocando a ira dos frequentadores. Espontaneamente, o conflito eclodiu, gays e lésbicas se recusaram a ser submetido a esse tipo de assédio.

 Momento pivô da luta pelos direitos dos homossexuais, os motins de Stonewall deu à luz o primeiro de grupos de activismo, Os primeiros compassos abertamente homossexuais. Não é por acaso que a primeira parada do orgulho gay foi realizada na Big Apple no ano seguinte.

 O filme Stonewall, de Roland Emmerich, que estreiou dia 25 de setembro nos Estados Unidos, tornou-se alvo de uma campanha de boicote. Segundo o site Hollywood Reporter, ativistas LGBT norte-americanos acusam o diretor de deixar de escanteio importantes figuras históricas negras, latinas e trans, para centralizar a narrativa num personagem fictício, gay, mas idealizado como um herói americano cis (ma pessoa cis é aquela que politicamente mantém um status de privilégio em detrimentos das pessoas trans*, dentro da cisnorma. Ou seja, ela é politicamente vista como “alinhada” dentro de seu corpo e de seu gênero.) e branco.

stonewall-poster-colorido

O trailer do filme, lançado recentemente, mostra um jovem chamado Danny (Jeremy Irvine) que, depois de ser expulso de sua casa no interior dos EUA, vai para Nova York e acaba liderando o confronto contra os policiais na porta do pub Stonewall, seguido por outros homens em sua massacrante maioria brancos e cis. 

Pelo que se vê dessa prévia, há uma drag queen latina (que vai levar um pé na bunda do herói) e um gay negro. Os fatos históricos pintam um retrato bem diferente: o Stonewall Inn era um ponto de encontro popular para clientes de todas as etnias, orientações sexuais e identidades de gênero – entre elas pessoas negras e transgênero como Sylvia Rivera e Marsha P Johnson, que se tornaram figuras importantes do ativismo LGBT depois da revolta.

Uma petição online pedindo o boicote de Stonewall já conta com quase 22 mil assinaturas. Outra, reclamando do teor revisionista do filme, acumulou quase 500. “Hollywood tem uma longa história de higienização e construção de narrativas com Salvadores Brancos, mas isso já é demais”, explica a petição. “Um filme historicamente correto sobre as revoltas de Stonewall se concentraria nas histórias de pessoas não-caucasianas queer e fora da conformidade de gênero como Sylvia Rivera e Marsha P johnson. Não as relegue a figuras de fundo a serviço de um protagonista fictício branco, cis e homem.”

Figuras históricas importantes ficaram de fora do roteiro de Stonewall,denunciou o site Gaily Grind: Stormé DeLarverie, a lésbica caminhoneira que deu o primeiro soco nos policiais, desencadeando o confronto, não consta na lista de personagens do filme. Tampouco aparece nessa lista a ativista bissexual Brenda Howard, que organizou a primeira Parada do Orgulho LGBT, um ano após o embate em frente ao inn.

Jon Robin Baitz, co-roteirista do filme, escreveu em sua página no Facebook que a campanha de marketing do filme não representa a mistura étnica que o longa apresentará. “Eu entendo as pessoas que estão revoltadas por causa de um filme que ainda não viram, e peço que abram seus corações e permitam que o filme seja julgado com base em seus próprios méritos, não pelas exigências de um departamento de marketing, porque o marketing sstonewall-440x297e apoia completamente no medo, enquanto a arte se apoia na ira, na esperança e no fogo. O cinema americano fica num meio-termo – oscilando nervosamente entre o comércio e algo maior, e tropeçando o tempo todo.”

Emmerich também foi ao Facebook defender sua obra: “eu compreendo que, depois do trailer ter sido lançado, haja preocupações sobre como é retratado o envolvimento de Danny, mas quando esse filme – que é um verdadeiro trabalho de amor para mim – finalmente chegar aos cinemas, o público verá que ele honra profundamente os ativistas que estavam lá na vida real.”

Pesquisa feita em várias fontes.

