Artigo. COMPORTAMENTO

varios  rtrt9er0tPouco se sabe, mas são os homens que são os maiores consumidores de brinquedos sexuais. Como explicar esse tabu? Parece paradoxal, mas os maiores consumidores de brinquedos sexuais são homens. Ainda assim, é tabu para eles e para a mídia. Embora 70% das compras são feitas por eles, nós só falam da crescente utilização pelas mulheres, ignorando a grande maioria dos usuários.

Dois pontos a observar: Em primeiro lugar, enquanto a história de brinquedos sexuais para mulheres é mais complexa (vendido pela primeira vez ao final do século XIX para “curar a histeria” e ignorado quando se tornaram claramente usados ​​para obter um orgasmo, e que reapareceu publicamente com a série “Sex and the City”, mas que ainda tem um pouco de dificuldade para se livrar da imagem do objeto masturbatório negativo para aqueles que não têm  sócios no prazer) do que os homens para quem os  brinquedos sexuais são muito mais linear.

brinquedos eroticosNo mundo masculino, tudo começou muito mais tarde a ser assumido. Apesar dos  dildos terem surgido por volta da pré-história, os primeiros brinquedos sexuais dos homens – de anéis penianos – data do século XIII, mas se  popularizaram, principalmente na Europa, no século XVII. Depois veio o escândalo do primeiro livro do Marquês de Sade, Justine ou os infortúnios da virtude, publicado em 1791, o que apresentou os objetos de  reputação sexuais de todos os tipos. A primeira sex shop data apenas de 1962. Ela foi criada por uma mulher, para os homens na Alemanha, mas no início dos anos 70, houve em todas as grandes cidades francesas, incluindo Paris, Pigalle St-Denis Street. Eles foram imediatamente popularizados pelo poder erótico francês, e os homens se acostumaram a ir se arastando pelas paredes, bem como os vendedores tinham que respeitar a vontade de anonimato. Esta mesma preocupação de anonimato, que é encontrado na internet hoje. E como os meios de comunicação não estão nas mãos de mulheres, o assunto é simplesmente obscurecido.

brinquedos eroticos2Então, se os homens compram um monte de bonecas infláveis ​​e outros objetos de sua masturbação, eles também compraram itens para o benefício do casal ou para melhorar suas ereções ou jogos a dois, incluindo os vibradores (já em 1921, o primeiro anúncio para brinquedos sexuais femininos nos corações revista norte-americana, dirigida aos homens, instando-os a comprar para suas esposas um vibradores para o presente secreto do Natal). Este é, talvez, o que explica que, mesmo hoje, a maioria das compras é feita por meio de homens, mais curiosos ou mais confortáveis do que as mulheres na idéia de descobrir em seus brinquedos sexuais uma nova magia no relacionamento.

Sem falar nas “luzes carne” (uma espécie de lata cheia de silicone geralmente com a forma de uma vulva ou ânus em cima onde eles inserem o pênis e se masturbam e cujas sensações são parecem reais proporcionando um prazer incrível), ovos (para a mesma finalidade), plugs anais (para próstata ou não) ou desenvolvedores (aparelhos para aumentar o tamanho do pénis com sangue e ajudar a ereção). Um amplo estudo de suas compras pode facilmente distinguir daqueles que são comprados para uso heterossexual e os utilizados para as relações homossexuais. Esse estudo publicado pela revista britânica Dazed & Confused mostra que 66% das compras feitas por homens se destinam a usar um homo, contra 44% para os heterossexuais.

Gays-48620Estes números mostram também que os homossexuais se sentem mais confortáveis ​​para falar sobre isso diretamente e sem rodeios. Este é talvez o que impulsionam as marcas de segmentação gays, porque eles são melhores clientes, diminuindo os investimentos publicitários voltados para os heteros. Isso é particularmente visível com produtos para a próstata, o prazer anal é – que é  erroneamente – associado ao prazer homossexual, mas que está sendo descoberto pelos heteros como uma nova forma de prazer no relacionamento com sua parceiras.

Na Frabrinquedeos-znça, ainda reflete que a masculinidade de um homem heterossexual mas  velho vale para  provar que sua orientação seja definida claramente sem a necessidade dos “brinquedos” . Mas, felizmente, os números mostram que os principais compradores de brinquedos sexuais, são homens e mulheres, com idades entre 25 e 35 anos. E que, as atitudes podem mudar e talvez as mulheres vão começar a comprar brinquedos sexuais para os seus parceiros, bem como  eles hoje fazem para elas.

