A caminho

Chega rapidamente o dia em que não haverá pessoas sensíveis

 

O leitor e colega Ademir Barcelos, que sempre acompanha estas crônicas, indagou sobre uma que discorríamos assuntos do livro de Serginho Garschagen “Cemitério de Elefantes”, justamente neste trecho: “... a troca impiedosa que o novo jornalismo faz com os verdadeiros jornalistas em prol dos mais novos, que denomino ‘jornalistas nerds’. Ao serem preteridos, os jornalistas mais antigos carregarão com eles uma verdadeira riqueza informativa para lugar nenhum...”
 
Via Facebook ele perguntou se este caso não aconteceria também aos radialistas. Respondi: Acho que quando aparecer gente preparada a fazer um novo rádio, vai acontecer a mesma coisa, só que ainda não apareceu...
 
Quis dizer que o rádio vai preterir os profissionais completos, cheios de experiências e informações aos mais novos que apenas saibam mexer com informática e playlists da vida.
 
Irá faltar sentimento, amor pelo que se faz. Aliás, essa é uma tendência do mundo, o mundo que caminha para as friezas de marte e outras galáxias. O autor do livro foi bastante feliz, embora seja triste, ao se referir sobre os velhos e bons profissionais, cheios de informações úteis ao dia de hoje, serem abandonados e esquecidos.
 
Chega rapidamente o dia em que não vai haver pessoas sensíveis. Não se verá lágrimas de emoções rolarem pelo rosto e sim lágrimas de tristeza e pesar. É bom falar que em todas as profissões existem emoções ao praticá-las e que isso tende a acabar. Igual aos computadores são solid state.
 
Comentando com um amigo a fazer esta crônica, ele estendeu o problema a todas as profissões. As pessoas que estudam, gastam a vida pesquisando e trabalhando, passam a não valer mais nada no mercado de trabalho. Isto é um fato, pois notamos, infelizmente, muitos idiotas sem preparo – emocional e de conteúdo – em vários setores de comando por ai afora.
 
PARABÓLICAS
 
Toninho Portes, Gilliard Zuque e companhia se preparam para a cobertura da Festa da Penha.
 
Elyan Pipico Peçanha desfalcou por um tempo a equipe de esportes da FM Difusora de Castelo, mas já voltou a ativa
 
Izabel Mendonça dinamizando a assessoria de imprensa da deputada Jane de Sá. Faz um bom trabalho, à altura do seu profissionalismo.
 
Carlos Tourinho está muito bem como âncora. Mostra que sabe muito, tanto por trás das câmeras como apresentador.
 
 
MENSAGEM FINAL
Certos presidentes e ex-presidentes querem fechar a imprensa. Desejam uma lei que os defenda da opinião pública. Aí acaba a democracia. Arnaldo Jabor
 
 
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.