OXOSSI

 Oxóssi na Umbanda é considerado patrono da linha dos caboclos, atuando para o bem-estar físico e espiritual dos seres humanos.

Segundo esta religião, Oxóssi é figura representativa de uma das sete oxossiforças principais de Deus: a força da luta, do trabalho, da providência e da afirmação positiva. Assim, para a Umbanda, Oxóssi representa uma das sete forças primordiais de Deus, pertencendo ao pólo positivo das energias espirituais, expandindo, irradiando e impelindo os seres para a construção vigorosa de seus destinos, bem como garantindo que os mais fragilizados encontrem doutrinação firme e amorosa, desenvolvendo seu saber religioso e sua fé.

0xossi3A figura de Oxóssi tem origem na mitologia africana, para a qual seria um antepassado africano divinizado, filho de Yemanjá, irmão de Omulu-Obaluayê e rei da cidade de Oyó, localizada na África sudanesa – de onde provêm os povos nagô (keto, ijexá e oyó) e mina-jeje. Também é considerado o caçador por excelência; o arqueiro de uma flecha só – sempre certeira.

A Umbanda, considerada por muitos como fundada em 1908, é expressão do sincretismo ocorrido no Brasil em razão da perseguição religiosa aos cultos africanos. Por reunir elementos africanos, espiritualistas e cristãos, a figura de Oxóssi pode aparecer, muitas vezes, misturada à figura católica de São Sebastião, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e estados do demais centro -sul do Brasil, e São Jorge, no estado da Bahia.

 Em geral, considera-se que o dia de Oxóssi é quinta-feira e seu símbolo seria o arco e a flecha em ferro fundidos.

As oferendas a Oxóssi na Umbanda – consideradas pela grande maioria de seus seguidores como ritos que potencializam a energia dos Orixás – são de elementos correlatos à do chacra do plexo solar, bem como ao comprimento de onda de cor amarela. Assim, suas oferendas haveriam de se aoxossi2proximar de tal padrão energético, seja pela cor do elemento, seja por sua composição. Alguns exemplos de oferendas comuns em vários centros e tendas umbandistas: milho cozido; côco em lascas; girassol; rosas brancas; velas brancas, amarelas e verdes, cerveja; licor de caju; flores do campo; entre outros.

“O Estado Laico”.

A Parada LGTB é realizada anualmente na cidade de São Paulo e já tem uma data marcada para a edição de 2017. O evento será realizado no dia 18 de junho (um domingo, emenda do feriado de Corpus Christi)na Avenida Paulista. O tema será “O Estado Laico”.

Nos anos anteriores, o evento reuniu mais de 2 milhões de pessoas e promete atrair um público ainda maior em sua próxima edição.

Se programe e vá participar também!

estadolaico-temadaparadalgbt-2017-745x483

arq-29035

 

3nkg7btw1b0hvgijstk8tzbmd

 

parada-lgbt-sp

 

Querem proibir a masturbação no Brasil. Levanta a mão aí!

 

 

 

 

15826144_1302209549846736_4278873740389379990_n15871951_607073969417420_5671358237838011048_n

15871701_1854075048146074_1862644639747642765_n 15871831_1287943884585005_3004872632550968766_n_link

 

Veja 5 motivos que fazem da masturbação feminina um ótimo negócio:

 Mais mulheres se masturbam do que você pensa

Ok, então talvez não seja o dia todo, todos os dias, mas essa estatística não é, definitivamente, a imagem perfeita da modéstia: 92 por cento das mulheres se masturbam regularmente.

A masturbação ajuda com cólicas menstruais

Parece que nem tudo está perdido, se você está preso em algum lugar sem remédio para cólicas. Especialistas explicam que o aumento dos hormônios de bem-estar libertados durante a masturbação pode ajudar a aliviar a dor.

 E mais vezes do que você imagina

Além disso, 60% das mulheres se masturbam cerca de duas a três vezes por semana. 10% das mulheres o faz todos os dias.

