As oportunidades pintam

Mas nem sempre a burocracia do Conar deixa a criatividade ganhar asas

Tem visto o comercial da Coca-Cola para esta Copa das Confederações. Comercial não, propaganda mesmo. Ela não faz comercial, não precisa mais disso. E é justamente por isso que algo me chamou a atenção. Falo da propaganda que a Coca faz alusão às latas coloridas feitas pra a Copa do Mundo, já.
 
No texto, quase no final, o locutor, diz, enquanto as imagens mostram torcedores em plena atividade de pintar muros, ruas com as cores do Brasil. Ele convoca: "Vamos colorir o Brasil!". Ai eu entrei com meu pensamento. Por que uma indústria que fabrica tintas não pega o gancho da gigante Coca-Cola e faz um comercial para veicular no mesmo período e no mesmo canal.
 
Poderia ser a Sherwin Williams, a Coral ou a Suvinil. O texto diria claramente algo do tipo. "A Coca-Cola pede para colorir o Brasil, quem somos mós para discordar: Façam o que ela pede. Nós estamos aqui para ajudar. Vamos colorir o Brasil. TINTAS “X”!
 
Nos Estados Unidos isso pode ser feito sem consultar a envolvida, aqui não sei. Esse Conar é muito chato, rigoroso, ou então pediria autorização a Coca. Tem de se entender que uma não faria propaganda para a outra e nem tampouco prejudicaria.
 
O conceito da Coca-Cola é Mundial. Nada a atinge mais, e outra, ela esta acima de todos esses preconceitos comerciais, merchandising e de imagem. O que poderia acontecer, caso vingasse, seria mostrar as agências de publicidade que ainda existe inteligência na área, e despertar a atenção de milhões de pessoas, que certamente estarão ligadas vendo.
 
Sobre o preconceito de quem faz propaganda de graça para outro produto, vamos dizer que isso é coisa do passado. São ridícula as imagens na TV com um "embaçamento" na logo de um produto.
 
Por exemplo, quem esta lendo esse artigo, por certo, iria tomar sua Coca-Coca como sempre fez ou não. Muito menos comprar uma dessas tintas específicas para pinta sua casa. Não é mais sintomático. Os tempos mudaram. Mas que o comercial faria sucesso, faria.
 
PARABÓLICAS
 
Falar em propaganda, encontro sempre com Zé Fernando Osório, um dos magos da propaganda em Vitória, agora aposentado. Foi em sua agência que Cecília Milanez apareceu com seu talento.
 
Ha uma proliferação de disco vinil em todo lugar. Estão desenterrando o velho e bom vinil. Mas acho que lá no fundo todos nos estamos com saudades das músicas do passado. Isso sim!
 
E um velho publicitário faz sucesso escrevendo para este famoso site. Falo de Álvaro Nazareth, que alem de ser um bom vendedor, agora é um bom articulista. Parabéns Álvaro.
 
MENSAGEM FINAL (UMA DAS FRASES MAIS INTERESSANTES)
 
Quando o Grande Árbitro chega para anotar os pontos ao lado de teu nome, Ele anota, não se perdeste ou ganhaste, mas como jogaste. Grantland Rice
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.