Preservativos que mudam de cor na presença de uma infecção.

tumblr_nkte0lY5EH1s2wio8o1_500Três adolescentes britânicos desenvolveram conservantes inteligentes que mudam de cor após o sexo, se eles têm estado em contacto com bactérias.Estes jovens não são totalmente inocentes e isso é uma coisa boa.

Somente 13 e 14 anos, Daanyaal Ali Muaz e Chirag Shah Nawaz, três estudantes britânicos da Academia Newton Isaac em Ilford, em Essex, desenvolveram um preservativo “camaleão” que pode detectar a presença de DSTs depois sexo.

O “Steye” (O olho ST, jogo de palavras com a pronúncia Inglês de STI: as infecções sexualmente transmissíveis) é projetado para detectar sem dor ou intervenção médica invasiva, como infecções sexuais clamídia e sífilis.

Sua invenção foi atribuído a “saúde” da TeenTech Awards. Este concurso está aberto a estudantes do Reino Unido 11-18 anos de idade, invenções simples com grande recompensa, destinados a simplificar e melhorar a saúde de jovens e adolescentes.

O preservativo “Steye” é revestida na sua face exterior por moleculas, que, em contacto com o parceiro, mudam de cor quando entram em contato com uma bactéria ou infecção.

O preservativo fica verde para clamídia, herpes amarelo, roxo para o papilomavírus humano (HPV) e azul para a sífilis.

“Criamos o “ST Olho” para melhorar o tratamento das DSTs nas gerações futuras”, explicou Daanyaal Ali, um dos três inventores. Com sua descoberta, os três adolescentes ganharam um convite para o Palácio de Buckingham, onde receberão um bônus de 1.tumblr_m87jfoMv0x1qzlc6io1_500000 libras, cerca de 1400 euros.

O preservativo “Steye” está por enquanto em fase de protótipo, mas a ideia vai ser  ser industrializada num futuro próximo. O Site TeenTech especifica que três estudantes já foram abordados por um fabricante de preservativos.

Li essa matéria no site da steye e não ressiti. Traduzi e trago essa boa noticia aqui no blog. Tenho certeza que isso vai contribuir e muito no dombate das DSTs

Fanzine A Mosca #06

banner

 

Imagen-animada-Mosca-17

vocesabia

A fim de relatar o comportamento homossexual nos outros animais, o Museu de História Natural de Oslo, na Noruega, apresentou em 2006 a primeira exposição dedicada a “animais gays”, que foi chamada de “Against Nature?“, exibindo cerca de 500 espécies que existem relatos de comportamento homossexual de um universo de 1.500 relatos, desde mamíferos e insetos atécrustáceos. Nos pássaros australianos Galahs (Roseate Cockatoo), por exemplo, cerca de 44% dos pares são formados por indivíduos do mesmo sexo. Além desses, há registros bem mais antigos, como os de Aristóteles, que fez menção a hienas lésbicas. Em entrevista à Revista da Folha, o coordenador da mostra, Geir Söli, disse que “a ideia surgiu depois de analisarmos o livro do biólogo Bruce Bagemihl, ‘Biological Exuberance: Animal Homosexuality and Natural Diversity’, no qual ele descreve cientificamente a homossexualidade de muitas espécies animais. Acreditamos que essa seja uma forma de contribuir socialmente para a discussão de um tema que ainda causa tanta polêmica”.

tumblr_mx94y3daS11sil9tao1_500

298410566

babou

wgig8eidorh8qtvuemyh-600x900

thumb-33440181208-memes-2013-resized

298410566

Um casal gay adotou uma criança logo após o reconhecimento da união gay pelo STF.

Durante o banho o ingênuo garoto fala pro pai:

— Puxa papi! Que pipi grande que o senhor tem!

O pai com um brilho nos olhos, comenta:

— É que você não viu o da mamãe!

