MDB acelera processo de expulsão de Marcelino Fraga e José Esmeraldo

A disputa entre Lelo Coimbra e Marcelino Fraga pelo MDB no Espírito Santo vem desde 2019

Passado o Carnaval, será acelerado o processo de expulsão do ex-deputado federal Marcelino Fraga, desde domingo passado autoproclamado presidente do MDB estadual, e do deputado estadual José Esmeraldo. Instaurado em 2019, o processo se encontra em vias finais de instrução e recebeu a gota d' água que faltava com a eleição desautorizada para escolha de membros da Executiva, realizada em praça pública, no Centro de Vitória.

“Isso é um ato de covardia, que não vai dar em nada”, comentou o deputado José Esmeraldo, apontando que o processo não tem justificativa. Ele classificou de golpe a atitude da atual direção do partido de adiar a convenção para escolha da Executiva. 

Segundo informações que circulam nos bastidores políticos, não houve eleição de Marcelino Fraga. No mercado político, o evento foi um ato completamente nulo, feito no meio da rua, sem qualquer validade e apenas confirma o descumprimento das decisões adotadas pelo partido.    

Entre os fatos citados, o cancelamento da convenção, formalizado no sábado (15), um dia antes da data prevista. Comunicado oficial da Comissão Provisória, presidida pelo ex-deputado federal Lelo Coimbra, candidato à reeleição, suspendeu a votação, justificando a medida por haver “insegurança jurídica”. 

Para Lelo Coimbra, “Marcelino não foi eleito. Foi feito um circo na praça, sob o comando de um 'maluco-beleza' chamado José Esmeraldo. Sem lastro legal. Sem lastro político. Significa absolutamente nada, exceto o engodo com aqueles que vieram do interior, uns acreditando na validade, outros constrangidos por suas situações de cargos comissionados”. 

O médico e antigo filiado do MDB José Cipriano, de Barra de São Francisco, é enfático: “é uma vergonha o que estão fazendo com o partido”. Ele acredita que Lelo vai perder e por isso está adiando a convenção. 

Cipriano tachou de golpe para se perpetuar no poder a atitude de Lelo e ressaltou que, “se o governador Casagrande não está influenciando, pelo menos torcendo ele está em favor de Marcelino”. 

A disputa interna no MDB já dura mais de um ano, com lances polêmicos e agressões verbais. Em junho de 2019, no último dia do registro de chapa para a eleição, o grupo de oposição liderado por José Esmeraldo reagiu a conseguiu registrar o nome do ex-deputado federal Marcelino Fraga, principal concorrente de Lelo. 

Segundo o documento assinado por Lelo, além das exigências da Lei da Ficha Limpa, não poderiam se inscrever para os cargos de presidente, vices, secretários e tesoureiros, candidatos com condenação em primeira instância por crime doloso que envolva desvio de dinheiro público. 
 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Nacional do MDB mantém cancelamento de convenção no Estado

O atual presidente da Executiva capixaba, Lelo Coimbra, teve o mandato prorrogado por 90 dias

Oposição diz que Lelo quer se manter na direção do MDB estadual pelo 'tapetão'

O ex-deputado Marcelino Fraga apresentou uma certidão da Justiça Eleitoral e afirma que está tranquilo

MDB articula reeleição do prefeito de Colatina para reforçar quadro de filiados

O prefeito Sérgio Meneguelli deixou o partido em 2019 e continua sem filiação partidária

Agressões na sede do MDB no Estado fazem Nacional suspender eleições

Lelo Coimbra e Marcelino Fraga lideram as chapas que concorrem à Executiva Estadual do partido