Fêmeas animais se masturbam também

Várias fêmeas foram capturadas em situações comprometedoras e todos elas têm brinquedinhos sexuais: cavalos esfregam-se contra cercas, pássaros dobram suas caudas, enquanto porcos-espinhos e macacos têm varas. E não, não é só porque elas estão com coceira.

Masturbação melhora o sono 

De acordo com pesquisas, 32% das mulheres se masturbam para dormir melhor. Quem disse que ir para a cama sozinha era uma coisa ruim?

Fonte:VilaMulher

estudoComo todos já sabemos, a masturbação não faz crescer cabelos nas palmas das mãos, nem nos faz ficar ceguinhos, por isso, não temos motivos para não a praticarmos! Também sabemos que por vezes um homem quer ter algum prazer sozinho, sem ter de recorrer a um ato de sedução. Para isso existem algumas técnicas diferentes de masturbação masculina mas atenção, isto não implica uma atitude de masturbação compulsiva ou eliminar outra pessoa da sua vida. Mas de vez em quando…

  1. Maçaneta da porta

Coloque lubrificante na palma da sua mão e logo que tenha o seu pénis ereto rode a palma da sua mão na ponta do seu pénis como se estivesse a abrir uma maçaneta de uma porta, depois rode no sentido contrário, alternando os movimentos rotativos.

  1. Toque-toque

Masturbe-se normalmente sem tocar na cabeça do seu pénis. Quando a cabeça estiver bem dura e vermelha, estimule-a suavemente com a ponta dos seus dedos até conseguir a ejaculação.

  1. Anéis

Coloque lubrificante em ambas as mãos. Junte os dedos de uma mão (polegar e indicador) e forme um anel. Coloque este anel no fundo do seu pénis. Deslize este anel para cima até à glande (onde começa a cabeça do pénis). Nesse momento, forme outro anel igual com os dedos da outra mão e faça a mesma coisa. Faça movimentos com um anel de cada vez até atingir o clímax.

  1. Fogueira

Coloque as suas mãos esticadas e viradas uma para a outra com o seu pénis no meio das duas. Comece a rodar o seu pénis como se fosse um pau de madeira ao qual deseja pegar fogo. Continue suavemente para não provocar mesmo fogo!

  1. Pegar neles

Da próxima vez que estiver a masturbar-se e sentir que está prestes a ejacular, coloque a sua outra mão sobre o seu escroto e aperte suavemente, puxando-o para baixo. Desta maneira sentirá o sémen a percorrer o seu corpo.

  1. Pancadinha

Embora convenha ter um pénis sensível para esta técnica funcionar, pode sempre experimentar. Mantenha a sua roupa interior vestida e o pénis ereto. Mal sinta que está na sua maior ereção, e mesmo sobre a roupa interior dê pancadinhas na ponta do seu pénis com as pontas dos seus dedos. Usualmente leva mais tempo a atingir o clímax, mas quando o conseguir… oh sim!

  1. Mão querida

De pé, vire a sua mão lubrificada para si de maneira a que os seus dedos se encontrem virados para a sua barriga. Coloque o seu pénis contra a sua barriga e cubra-o com a mão; em vez de movimentar a sua mão, deixe-a estática, enquanto movimenta a sua pélvis para que o seu pénis entre e saia na sua mão. É uma maneira parecida com o penetrar de uma vagina, ou quase…

  1. Gelado

Na altura em que se está prestes a ejacular, pegue em alguns cubos de gelo ou mesmo gelo picado na mão que não está a usar. A diferença de temperatura entre as duas mãos na altura da ejaculação levará a uma experiência entre as Caraíbas e o Polo Norte.

  1. Plástica

Pegue num saco de plástico e coloque bastante vaselina dentro dele. Coloque o seu pénis ereto dentro do saco e cubra-o todo de vaselina. De seguida, com o seu pénis ainda dentro do saco, coloque o saco entre o seu colchão e uma almofada e, fazendo peso na almofada com as mãos, faça movimentos até ao orgasmo!

