As jornalistas

Três mulheres capixabas me vêm à cabeça: Carmélia, Maria Nilce e Maura Fraga

Falar em jornalista, três mulheres capixabas me vêm à cabeça: Carmélia, Maria Nilce e Maura Fraga. Exerciam a profissão quando eu começava. Fazia rádio e estudava na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Cada uma com um estilo diferente, uma personalidade marcante. A impetuosa jornalista Maria Nilce foi covardemente assassinada. 

Carmélia tinha um estilo largadão na aparência, mas muito justo na profissão. Maria Nilce era polêmica, não tinha medo de nada, era descendente dos índios de Fundão. E Maura, uma profissional carismática, sisuda e altamente injustiçada no fim da carreira.

Elas eram boas demais para poderem criar caso por onde trabalharam. Exerciam a função com alma e não com arrogância, como fazem por aí agora. Trabalhavam desprovidas de medos de serem ultrapassadas. Enfim, não davam chance a ninguém de subtraí-las profissionalmente. Era de igual para igual.

Não me lembro de ter visto a figura de uma delas, ou seja, delas serem lembradas em qualquer repórter ou jornalista nos dias atuais. Será que os tempos são outros? Mudou alguma coisa?  Algumas até escondem suas fraquezas profissionais nos apelos sem procedência, sem nexo.

Talvez para amenizar essa safra atual, que as faculdades despejam no nosso desgastado mercado pouco inspirador, tenhamos competentemente, ainda, em plena atividade, uma Rita Bridi, uma Celeste Franceschi, uma Sandressa Carvalho, e até mesmo uma Fernanda Queiroz, no microfone. 

Essas me fizeram admirá-las, pois até então trabalhei com todas e aprendi muito...respeitei muito. Tem algumas que passam ao largo. São pessoas que dão a sensação de estar faltando algo profissionalmente nelas. Talvez os tempos sejam outros, o modo de fazer jornalismo também. Infelizmente.

PARABÓLICAS

O Grupo Sim agregou velhos profissionais do mercado para suas fileiras. Antonio Mendes Camilo, ex-Gazeta, e Hamilton de Almeida, ex-Tribuna.

Kazinho estava sendo sondado por outro grupo, atrás de sua rádio. Ao que parece, o negócio serenou.
Folgamos em ver o nosso Jairzinho Oliveira, de volta, ativo nas redes sociais. Deve voltar à TV e ao rádio também.
Quem deverá fazer a política deste ano pelas rádios? Edu Henning, Fabio Pirajá? Adilson Paixão está fora desta vez.

MENSAGEM FINAL
Se você não tiver nenhuma caridade no seu coração, você tem o pior tipo de problema cardíaco. Bob Hope

0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.Será necessário confirmar os seus dados no e-mail de verificação que iremos enviar assim que registrar o seu comentário, para que o comentário seja exibido. Comentários não validados em até 48 horas serão desativados.