Abril

A famosa Editora Abril fez um pedido de recuperação judicial em agosto

A famosa Editora Abril, do grupo Civita, fez um pedido de recuperação judicial neste mês de agosto. Adotou essa causa quase desesperadora, pois deve R$ 1,6 bilhão. Recentemente teve que demitir 800 funcionários do seu parque gráfico e demais empresas do grupo.

Esse pedido de recuperação envolve o grupo todo, o que inclui empresas distribuídas em várias áreas: Abril Comunicações, com 16 revistas e sites. Entre as revistas, a combativa Veja e a excelente Exame.

Atingida também a gráfica, a maior da América Latina, que além de imprimir o material do grupo, imprime de terceiros, a distribuidora do grupo, a Dinap, e o Total Express, entrega de encomendas.

A Abril detinha a marca brasileira da Playboy. Bateu recordes de vendas, colocando nuas as mulheres mais desejadas do Brasil. A revista Exame, um pilar forte em publicações sobre mercado e economia empresarial.

Mas foi com a Veja que a empresa dos Civita ruiu. Uma revista combativa, mostrando sempre o lado obscuro dos governos e, com isso, foi cerceada financeiramente das verbas governamentais, mexendo com seu alto orçamento.

Eis uma prova que a imprensa não pode combater os governos, infelizmente. Olha o exemplo da Globo, o maior deles. Nunca combateu claramente governo algum. A Abril deu a cara a tapa e está pagando por isso, entre outras coisas.

PARABÓLICAS

Muitos colegas do rádio e da televisão se candidatando a um cargo na Assembleia, sendo que pouquíssimos conseguirão.

O profissional Anselmo Escandiani, após uma incursão de anos no interior, volta a atuar na Capital.

Cláudio DJ continua emprestando seu raro talento de radialista, desta feita na próspera cidade de Aracruz.

Este ano não foi diferente a reunião do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no tocante à entrega do material dos partidos às emissoras. Muita discussão.

MENSAGEM FINAL

“Para mim, o que vicia as relações entre as pessoas é que cada um conserva, na relação com o outro, alguma coisa de oculto, de secreto. Penso que a transparência deve sempre substituir o segredo. E penso muito no dia em que duas pessoas não terão mais segredos entre si porque não mais os terão para ninguém, porque a vida subjetiva, assim como a objetiva, estará totalmente aberta”. Jean Paul Sartre

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
  • Magnum Henrique Santos , terça, 04 de setembro de 2018

    Sou um ex funcionário da TOTAL EXPRESS (do grupo Abril) e fui demitido, junto com a massa de demissões desse Grupo em Agosto, exatamente dia 08/08/2018, faltando 01 dia para recebermos nossa rescisão veio o "Golpe", a empresa entrou com Recuperação judicial Prejudicando centenas de pessoas, que, nao engloba apenas os ex-funcionários e sim toda suas famílias, Não gerou Problema financeiro para "apenas" 900 demitidos, lembrando em conta que varias dessas pessoas tem filhos que dependiam desse dinheiro, a Abril esqueceu, que inúmeras dessas pessoas desligadas precisam pagar aluguel, água, luz, internet, condomínio (Dividas fixas), dentre outras Dividas que foram feitas no período em que estavam trabalhando e que o dinheiro dessa Rescisão daria uma opção quitar essas Dividas até se assegurarem de uma outra oportunidade de trabalho que no nosso país não está nada fácil, pois são 27 milhões de desempregados. Incrível como a justiça aceitou que essa petição de recuperação judicial e ter incluído a mão de obra dos funcionários que foram recentemente demitidos, isso foi um caso pensado da Abril para da um Golpe nos funcionários. Precisamos que a justiça entre ao nosso favor, enquanto os donos da empresa estão em "lua de mel" com milhões no bolso, nós estamos em dificuldade financeira, por que, além de não estarmos preparados para a demissão em massa, não estávamos preparados para não ter recebido esse dinheiro que seria de suma importância na vida de cada um de nós. A justiça precisa correr a nosso favor, com todas as multas de um salário por lei e os juros de mora sobre a rescisão contratual que não recebemos a um mês após a demissão em massa, a Justiça precisa correr ao nosso favor com DANOS MORAIS pela humilhação de ter um aluguel atrasado, por ter recebido uma carta de corte de energia e/ou Água, por ter que passar do outro lado da rua para não ficar de frente com o dono da casa que alugamos. A Justiça poderia ficar ao nosso favor por cada 30% que os advogados vão ganhar de cada um ex funcionário que precisou desse recurso para obter o que é seu por direito e não haveria a necessidade de processos e passar 30% de honorários para advogado, ter que dividir o que teria direito por muitos anos de trabalho pesado, dedicação e suor para ter o devido direito de receber o que deveria ser somente seu. Não apenas queremos, necessitamos desses valores para andamento das nossas vidas e rotina. É um direito nosso! A justiça não pode bloquear nossos direito, A justiça não pode Favorecer uma empresa que errou e esta prejudicando centenas de pessoas que hoje está desempregado. Não fomos nós que erramos, então não podemos pagar por isso. A justiça no mínimo deveria OBRIGAR o Grupo Abril a pagar os ex funcionários. Pois, dependemos desse dinheiro, outras pessoas do nosso vínculo dependem desse dinheiro. Obrigado!