Um homem nu.

wpid-0033Para falar apenas um pouquinho do tabu que é um homem nu. Mas para mostrar o nu masculino, o leque de possibilidades é tão grande que é difícil escolher uma amostra. nudez frontal. É aí que reside o dilema …Escolhido aqui e ali pelas milhares de fotos na internet, desenhos, pinturas, fotos de modelos em pose frontal mostrando seu sexo flácido, em repouso, não “explícito”, isso mostra como a censura tem tanto medo de um penis, pau, pica, falo, etc.

São infinitas as afirmações de dizer outro macho.  Bem, cada um tem seus limites, dois homens sempre se comparam, nus então…e Deus macho em tudo.

 Mas dizer para mim, beleza é sinônimo de corpo masculino nu, sem roupas. Poetas são tantos, poesias também. Onde há o erótico, há também a pornografia, vai depender de quem a vê.

A arte é comovente, o tesão é parte do físico, da mente. E os homens olham mas que as mulheres, uns até disfarçam, outros devoram desavergonhados. Qual o prazer de estar junto a outro homem nu? A comparação?  A intimidade? A vontade proibida de ter? Tire as cobertas e descubra-se.

Amador Ribeiro Neto – POESIA GAY.

dia_dos_namorados (1)Volta por cima 1

preterido
o namorado
ia dar um tiro no ouvido
mas
descolou outro
namorado
&
continuou
gato
feliz
&
invertido

 

volta por cima 2

deu
volta por cima
por baixo
de lado
atrás
entre

deu
até
parar
de
querer
dar
e
ter
vontade
de
recomeçar

*Amador Ribeiro Neto é poeta, crítico literário e contista. Tem textos publicados em livros, jornais, revistas e na internet, destacando-se, mais recentemente, a inclusão de seus poemas na antologia “Na Virada do Século – Poesia de Invenção no Brasil”, organizada por Frederico Barbosa e Cláudio Daniel, pela editora Landy, de São Paulo, Brasil, 2002. É Doutor em Semiótica: Artes (pela Pontifícia Unversidade Católica de São Paulo) e Mestre em Teoria da Literatura e Literatura Comparada (pela Universidade São Paulo). Professor de Teoria da Literatura dos cursos de graduação e pós-graduação em Letras da Universidade Federal da Paraíba. Tem inéditos dois livros de temática homoerótica: “Agora É Que São Eles” (contos) e “Cara Vara Pau” (poemas).