Traduzido by Phil

http://tbiet.blogspot.com.br/

Igreja transforma vida de LGBTs em “inferno”, diz padre que saiu do armário

Foto: Getty

O padre Krzysztof Charamsa e seu companheiro, Eduard.

O padre polonês que se saiu do armário no início do mês de outubro, às vésperas do Sínodo do Vaticano, revelou à rede britânica BBC uma cópia da carta de renúncia que entregou ao papa Francisco.

Na carta, Krzysztof Charamsa acgay-cathousa a Igreja Católica de transformar a vida de milhares de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais católicos em um “inferno”.

Diz ainda que a igreja é hipócrita ao não permitir padres gays ou bissexuais já que clero é “cheio de homossexuais”.

Charamsa fazia parte da Congregação para a Doutrina da Fé, quando fez sua revelação, perdendo imediatamente o cargo. Em uma coletiva em um restaurante em Roma, o monsenhor declarou que era gay e que tinha um companheiro.

padres gaysO Vaticano afirmou que a declaração do padre havia sido “irresponsável, já que visava colocar pressão da mídia sobre o Sínodo”.

Além disso, Charamsa foi demitido das duas universidades católicas em que dava aulas, em Roma, e suspenso das funções de padre pelo bispado da Polônia. Com isso, não poderá celebrar a Santa Missa, administrar os sacramentos ou usar a batina.

Segundo a BBC, o papa Francisco ainda não respondeu à carta de renúncia de Charamsa.

Esta não foi a primeira vez que o polonês teceu críticas duras à Igreja Católica depois de ter saído do armário.

Em entrevista à BBC Brasil, ele afirmou que a igreja é “homofóbica, cheia de medo e de ódio”. Na ocasião, ele tornou público seu “Manifesto de liberação gay”, no qual pede o fim da discriminação de pessoas LGBT por parte da Igreja Católica.

Gay 1

13 dicas de como tratar seu amigo homossexual.

Este texto foi elaborado pelo escritor e bacharel em psicologia Fabrício Viana para amigos de gays e lésbicas na tentativa de desmistificar alguns conceitos.

amigo-homossexual
Antes de tudo, se você recebeu a indicação de alguém para ler este texto, você é uma pessoa privilegiada. Ter um amigo homossexual, seja no trabalho, na escola, na faculdade ou mesmo na vizinhança, é cada vez mais comum. Para que você não passe por alguns “micos” e nem acabe, sem querer, ofendendo ou discriminando um amigo homossexual, por pura falta de informação, segue algumas dicas bastante úteis.

Para facilitar a leitura, separei o texto em perguntas, pois acredito que assim seja mais fácil o entendimento.

1 – homossexualidade é doença?
1015858284_B974201874Z.1_20141202192929_000_G2T3IMMC1.1-0Apesar de várias religiões não aceitarem ou discriminarem homossexuais, a ciência já comprovou que a homossexualidade não é uma doença. É apenas uma orientação sexual do indivíduo. Logo, assim como existem heterossexuais “bons” e “ruins”, também existem homossexuais “bons” e “ruins”. Sua personalidade, suas qualidades e defeitos; nada tem a ver com sua orientação sexual. É importante frisar isso pois muitos atribuem defeitos ou imperfeições humanas como sendo derivadas da homossexualidade. Definitivamente, isso nada tem a ver com a orientação sexual. Se precisar saber mais sobre a homossexualidade, sua história, porque ela é condenada e outros fatores psíquicos, recomendo a leitura do meu livro O Armário, já na quarta edição e com mais de 4 mil exemplares vendidos. Vai ajudar muito a você entender este tema que ainda é, infelizmente, polêmico.

2 – Por que orientação e não “opção” ou “condição sexual”?
tumblr_n2hgqdN2Lb1rk54eco3_500Muitos falam, erradamente, sobre “opção sexual”. Não existe opção, fato de quem “opta” por algo. Nem  condição. O que existe em termos de classificação dentro da psicologia atual é a orientação sexual, onde o desejo sexual é ORIENTADO para um objeto externo. Este objeto externo desejado pode ser alguém do mesmo sexo (é o caso dos homossexuais), alguém do sexo oposto (heterossexuais) ou mesmo de ambos os sexos (bissexuais). Por isso orientação sexual. Lembrando que um homossexual poderá se tornar um bissexual ou heterossexual caso o objeto desejado mude. Assim como ocorre com heterossexuais que, em algum momento de suas vidas, tornam-se homossexuais. Para a sexualidade humana, não existem regras ou as classificações que utilizamos. Elas não são fixas.

