A provocação de Rose

A senadora faz festa em Guaçuí, terra natal de Hartung

Embora ainda não exista certeza sobre suas candidaturas, a leitura no mercado político é que o embate entre o governador Paulo Hartung e a senadora Rose de Freitas, para ver quem pode mais, fica a cada dia mais acirrado, em clara demonstração de que ambos irão disputar o governo do Estado em 2018.

Com muito estardalhaço, mas sem uma declaração explícita, a senadora reuniu uma multidão de eleitores, deputados, prefeitos e vereadores neste domingo (4) em Guaçuí, cidade onde nasceu Hartung, na reinauguração do estádio Francisco Lacerda de Aguiar.

A festa, organizada pela prefeita de Guaçuí, Vera Costa (PDT), ficará na história como o começo do embate. Não houve anúncio da candidatura da senadora, mas o tom provocativo dos discursos deixou claro esse objetivo.

Em sua fala, ela disse que sua história começou em Guaçuí, a terra de Hartung, para onde ela destinou nada menos do que R$ 25 milhões para obras de saneamento, habitação popular, saúde e pavimentação de ruas.

Campeã na liberação de recursos financeiros para as prefeituras, a senadora marca sua atuação nos bastidores dos ministérios, em Brasília. Para as obras do estádio de Guaçuí, foram liberados R$ 390 mil.

“As pessoas lutam por Guaçuí e eu participei disso”. A frase da senadora, emblemática, tem o alvo certo, Hartung, cujo governo é marcado, nos três últimos anos, por um reduzido volume de investimentos, principalmente para o interior do Estado.

Somente neste ano, o governo Hartung começou a aliviar o arrocho fiscal que manteve prefeituras à míngua.  Sem contar com investimentos do Estado, os prefeitos se aliviavam por meio de ações de Rose, reconhecida como muito atuante em Brasília.

Esse quadro dá combustível a seus esforços de disputar o governo do Estado, favorecidos, também, pelo buraco deixado pela indefinição do ex-governador Renato Casagrande (PSB).

Sem gerar fatos consistentes e abdicando de ser a voz do PSB, seu partido, passando esse papel para  assessores sem expressão no mercado político e junto ao eleitorado, o ex-governador transmite a impressão de que não é apenas simples comentário de bastidor a informação de que não disputará o governo.

A se confirmarem essas informações, Casagrande  se contentaria em concorrer ao Senado ou a uma vaga na Câmara Federal.  

No cenário real, por enquanto, a disputa fica entre Rose e Hartung, com o prefeito de Vila Velha, Max Filho, correndo por fora, à espera de uma mudança no quadro das articulações partidárias antes de decidir se entra ou não na disputa.  

  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.