Série: 'A crise na Segurança Pública'

Ao se negar ao diálogo com a PM, governo Hartung tentou manipular a opinião pública

Com o movimento dos amigos e familiares de policiais de fevereiro de 2017, o descaso com a categoria colocou à tona a omissão sistêmica do poder público em relação à segurança da sociedade capixaba. A irredutibilidade na posição de não negociar por parte do governo Paulo Hartung prolongou deliberadamente o movimento, com o intuito de manipular a opinião pública por meio da mídia corporativa, transferindo para a figura do servidor policial a responsabilidade pela má estrutura e gestão do serviço, que são prerrogativas do Estado. 

Quais seriam, afinal, os reais pilares da segurança pública? E os papéis do governo e do policial?

 

0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Matérias Relacionadas

'Um grupo significativo do governo tem simpatia pela Rose'

Articulador político do governo Hartung, Zé Carlinhos avalia o cenário eleitoral do Estado

A Crise na Segurança Pública

Policias militares relatam o aumento significativo de suicídios após o movimento de fevereiro de 2017

A Crise na Segurança Pública

Policias militares relatam o aumento significativo de suicídios após o movimento de fevereiro de 2017

Quem foge de quem?

A campanha se aproxima da reta final e nada de Hartung posar pra foto com o time de aliados