Assessorias e Jornalismo

Vejo claramente um tríduo que move jornalistas e assessores em geral. O repórter é um caçador e o assessor a caça...

Jornalistas e assessores de imprensa. Eles são a mesma coisa, só que um deles hoje está do outro lado do balcão, mas já foi repórter e foi à caça da informação de um assessor.  Porque existem assessores de imprensa? Talvez porque sempre acontece uma coisa desagradável para esconder, para ser dita como convém, ou para proteger e maquiar a imagem numa empresa, de uma personalidade ou de um órgão de governo. Mas também para ajudar a divulgar algo.

Com o advento da internet, dobrou o número de assessores de imprensa trabalhando em cima de e-mails enviados, pois um “controlC/ controlV”  é fácil e rápido. Afinal, não deve haver muito tempo onde o repórter ia lá e apurava o fato; ouvia as partes... Essas coisas que a ética ensinava. Triste sina de muitos jornalistas. Antes viviam farejando corrupções, hoje podem estar trabalhando para os corruptos. É assim principalmente nas Câmaras, nas Assembleias. Ou estou inventando?

Existem repórteres e assessores. Uns maduros e outros inexperientes. O assessor tem hora para tudo. Mas o repórter, esse, ás vezes, tem de deixar de almoçar para finalizar uma matéria. Uns abandonam o momento e vão. Esses são demitidos e podem se tornar péssimos assessores. Mais ou menos assim.

Quando eu trabalhava nas duas das principais empresas de comunicação do Estado frequentava as redações. Tinham os jornalistas carrancudos e os maleáveis atrás de suas máquinas. Fui descobrir depois que aqueles sérios eram da Editoria. Eles que direcionam as reportagens e estas precisavam estar prontas logo cedo. Os mais dóceis eram os de Esporte e dos cadernos que vinham atrelados ao jornal. Passei a entender um pouco mais a função deles.

Hoje vejo claramente um tríduo que move jornalistas e assessores em geral. O repórter é um caçador e o assessor a caça. E tem o leitor (que também é telespectador, o ouvinte e até o anunciante). Estes são os os críticos dos jornalistas. 

Hoje eles têm ferramentas muito poderosas que antes não dispunham; o e-mail, as redes sociais. Com esses recursos, podem comentar as matérias, que muita gente vê, inclusive diretores de redação. E o assessor no meio disso tudo? Está lá, tranquilo, esperando um ataque. Mesmo assim, ser assessor de empresa poderosa ou de político deve ser muito bom. Mesmo sendo a caça e estar do outro lado da mesa.

PARABÓLICAS
 

Tenho nas minhas redes sociais a figura de Otavio Lara, hoje morando distante. Foi um excelente comunicador de rádio!

Eduardo Santos, o nosso velho Dudu, é referência profissional na Rede Vitoria, que, aliás, tem muitas “feras”.

O deputado estadual reeleito Enivaldo dos Anjos, quando dá, vai a Barra de São Francisco e faz programa de rádio, que gosta muito.

Será que com a mudança de bispo em Vitória muda também alguma coisa nas rádios da Cúria?

MENSAGEM FINAL
Falemos sempre bem de qualquer pessoa como se ela estivesse presente. Chiara Lubich

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.