3 – gays são seres superiores ou inferiores?
10447523_826749380692456_3425834452749768917_nJá ouvi falar que gays são mais produtivos nas empresas, ou, por outro lado, que eles não prestam para nada. Ridículo. orientação sexual não tem relação alguma com aptidões, talentos ou qualquer outra característica da personalidade. Se alguém que você conhece é muito bom no que faz, ou o contrário, isso não está relacionado com sua orientação sexual.

4 – Piadinhas ofendem?
casamentoSim, piadas podem ser engraçadas, mas evite na presença de seus amigos gays pois a maioria tem fins discriminatórios; sobretudo, piadas de “bichas”, “viados”, “sapatões”, “travecos” ou similares. Além de deturpar/confundir a realidade, passando uma imagem estereotipada, acabam quase sempre em ofensa. Até aquele seu amigo ou amiga que não é assumido, mas que dá risada naquele momento para manter as aparências, pode ficar triste por você ter demonstrando ser uma pessoa preconceituosa ou no mínimo, ignorante. Alguém de que ele jamais poderá confiar ou contar sobre seus reais desejos à você. Se você não consegue ver nenhum problema ou ofensa nas piadas de homossexuais, sabia que é a mesma coisa com relação as piadas com referência a “heterossexualidade”. O quê? Não existem piadas sobre heterossexuais? Por que será? Pense nisso.

5 – Quando me falarem sobre casos, relacionamentos, etc, o que eu faço?
tumblr_nlbjol51fy1rj4an5o1_1280Quando seu amigo ou amiga contar sobre sua vida pessoal, sobre casos ou namoros, imagine que sejam casos ou namoros de heterossexuais. Imaginou? Pois é, é a mesma coisa. Tanto que, em ambos os casos, você encontrará pessoas que se relacionam de forma promíscua ou aqueles que nasceram para o “casamento”, no real sentido da palavra. Sim, existe toda uma diversidade de “intenções”. Mas os relacionamentos, em si, são iguais. gays namoram, separam-se, têm brigas de casais, choram, sorriem, alguns almoçam juntos com a família no final de semana e com o namorado ao lado, e, assim caminha a humanidade.

6 – gays só frequentam lugares específicos para gays?
131112_02 (1)Mundo gay, submundo ou “gueto” são coisas do passado. gays estão e sempre estiveram em toda a parte, por isso não se espante em vê-los por aí. Cada vez mais eles estão aparecendo (no sentido de não esconder sua orientação sexual) em shoppings, baladas, supermercados, festas de família, local de trabalho ou em qualquer outro lugar. Você precisa saber apenas que eles existem e que deve respeitá-los, assim como se pressupõe que o respeito é para todos, independente de religião, orientação ou qualquer outro fator. E que, felizmente ou infelizmente, todos nós vivemos em sociedade e procuramos ser felizes sem interferir um na vida do outro. Embora seja vendido que somos todos iguais, as nossas diferenças são realmente grandes.

7 – Como eu identifico um gay? Ou uma lésbica?
broken_gaydar_rectangle_stickerSe você acha que gay é um cara afeminado ou que lésbica é uma mulher masculinizada, cuidado. gays e lésbicas são tão únicos quanto a própria diversidade humana. Para se ter uma ideia, existem gays que são pedreiros, executivos, aeromoças, jovens, adultos, senhores, senhoras, mendigos, diretores de empresas, analfabetos, operários, religiosos (inclusive alguns têm altos cargos dentro de sua doutrina), professores, alunos, enfim, uma infinidade que torna impossível a qualquer cientista ou grande estudioso dizer com precisão quais as características que definem alguém para que, em um simples olhar ou convivência, nós saibamos se ele é heterossexual, homossexual ou bissexual. Tem gente que parece gay, mas não é. Tem gente que não parece que é gay, e é. Outro dia no ônibus vieram me falar mal de um cara que era bem afeminado. Eu soltei o verbo. E essa infeliz criatura que pensou que eu iria ajudar na discriminação ficou sem saber o que fazer, pois ela jamais pensou que eu também fosse gay. Resumindo, ela pensará mais de 10 vezes na próxima vez que for falar com alguém desconhecido sobre isso. Então, é bom tomar cuidado para não passar vergonha. A dica é respeitar, sempre.

