De Chateaubriand a Buaiz

Vim de Cachoeiro para a Capital para trabalhar direto na Rádio Vitória

 

Vim de Cachoeiro para a Capital para trabalhar direto na Rádio Vitória. Na Avenida Jerônimo Monteiro, justamente no décimo andar, no edifício Moisés (pai do médico Shariff), onde funcionavam os escritórios, no andar seguinte, a TV Vitória, e no último, a rádio.
 
O velho Assis Chateaubriand havia morrido um ano antes e o capixaba jornalista, que se tornou político, João Calmon, assumia a vice-presidência do grupo ou do Condomínio dos Diários Associados.
 
Os Diários Associados eram uma potência jornalística no País, talvez mais ou igual à Rede Globo hoje, preservadas as proporções de épocas. Em Vitória, havia o responsável pelos veículos daqui, como também diretores de rádio e televisão.
 
Um cachoeirense comandava a rádio com maestria e foi responsável pela minha vinda na época. O saudoso Oswaldo Amorim, muito aficionado ao esporte também. De vez em quando a gente cruzava com o senador João Calmon, mas apenas um cumprimento. Ele sempre foi tido como um homem “fechado”
 
O “Condomínio” sobrevivia, mas nada era como antes. Muitas empresas do grupo foram à falência; jornais, TVs, revistas, etc. Em 1984, Calmom compra ações de TV dos acionistas restantes e vende a TV Vitória para o Grupo Buaiz, que só mexia com o moinho na época.
 
De lá pra cá, os Buaiz investiram muito na TV, principalmente depois que mudou a bandeira para Record. No pacote veio a Rádio Vitória, famosa na época por ter os programas mais populares. Querendo um bom complexo de comunicação, os Buaiz compraram uma FM, que não era daqui e sim de Aracruz e que veio legalmente para Vitória a duras penas.
 
Hoje, de Diários Associados não há vestígio de nada. Só os nomes permaneceram. A Rádio Vitória passou um tempo meio esquecida, mas ultimamente o grupo passou a investir alto também. A FM está com a bandeira da Jovem Pan, do Grupo paulista Machado de Carvalho, coincidentemente, os mesmos que fundaram a TV Record anos atrás.
 
PARABÓLICAS
 
André Aza, que fez rádio na Inglaterra, voltou para Vitória, onde nasceu e foi para FM Super do Kazinho. Mas já saiu e pode estrear em outro canal.
 
Quem aumenta cada vez seus tentáculos, tanto comercial como tecnicamente é a web Rádio Nero, do Rio. Seu maestro é de Vitória, Nero Abranches.
 
Uma emissora que receberia Ângelo Ribeiro de braços abertos seria a emissora oficial do governo do Estado, a Rádio ES
 
Está nas mãos de Margo Devos e JP a volta de Waguinho Ito ao rádio, com um programa semanal, igual ao que ele tinha antes de se tornar vice-prefeito.
 
MENSAGEM FINAL
 
Jamais corte o que pode ser desatado. S. Brown
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.