Sindicatos brigam por trabalhadores do Dipe/Vale

Primeira decisão deu ganho de causa para o Sindfer, mas metalúrgicos vão recorrer

A representação dos trabalhadores que atuam nas usinas de pelotização da empresa Vale, que é conhecido como Dipe, gerou uma disputa judicial entre dois sindicatos.  As duas entidades são o Sindicato dos Ferroviários (Sindfer/ES-MG) e o Sindicato dos Metalúrgicos (Sindimetal), que estão numa acirrada disputa intermediada pela 2ª Vara da Justiça do Trabalho do Estado.

O Sindimetal ajuizou a ação alegando que os trabalhadores do Dipe/Vale devem ser representados pela entidade, uma vez que a atividade fim da usina é a metalurgia. Apesar da primeira decisão judicial ter sido favorável ao Sindfer, o Sindicato dos Metalúrgicos vai recorrer para que a Justiça conceda a representação para os metalúrgicos.

Por meio do jornal Boca de Forno, os representantes dos metalúrgicos, além de alegarem que a atividade fim das usinas de pelotização da Vale é a metalurgia, denunciam que a gestão do presidente do Sindfer, João Batista Cavaglieri, tem sido ineficiente e inoperante na defesa dos trabalhadores. Dessa forma, viram a necessidade de representar os trabalhadores do Dipe.

Os metalúrgicos citam, inclusive, perda de direitos que estão na conta de João Batista, como o piso mínimo de R$ 5 mil, perdas dos direitos relacionados ao plano de saúde, como  implante odontológico e aparelho odontológico, além do vale cultura e reembolso para curso superior para trabalhadores com menos de três anos de empresa.

O presidente do Sindfer, ao saber do processo movido pelos metalúrgicos, soltou uma edição extra do jornal da entidade, o Raízes, distribuída aos trabalhadores da pelotização da Vale, em que faz graves acusações à diretoria do Sindimetal. Entre elas de que os metalúrgicos estariam traindo a ética sindical indo contra uma entidade da mesma central, no caso a Central Única dos Trabalhadores (CUT), e de que estariam interessados apenas no dinheiro dos trabalhadores para aumentar a arrecadação após o fim do imposto sindical.

Tais afirmações geraram um desgaste muito grande entre o presidente João Batista e os ferroviários, uma vez que a militância do Sindimetal deu o troco. Foi até a portaria da Vale em Tubarão e realizou uma grande panfletagem para mais de cinco mil trabalhadores no intuito de rebater as acusações feitas pelo João Batista contra os dirigentes do Sindimetal. A disputa promete render pelos próximos meses.

0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Matérias Relacionadas

Oposição exige que Sindfer inicie negociações do Acordo Coletivo

Coletivo enviou ofício ao presidente do Sindicato, João Cavaglieri, cobrando explicações