298410566

escrever

Na manhã do meu primeiro dia de trabalho senti uma ansiedade tão grande que o meu estômago chegava a doer, devido a duas coisas: primeiramente, eu nunca havia trabalhado antes e não sabia que tipo de trabalho me esperava, e, em segundo lugar, tinha que falar com Bernardo sobre o que acontecera no dia anterior.

Bernardo foi ao meu quarto me chamar por volta das 6 da manhã, mas não comentou nada sobre o acontecido, apenas me disse que iria me esperar na sala para irmos trabalhar. Antes de descer, tomei um banho rápido e vesti algumas roupas limpas. Quando desci estava decidido em lhe dizer que sentia algo muito forte por ele desde que o havia encontrado pela primeira vez, mas foi um pouco diferente do que havia planejado, pois quando cheguei à sala Bernardo se adiantou em falar.

– Felipe, eu queria me desculpar pelo que ocorreu ontem!
– Bernardo, não…
– Me deixa terminar. Escuta, eu passei dos limites e te desrespeitei, mas eu quero que saibas que eu usualmente não ajo dessa maneira, então apreciaria muito se pudéssemos continuar sendo amigos. Eu prometo nunca mais nem tocar neste assunto.
– Bernardo…
– Bom, acho que nós podemos ir trabalhar agora que tudo está esclarecido. Certo?
– Certo. Vamos.

Eu ensaiei tudo o que deveria dizer naquele dia durante muito tempo, mas quando Bernardo começou a falar eu simplesmente não consegui elaborar qualquer frase que fizesse sentido ou mesmo fazer alguma coisa além de assentir com o que ele estava dizendo, então, infelizmente, saímos para trabalhar sem que eu pudesse me declarar para ele.
Um Conto Medieval

Por:Kalil Ribeiro

298410566

tumblr_nlzxsufV1o1sjyue7o1_400

298410566

E hoje estou tão eufórico 
Com mil pedaços biônicos
Ontem eu era católico
Ai, hoje eu sou um gay!

Mamonas assasinas – O Robocop Gay

298410566

EM PALPOS DE ARANHASpider10389466_700606033329120_4995389667537315788_n298410566

gifs_diversos_12-2

298410566

298410566

298410566

TUBARAO

 CLODOVIL

clodovil-cnita-liga-436Clodovil Hernandes nasceu em Elisiário, no interior do estado de São Paulo. Era filho adotivo de Domingo Hernández e Isabel Sánchez, um casal de imigrantes espanhóis naturais da região da Andaluzia. Logo após seu nascimento, a família se mudou para Floreal, onde Domingo Hernández se tornou dono de uma loja de tecidos. Clodovil descobriu que não era filho biológico de seus pais adotivos aos onze anos de idade, quando uma tia lhe contou. Segundo ele próprio, a adoção nunca foi um problema, e seus pais morreram sem saber que ele sabia. Ele também jamais soube quem foram seus pais biológicos.

Clodovil sempre teve um relacionamento mais próximo com sua mãe, que foi “a única mulher que amou em sua vida”. Segundo Clodovil, a mãe não lhe quis quando chegou, porque não queria aquela “coisa feia”. Felizmente, porém, Isabel aprendeu a amá-lo com o convívio. Clodovil diz que, apesar de nunca ter gostado muito do pai, sempre o respeitou; certo dia, quando lhe respondeu de maneira atravessada, levou um forte tapa na orelha que lhe deixou com um problema de audição. Aos treze anos, Clodovil viu seu pai tendo relações sexuais com outro homem, um cunhado. Clodovil diz que nunca tocou no assunto com o pai, o qual morreu sem saber que ele vira a cena. Por causa desse episódio, Clodovil disse que “deveu o norte de sua vida” a seu pai.

298410566

POR HOJE CHEGA!

ATÉ SEGUNDA.

fanzine_4 Sem título-2

beijo gay

ventro semajno 3 - 2015

298410566

Participe Você também

Reconhecimento do sexo não especificado em documentos

      Desde o momento em que nascemos somos automaticamente designados à um gênero binário (masculino ou feminino) baseado na genitália que possuímos. Porém algo que muitas pessoas não sabem é que gênero não é algo definido por ela.