  1. Twist

Esta técnica requer um pouco de prática. Coloque algum lubrificante nas suas mãos. Faça um anel com os dedos (polegar e dedo do meio), coloque-o na base do seu pénis e faça alguma pressão para baixo, mantendo a mão assim até ao final. Com a outra mão à volta do seu pénis, movimente-a para cima e para baixo, mas com um movimento twist (rotativo); ou seja desça rodando a mão para a direita e suba rodando para esquerda, adeque os movimentos à intensidade que desejar, até à ejaculação.

  1. Paragem

Enquanto se masturba usualmente com uma mão, pare de vez em quando e com a mão disponível faça um anel com os seus dedos (polegar e dedo do meio), coloque o anel à volta do pénis e faça um pouco de força e aperte, depois continue normalmente a masturbação, fazendo pausas destas até ao clímax.

  1. Ritmix

Com uma mão faça um movimento descendente da cabeça do pénis até à base. Quando chegar à base largue o pénis, faça o mesmo com a outra mão, uma e outra vez, alternando as mãos com algum ritmo.

http://cromossomoy.com/

punheta

Nomes engraçados para a masturbação.

1. Socada da Bolacha
2. Descabelar o Palhaço
3. Respingar no Parabrisa
4. O Bauninho de Meia Hora
5. Mandar um Pingo no Telhado
6. Fazer fogo com vareta
7. Construir aquela picininha no Umbigo
8. Passar gel no Arbusto
9. Malhar o Anti Braço
10. Pegar o Piru pela cabeça
11. Friquissionar o bambu
12. Bota o Babalu Pra dança
13. Tiro ao Alvo de Leite Puro
14. Produzir uma Cola Humana
15. Desentupir o Basculante
16. Pulsar o veião
17. Por o Cobrão pra cuspir
18. Passar a tarde estudando no quarto
19. Desespero da madrugada
20. Fazer o anão creser
21. Pulsar o capus pra trás
22. Maltratar o Cabreço
23. Passar um creminho na barriga
24. Batizar o colchão
25. Mandar uma População Inteira pelo ralo
26. Respingar no Espelho
27. Grudar o pé no banho
28. Da um tapa na Gaita de fole29. Sacudir as maracas.

em fim produzir um parmezão pro consumo próprio né?

atividadeparaanormai

Está de volta ao ar a UNIVERSITÁRIA FM 104.7.

Depois de algum tempo fora do ar, calada pela falta de visão politica de quem devia, ao contrario, ser porta voz da luta contra a distorção dos princípios democráticos e principalmente abrir espaço para o debate esclarecedor, que promove uma politica esclarecida, não opressora e não comprometida com o bem estar coletivo.

Está de volta ao ar a UNIVERSITÁRIA FM 104.7.

E por conseguinte o programa PRAIA DO PHIL, todas as quartas feiras de 20 às 22hs, que vem já há mais de 3 anos militando contra a lesbotransfobia, denunciando a violência contra os LGBT (Lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transgêneros), ao mesmo tempo que divulga a evolução desse movimento libertador, promovendo a normalização do assunto, quebrando os tabus e ampliando o debate.

ESTAMOS DE VOLTA, A CAUSA É JUSTA E O SILÊNCIO É OPRESSOR.

Se ligue na gente UNIVERSITÁRIA FM 104, ou pela internet UNIVERSITARIAFM.UFES,BR

0-7

 

f951a2d17196e4408ceb65ba06bcfe52

 

George Michael e a luta pelos direitos humanos

morre-george-michael-aos-53-anos-1482708110138_v2_1170x540Com mais de 100 milhões de discos vendidos, a artista inglês George Michael influenciou toda uma geração, e surpreendeu a todos ao revelar sua homossexualidade.

A década de 1980 foi marcada pelo conturbado embate entre a exposição e a opressão da sexualidade. Depois de uma manifestação crescente que vem dos anos 60, com o advento dos anticoncepcionais e do movimento hippie, que por um lado pacifista e por outro incendiando a sociedade com propostas como o amor livre e a quebra do tabu da virgindade.

