É assustador: 441 tentativas de suicídio na Terceira Ponte desde 2000

Noventa perderam a vida no local no mesmo período; já neste ano foram 48 ocorrências

Os números são assustadores: desde 2000, pelo menos 441 tentativas de suicídio foram registradas na Terceira Ponte. Noventa perderam a vida nesse período. Estes são dados de estatísticas oficiais, do próprio governo do Estado, que podem não totalizar todas as ocorrências.

Apesar dos números preocupantes, os governos do Estado jamais adotaram nenhuma providência concreta para instalar equipamentos de proteção nas laterais da Terceira Ponte, para evitar as tragédias, que são de tentativa ou morte por suicídio no local.

Fugiu da responsabilidade de tratar o assunto com seriedade o ex-governador José Ignácio Ferreira, que governou o Espírito Santo de 1999-2002, portanto durante três anos do período apurado. 

Também irrelevaram o grave problema dos suicídios na Terceira Ponta o governador  Paulo Hartung, que finaliza este ano o seu terceiro mandato no cargo, com um total de 12 anos de governo no período apurado, e o ex-governador Renato Casagrande (PSB), que governou por quatro anos no período referido. Casagrande é mais uma vez candidato ao governo estadual na atual eleição.

Somente em 2018, foram registradas 48 tentativas de suicídio na Terceira Ponte, com três mortes no período. Os dados são da Agência de Regulação de Serviços Públicos do Espírito Santo (ARSP).

Pára tudo

A Terceira Ponte liga os municípios de Vitória a Velha, ambos na Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV) e dois dos maiores municípios capixabas. Em condições normais, o tráfego no local já é intenso, e há engarrafamentos. Nos horários de pico, é praticamente impossível transitar pelo local sem enfrentar filas.

A  cada nova tentativa de suicídio no local, pára tudo. As polícias e os serviços de saúde têm de mobilizar efetivos para o atendimento à  pessoa em risco de perder a vida.

Em geral o trânsito pára nos dois sentidos. Como ocorreu nessa segunda-feira (10), quando houve interdição total da ponte entre os horários de 15h19 às 23 horas, quando uma pessoa jovem ameaçava pular da amurada da ponte. Foi considerado o maior engarrafamento no local. O trânsito em Vitória e em Vila Velha ficou caótico e, no outros municípios da região, houve também prejuízo no tráfego.

Quando há fatos desta natureza, que geram tanto grande comoção popular, com as pessoas torcendo para que a tentativa de suicídio não se consuma, mas com exasperação de pessoas, particularmente entre os presos no trânsito, o governo vem a público anunciando medidas.

Agora, no apagar das luzes, a gestão de Hartung se manifesta dizendo que assumirá a construção de proteção nas laterais da Terceira Ponte. Anuncia que construirá uma barreira com barras de dois metros de altura nas laterais, com cabos verticais, sobre os quais, horizontalmente, serão instaladas lanças pontiagudas com dez centímetros de altura.

O governo não anuncia, porém, quando a medida começará a ser  adotada. A Terceira Ponte foi entregue à Rodosol por concessão do governo do Estado e arcar com o custo da proteção nas suas  laterais é uma responsabilidade da empresa.

Leia Também:

0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.