     Não há coisa mais deprimente do que na hora de um cadastro sermos obrigados a utilizar o gênero designado e registrado no nascimento sendo que nos identificamos e nos expressamos socialmente com outro.

     Em alguns casos de pessoas trans que se veem dentro do binário de gênero, após muita luta, conseguem modificar seu nome e gênero nos documentos. Mas e as pessoas não-binárias? Me refiro àquelas em que NÃO se encaixam dentro do binário de gênero. Sim, existem pessoas que não se identificam como homens ou mulheres e eu sou um exemplo disso.

     Atualmente, as únicas opções de gênero nos documentos civis e na maioria dos cadastros são MASCULINO ou FEMININO. Uma opção muito excludente, afinal, onde nos encaixamos?

     Nossos documentos são instrumentos utilizados para que sejamos identificados por outras pessoas, órgãos públicos, instituições de todo tipo (ensino, hospitalares, bancárias, entre tantas outras). O gênero é um aspecto social importante para determinar a forma como seremos tratados – nossos pronomes e adjetivos atribuídos a nós – em antendimentos nesses espaços públicos. Ter um gênero nos nossos documentos que não seja o nosso pode ser bastante constrangedor.

     É por esse motivo que queremos que aqui no Brasil, assim como na Austrália, seja reconhecido o sexo não especificado nos documentos e posteriormente que haja a opção OUTRO ou algo similar nos cadastros. Gostaríamos de que as pessoas não-binárias fossem incluídas no projeto de Lei João W. Nery (que diz respeito à identidade de gênero) ou então que fosse criada uma nova, garantindo-nos este direito. 

     Assim como todos, gostaríamos de ser reconhecidos de acordo com a maneira que nos identificamos. Gostaríamos de ter nosso gênero não-binário reconhecido e nosso nome social aceito em universidades, local de trabalho, redes sociais e principalmente em nossos documentos.

     Você, independentemente de ser binário ou não, poderia nos ajudar a alcançar este sonho? Caso sim, pedimos que assine este abaixo-assinado e que compartilhe com os amigos e familiares.

     Muitíssimo obrigade a todos que colaborarem com esta causa.O apoio de vocês é indispensável. 

Segue abaixo alguns links falando sobre o assunto:

CARTA PARA
Deputado Federal PSOL-RJ Jean Wyllys
Deputada Federal PT-DF Érika Kokay
Reconhecimento do sexo não especificado em documentos

Reuters18/09/2015 21h17 – Atualizado em 18/09/2015 21h28

Obama nomeia primeiro gay assumido a liderar o Exército dos EUA

Pentágono atualizou política de oportunidades igualitárias em junho.
Nomeação ainda deve ser confirmada pelo Senado norte-americano.

Eric Fanning é nomeado por Obama líder do Exército dos EUA; nomeação ainda deve ser confirmada pelo Senado norte-americano (Foto: REUTERS/Chris Muncy/Divulgação)Eric Fanning é nomeado por Obama líder do Exército dos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, nomeou Eric Fanning como próximo secretário do Exército, disse a Casa Branca nesta sexta-feira (18), abrindo caminho para a posse do primeiro homem assumidamente gay a liderar uma das Forças Armadas na história dos EUA.

Fanning ocupa atualmente o cargo de subsecretário do Exército e trabalhou anteriormente como subsecretário da Força Aérea e chefe de gabinete para o secretário de Defesa dos EUA, Ash Carter. Sua nomeação para o posto deve ainda ser confirmada pelo Senado norte-americano.

“Eric traz muitos anos de experiência comprovada e liderança excepcional para seu novo cargo”, disse Obama em um comunicado. “Estou confiante de que ele vai ajudar a liderar os soldados norte-americanos com distinção.”

Grupos ativistas disseram que a nomeação de um homem abertamsuper-rainbow_1_hwente gay para liderar uma das Forças Armadas representa um sinal significativo de progresso na proteção aos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT) que trabalham na maior força militar do mundo.