Os barulhentos anos 70 já prenunciavam as manifestações gays, que tem como marco a rebelião do Bar Stone wall inn em Nova York, Junho de 1969, Talvez o primeiro manifesto Gay tenha sido a marcha de comemoração de um ano da rebelião em 1970.

George Michael, quebra barreiras, expõe uma sensualidade extrema e enfrenta o preconceito com coragem e a certeza de estar abrindo caminho para a aceitação de gays no mundo todo. Ao seu lado surgiu Boy George com a banda Culture Club. Estava lançada a palavra de ordem para a abertura oficial de armários pelo mundo todo.

A reação homofóbica foi imediata, mas atordoados com  as novas propostas sexuais, estavam ainda desorganizados, e só conseguiram se posicionarem na década seguinte, anos 90,e a base de muita violência e agressões físicas, sociais e psicológicas, que se embasavam  principalmente na religião.

George Michael surge assim com um dos  primeiros ídolos pop a se posicionar nesse sentido, vencendo a barreiras e promovendo o debate e a reflexão.

 Cada vez mais presente no nosso dia a dia, a homossexualidade vem cada vez mais ganhando uma visão de normalidade e respeito.

George Michael morreu dia de natal, com 53 anos de insuficiência cardíaca mas deixou um grande legado principalmente a nós gays e a todos que militam em favor dos direitos humanos.

Violência homofóbica em 2016

2015-06-07t192043z_15110779O número de homicídios de pessoas lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais deve crescer em 2016 e superar as ocorrências dos últimos anos. A tendência é revelada pelo Grupo Gay da Bahia, que anualmente elabora o Relatório de Assassinatos LGBT no Brasil. Dados preliminares do levantamento apontam que o ano deve ser fechado com o total aproximado de 340 mortes, maior número registrado nos últimos anos.

“No ano de 2015, foram 318 mortes. Estamos contabilizando 2016 e já passamos da marca de  329 mortes, mas temos alguns casos aguardando confirmação e o ano deve ser fechado cditadura-religiosaom aproximadamente 340 mortes. Em 36 anos que monitoro os dados, nunca chegamos a esse número”, afirmou Luiz Mott, antropólogo fundador do Grupo Gay da Bahia (GGB).


Segundo ele, o aumento se deve a vários fatores, como a coleta mais sistematizada de informações e a reação conservadora ao maior número de pessoas que vem assumindo sua condição sexual ou identidade de gênero. “Hoje, tem mais homossexuais e trans saindo do armário por causa das paradas gays e outras campanhas; e isso os deixa mais expostos a situações de violência, o que levou ao aumento generalizado de crimes”, explicou Mott.

O estudo mostra que a maior parte das mortes (195) ocorreu em via pública, por tiros (92), facadas (82), asfixia (40) e espancamento (25), entre outras causas violentas. O assassinato de gays lidera a lista com 162 casos, seguido das travestis (80), mulheres transexuais (50) e homens transexuais (13). A instituição recebe informações das mortes por outras entidades, por familiares e amigos das vítimas, mas a principal fonte da base de dados são os casos divulgados pela imprensa. O levantamento é reconhecido pela Secretaria Especial de Direitos Humanos.

charge-latuff-gay-pastoresA subnotificação das mortes ainda é um desafio para as entidades que monitoram o problema. Mas, só pelos resultados do último relatório, a ONG constatou que uma pessoa LGBT morre a cada 28 horas no Brasil. E se a tendência de aumento se confirmar, o intervalo pode cair para 24 horas. “É apenas a ponta do iceberg, porque muitos são assassinados e as testemunhas escondem”, disse Mott.

Nordeste lidera

O estudo mostra que a liderança dos casos nos últimos anos é do Nordeste, mas outras regiões tem despontado com casos graves. “Atribuo isso ao conservadorismo e à falta de informação. A surpresa deste ano é o estado do Amazonas, que registrou até o momento 29 mortes. Proporcionalmente, o dado é chocante, embora São Paulo sempre registre o maior número absoluto”, disse Mott.