8 – Uso de palavrões, existe algum problema?
006-tumblrCom certeza. Palavrões são recheados de simbologia ofensiva. Nunca se refira ao seu amigo ou amiga por meio de palavrões construídos pela sociedade. Todos eles são difamatórios e, geralmente, carregados de preconceito. Ao invés de dizer que tem um amigo “viado”, “bicha” ou “sapatão”, prefira sempre os termos “gay” ou “lésbica”. O primeiro, geralmente, para tratar tanto o homem quanto à mulher homossexual. São politicamente corretos e bem mais aceitos. Claro que tudo também depende do vínculo que você tem com seu amigo homossexual. Mas, na maioria das vezes, evite termos pejorativos.

9 – Não me conformo, eu vivo falando pra ele ou ela deixar esta vida de lado. Estou certo?
uol_homofobiacrime615x300Totalmente errado. Imagine ele falando para você gostar de alguém do mesmo sexo, resolveria? Se a pessoa insistisse muito você começaria a gostar? De alguém do mesmo sexo? Não, logo, não insista para que seu amigo goste do sexo oposto, além de ser inconveniente, você não obterá resultado algum. Caso ele ou ela decida sair com alguém do sexo oposto, isso partirá de seu íntimo (sim, homossexuais podem tornar-se heterossexuais e heterossexuais podem se tornar homossexuais, ou ainda, bissexuais). Portanto, se a ideia e o desejo não partir dele, seu comentário pode ofendê-lo e ainda transmitir a ele a ideia de que você não o aceita; não que você deva aceitar. A homossexualidade, em si, pode ir contra os seus conceitos, mas se você está lendo este texto é porque quer aprender como tratá-lo de forma coerente. Pense nisso. Mesmo porque o que é bom para ele, não necessariamente é para você, e vice-versa. Resumindo, jamais tente mudá-lo. Respeito acima de tudo.

10 – Se pedir para eu guardar segredo, o que faço?
tumblr_nmctmsbUN51ruc13uo1_1280Saber que alguém é gay pode gerar algumas complicações para a pessoa que não assumiu sua orientação publicamente. Logo, se lhe foi pedido segredo, por mais difícil que seja guardá-los (guardar segredo, de verdade, é coisa que poucos conseguem), faça um esforço. Afinal, infelizmente, nem toda a sociedade tem uma cabeça moderna e condizente com o século 21. Talvez, menos ainda em um mundo tão conectado quanto o nosso.

11 – Como posso ter atitudes anti discriminatórias?
tumblr_njvfd68NlZ1r3vx2bo1_500É simples. Independente do amigo ou da amiga apresentar algum tipo de “trejeito”, aliás, independente de qualquer coisa; se estiver você num bate-papo e surgir alguma brincadeira de mau gosto a qual seja discriminatória, não participe. Ao mesmo tempo, mostre que não gostou e que não compactua com aquela brincadeira grosseira ou piada fora da realidade. Participar de tal gozação, mesmo não sendo quem começou, só torna você mais um dos que assinam em baixo a “carta da ignorância”. E, “ignorante” você não é, tanto que se demonstra interessado(a) nesse assunto e está aqui, lendo este texto.

12 – Na faculdade ou no trabalho, meu amigo gay começou a se vestir de mulher, e agora?
071-tumblrAlguns homossexuais podem ter inclinação para o que chamamos de transgêneros. Transgêneros são transexuais, travestis ou similares que fazem uma mudança de gênero. E muitas vezes, nada tem a ver com a homossexualidade. Por exemplo, eu sou homem, gay, e gosto de me relacionar com outro homem. Não me sinto mulher e nem gostaria de ser mulher. Mas existem algumas pessoas que, neste exemplo, nasceram homens porém se “sentem” mulheres. E ai, a luta interna deles é tornar seu corpo igual a sua mente. Isto é, se vestindo como se sentem, neste caso, como MULHERES. Então, eles passam a ser TRANSEXUAIS. Não são homossexuais que se vestem de mulheres. São realmente mulheres tentando adequar seu corpo masculino para o corpo feminino. A meta de alguns, neste caso, é fazer aquela cirurgia de adequação sexual (transformar o pênis em vagina, definitivamente). O caso das travestis é parecido, porém, elas não se sentem totalmente mulheres (inclusive, usam o pênis na relação sexual, já as transexuais, usam, mas não gostam – claro que nada disso é regra! Que fique bem claro!). Se você tem um amigo assim, que “inverteu” visualmente a aparência, trate-o como esta pessoa aparentemente se mostra ao mundo. Na dúvida, já que você é amigo ou amiga, chame-a próximo e pergunte como gostaria de ser chamada, com nome masculino ou feminino. Raramente até nós, que convivemos com muitos LGBT´s (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) nos confundimos. Então, pergunte, converse, questione e tente compreender de alguma forma. Lembre-se sempre, somos seres diferentes e, muitas vezes, aprendemos e evoluímos justamente por sermos diferentes.