O Pentágono atualizou sua política de oportunidades igualitárias em junho de 2015 para proibir a discriminação baseada em orientação sexual, mudança anunciada por Carter durante uma celebração do orgulho gay e lésbico.

Esse fato mereçe toda a divulgação e demonstra claramente os avanços conseguidos pela militancia LGBT mundial, e o exemplo dados pelos EUA na questão inclusaõ de minorias e quebra de estigmas.

A Mosca fanzine #05

banner

Imagen-animada-Mosca-17

vocesabia

Em 1979, a Marinha americana financiou uma pesquisa sobre o comportamento das baleias orcas. Pela primeira vez, observou-se homossexualidade entre machos da espécie. Mas a conclusão não consta do relatório de pesquisa. Foi vetada pelos militares.

FOR YOUR ONE-TIME EXCLUSIVE USE ONLY AS A TIE IN WITH "WILD CHRONICLES." NO SALES, NO TRANSFERS. Wild Chronicles host Boyd Matson traveled to Antarctica where he captured rare footage of orcas teaching juveniles valuable hunting techniques. Wild Chronicles, hosted by Boyd Matson and made possible by National Geographic Mission Programs and presented by WLIW New York, tells the story of our planet, offering rare access to unknown places and in-depth reporting from National Geographic. Photo: Digital Stock -- Animals in Action

Considerado-homofóbico-Eduardo-Cunha-é-denunciado-por-corrupção-no-STF-620x350

 

298410566

babou

malafaia-toni-reis

Uma imagem vale por mil palavras.

298410566

tumblr_m1ws0zieK91r257ybo1_500

298410566

escrever

” …Sua amizade ao grumete nascera, de resto, como nascem todas as grandes afeições, inesperadamente, sem precedentes de espécie alguma, no momento fatal em que seus olhos se fitaram pela primeira vez. Esse movimento indefinível que acomete ao mesmo tempo duas naturezas de sexo contrários, determinando o desejo fisiológico da posse mútua, essa atração animal que faz o homem escravo da mulher e que em todas a espécies impulsiona o macho para a fêmea, sentiu-a Bom-Crioulo irresistivelmente ao cruzar a vista pela primeira vez com o grumetezinho. Nunca experimentara semelhante cousa, nunca homem algum ou mulher produzi- ra-lhe tão esquisita impressão, desde que se conhecia! Entretanto, o certo é que o pequeno, uma criança de quinze anos, abalara toda a sua alma, dominando-a, escravizando-a logo, naquele mesmo instante, como a força magnética de um imã. Chamou-o a si, com a voz cheia de brandura, e quis saber como ele se chamava. Eu me chamo Aleixo, disse o grumete baixando o olhar, muito calouro. Coitadinho, chama-se Aleixo, tornou Bom-Crioulo. E imediatamente, sem tirara vista de cima do pequeno, com a mesma voz branda e carinhosa: Pois olhe: eu me chamo Bom-Crioulo, não se esqueça. Quando alguém o provocar, lhe fizer qualquer cousa, estou aqui eu, para o defender, ouviu? Sim senhor, fez o marinheirito levantando o olhar com uma expressão de agradecimento. Não tenha vergonha, não: Bom-Crioulo, gajeiro da proa. É só me chamar. Sim senhor.

Bom Crioulo [1895] Adolfo Caminha [1867-1897] Versão para eBook eBooksBrasil.com .298410566– Rubens, não dá
A gente é homem
O povo vai estranhar
Rubens, pará de rir
Se a tua família descobre
Eles vão querer nos engolir.

Mário Manga  – (Premêditando o Breque) – Premê.

298410566

EM PALPOS DE ARANHA

Spider

fidelix

298410566

298410566

298410566

11990398_979958452025425_6161680065359967824_n

298410566

Semana que vem te mais.

Até a próxima segunda.

fanzine_4

Sem título-2

tumblr_lott3zkIRE1qhm4g9o1_500

298410566