Entre os casos contabilizados, está a morte recente do ambulante Luís Carlos Ruas, espancado na noite de Natal por dois homens, numa estação de metrô em São Paulo, ao defender moradores de rua e travestis. O GGB configurou o ataque como um crime LGBTfóbico. Apesar de se tratar da morte de um heterossexual, de modo indireto “não deixa de ter também um crime LGBTfóbico. Afinal, a confusão começou pela defesa de uma travesti”, explicou Agatha Lima, integrante do Conselho LGBT de São Paulo e da Associação de Transexuais, Travestis, Transgêneros.

Cerca de “99% dos crimes contra LGBTs tem como agravante a intolerância, além da vulnerabilidade de grupos como os travestis, que geralmente estão nas ruas em condições mais marginalizadas, envolvidas com prostituição e uso de drogas devido à exclusão sofrida em outros espaços da sociedade”, explicou Mott. A opinião é compartilhada por outras organizações de defesa dos direitos das pessoas Trans, que engloba homens e mulheres transexuais e travestis.

Líder mundial

O alto índice de violência levou o Brasil à liderança do ranking mundial de assassinatos de pessoas transexuais em 2016. Das 295 mortes de transexuais registradas até setembro deste ano em 33 países, 123 ocorreram no Brasil, de acordo com dados divulgados em novembro pela ONG Transgender Europe. O México, os Estados Unidos, a Colômbia e a Venezuela seguem o Brasil em números absolutos do ranking de mortes de transexuais.

O relatório europeu mostra que, de janeiro de 2008 a setembro de 2016, foram registradas 2264 mortes de travestis e transexuais em 68 países. Nos oito anos da pesquisa, o Brasil contabilizou 900 do total dos casos, o maior número absoluto da lista. “Há décadas o Brasil é campeão mundial nos crimes contra a população LGBT. Comparativamente aos EUA, por exemplo, matamos de 30 a 40 LGBTs por mês, enquanto que lá morrem 20 por ano. O principal motivo é a LGBTfobia individual e cultural, que incrementa os crimes letais no nosso país”, diz Mott.
homofobia-bule-voador
A conselheira Agatha Lima, disse que as associações estão dialogando com a ONU sobre essa questão. “Em primeiro lugar, isso é um absurdo. Em segundo lugar, ao mesmo tempo que o Brasil é o país que mais mata, é também o que tem a maior clientela para os profissionais do sexo trans. No país inteiro, existem 1,4 milhão pessoas trans, e 90% delas vivem do mercado do sexo, por causa da exclusão e do preconceito que sofrem no mercado de trabalho formal, em casa e nas escolas”, disse.

Por Débora Brito, Da Agência Brasil

Por que é tão difícil a fidelidade no meio gay?

gif-sterek-animated-kiss-878-sx

A infidelidade no meio gay é social e fisiológica. Social porque mesmo homens gays podem ser machistas. Vivemos nesse contexto social já bastante citado no blog “Minha Vida Gay”, no qual o homem tem uma certa “liberdade e autonomia” para pular a cerca. Não seria muito diferente com um homem gay que se sente livre, autônomo e descomprometido.

É fisiológico porque o homem tem uma natureza sexual mais aflorada, da procriação, o que não excluem aquelas mulheres que também tem um apetite sexual intenso.

pedro_beto_henrique_by_alex_machadoNesse contexto, quando são dois homens gays, a fidelidade pode se tornar mais volátil. Pessoalmente, carrego uma “ficha limpa” e até hoje não trai nenhum dos meus namorados (e não vejo isso como um mérito, mas é um fato). Foram relações de mais de um ano e meio e, se nesse período eles deram uma escapadinha não tem como afirmar porque, no final, nunca fiquei sabendo. Posso dizer que tive também a oportunidade de me relacionar com pessoas mais sérias na questão da fidelidade e, mesmo aqueles mais “fogueteiros”, acabavam “cumprindo o papel” ao meu lado (a ironia pode dizer que não, mas eu confio). Fidelidade tem a ver com respeito. Respeito tem a ver com educação.