13 – Gostei destas explicações, porém gostaria de aprender mais sobre este universo. Por curiosidade!

super-rainbow_1_hwExistem muitos portais na Internet com artigos e informações sobre a homossexualidade, transexualidade e todas as vertentes da sexualidade humana. Evite, sempre, sites religiosos e prefira os científicos. Como disse acima, a religião condena com base em suas doutrinas. A ciência entende que é apenas uma forma de comportamento e, de forma séria, explica detalhadamente o que ocorre com as sexualidades apresentando diversos estudos científicos com bases na psicologia, história, antropologia e diversos outros estudos. Caso queira se aventurar em livros, para estudos mais sérios, recomendo o livro “Devassos no Paraíso” que fala sobre a história da homossexualidade no Brasil e também o livro “Seis Balas num Buraco Só”, que vai a fundo na origem do preconceito e da sociedade machista. Ambos do escritor João Silvério Trevisan. Se você não tem muito tempo mas gostaria de ler um livro que resumisse muito bem alguns temas e assuntos, sugiro a leitura, novamente, do meu livro, bastante didático e simples chamado O ARMÁRIO. O importante é que você busque informações e tente aprender de tudo um pouco. Afinal, conhecimento nunca é demais. E o maior problema da homossexualidade é, sem sombra de dúvidas, informações corretas sobre o assunto. Tudo o que vemos na TV ou na sociedade é, ainda, visto de forma errado e negativo. Com informação correta, podemos resolver este caso.

Fabrício Viana

Fabrício Viana é bacharel em Psicologia e autor do livro O Armário (sobre a homossexualidade , com mais de 4 mil exemplares vendidos), Ursos Perversos (contos homoeróticos), organizador da Coletânea LGBT não erótica chamada Orgias Literárias da Tribo e autor Theus (romance homossexual). Seus livros nãos são vendidos em livrarias, apenas em seu site pessoal www.fabricioviana.com ou no site da Editora Orgástica www.editoraorgastica.com

Noticia

wpid-img_90694973870277O governador Rodrigo Rollemberg vetou, nesta terça-feira (08), integralmente o projeto que restringia o conceito de família ao núcleo formado a partir da união entre um homem e uma mulher, aprovado pelos deputados distritais em última sessão antes do recesso de julho da Câmara Legislativa do Distrito Federal. A proposta é do parlamentar Rodrigo Delmasso (PTN) ligado a igrejas evangélicas.

O segundo artigo do projeto de lei 173/2015 diz: “Entende-se por entidade familiar o núcleo social formado a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou união estável, ou por comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes”.

Representante do Grupo LGBT Estruturação de Brasília, Michel Platini diz reprovar projeto e parabeniza o governador pela decisão. “O projeto deixa de contemplar adoção, irmãos que cuidam dos irmãos mais novos, tios e avós que assumem a responsabilidade de criar seus sobrinhos ou netos. Em suma, se a lei fosse aprovada, seria uma afronta a constituição e a Lei Orgânica. A postura do governador Rollemberg diante da bancada fundamentalista fortalece a luta pelos direitos humanos e nos encoraja a continuar lutando”.

A proposta era do deputado Rodrigo Delmasso (PTN) e foi aprovada pela Câmara Legislativa no dia 30 de junho, durante “esforço concentrado” antes do recesso. Agora, o projeto volta à Câmara, que pode derrubar ou manter o veto do governador.

Gay 1

Ano novo – Apenda a dizer não.

3

1) Não admita a barbárie.

********************

2) Não aceite covardes protegidos por distintivos ou mandatos políticos.

********************

3) Não veja a violência como fato isolado.

********************

4) Não queira um país como o Irã. Queira um país como a Holanda.

********************

5) Não transfira suas próprias frustrações para os que são mais vulneráveis do que você.

********************

6) Não negocie com fundamentalistas.

********************

7) Não abra exceções para conservadores.

********************

8) Não aceite o vale tudo para conseguir o que se quer.

 

Pense nisso e em tempo –  FELIZ ANO NOVO!

Fora do armário – http://www.foradoarmario.net/