Penso que a fidelidade é uma virtude, ou até mesmo um diferencial em pessoas do meio gay (principalmente no meio gay masculino). Casos de traição ou de relacionamentos múltiplos a gente ouve aos montes. São os relatos de amigos, de colegas e, muitas vezes, as pessoas acabam por supervalorizar a traição. Coisa estranha, mas é o que as vezes acontece. Quando alguém termina um namoro a primeira coisa que as pessoas pensam é: “trocou por outra pessoa”?

janela-da-infidelidadeMuitas vezes a traição vira justificativa da atitude alheia (ou ausência de atitude).

A ideia de ser fiel recai novamente sob a maturidade de um indivíduo. O gay ou é muito permissivo ou é muito possessivo (difícil encontrar um meio termo). Priorizar outras ocupações na vida que vão além do desejo de dar uma “escapadinha”, é raro. Já percebeu que gay está sempre contando algum caso de ego?

Diante de tudo isso, como ter um relacionamento gay maduro?

Entendo que a primeira coisa a se fazer é preservar a si mesmo. Muita gente trai porque o outro trai (ou acha que trai). Em outras palavras, a infidelidade justifica a infidelidade e esse pensamento é raso mas comum. A infidelidade de um não deve ser justificada pela falta de seriedade do outro. Rege a regra: não faça com o outro o que você não quer para você. Isso, se você realmente busca um relacionamento mais maduro. Isso, se você é maduro!

Quando estiver namorando, não precisa manter a rotina intensa de baladas que você teria se estivesse solteiro. Certo ou errado, na balada as pessoas estão para se divertir e não se preocupam muito se você ou seu parceiro estão disponíveis ou não. Numa dessas, alguém pode despertar o seu interesse ou o interesse do seu namorado e aí vem a bagunça.

O legal de estar num relacionamento não é ostentar o namorado em baladas, mostrar para os outros que ele tem seus atributos ou chamar a atenção alheia. O legal de um namoro gay é poder experenciar outras coisas, como é em qualquer relacionamento.

Já pensou em viajar com seu namorado mas está faltando dinheiro? Deixe de ir em 4 baladas!

O mundo exclusivamente gay é repetitivo, viciado e é só uma pontinha de tugrind-2do que um casal pode realizar. A gente, muitas vezes, fica viciado na rotina gay, de querer ver e ser visto e esquece que, quando se namora, não precisa mais disso. A gente tem dificuldade de “virar a chave” e deixa portas abertas para potenciais paqueras. E faz isso por puro exercício do ego. E normalmente é um ego que não se satisfaz consigo mesmo.

grind1Se você é daquele tipo que começa uma relação e parece que logo enjoa, talvez você esteja insatisfeito com você mesmo! Você fica na expectativa de querer achar alguém melhor mas não parou para pensar se você é tudo isso mesmo. Essa coisa de ser muito seletivo ou de enjoar rapidamente, no fundo, é cegueira. Cegueira por não enxergar a sua totalidade, que vai além de ser gay.

Me assumir na totalidade?

Por mais que pais nos aceitem e amigos também, nos resolvermos como indivíduos, gays, exige um esforço, exige se sobressair. A infidelidade está muitas vezes relacionada a incapacidade de um indivíduo de se entregar para um relacionamento. É mais cômodo e confortável se garantir com alguém mas deixar brechas: você sempre vai ter opções para exaltar seu ego ou alguém para ser um “estepe” caso a relação de interesse não dê certo. Do contrário, na totalidade de uma relação você se resolve com apenas um indivíduo, parceiro ou namorado. As duas coisas juntas ficam bem difíceis de se ter.

Esse conceito de fidelidade no meio gay brasileiro ainda é muito novo, imagine então o casamento. As pessoas são mais intimidadas e tem dificuldades de enxergar essa totalidade por conta de inseguranças e limites impostas por elas mesmo, impostas pela sociedade e pelo o que cada um absorve da sociedade.

Assim é a vida, com as facilidades e dificuldades. O importante é buscar a tal consciência e aceitar que a qualidade de um relacionamento depende de você, mais do que o outro. Entrar numa relação só com as pontinhas do dedos costuma não dar certo.

Publicado por MINHAVIDAGAY.