Gurus e Curandeiros - parte IV

Zé Arigó conseguiu ver um personagem calvo, com avental branco, supervisionando uma equipe de médicos e enfermeiros

Dr. Fritz

Segundo um relato não comprovado, no ano de 1853, em Munique, na Alemanha, nascia Adolf Friedrick Fritz, de família abastada, mas logo perdeu os pais, sendo tutelado pelos avós. Depois de alguns desentendimentos entre os seus avós, Adolf teve dificuldades em desenvolver-se nos estudos, pois precisou trabalhar desde cedo. Mas conseguiu, no entanto, conhecimento sobre medicina. Se dedicou então aos difíceis estudos na Faculdade de Yverdun, na Suíça.

Depois de se especializar em cirurgia, Adolf operou uma filha criança de um general que veio a falecer. Então, Adolf foi considerado culpado pela general, e Adolf foi preso em cela subterrânea, aonde foi torturado na solitária. Dentro da prisão, Adolf só conseguiu superar a sua mágoa com o auxílio da filha desencarnada do general e de seu mentor espiritual, Fabiano de Cristo, e seus sentimentos tiveram que mudar para que Adolf não se desviasse de sua missão. Um dia, com a cela aberta, ele fugiu para a Estônia, aonde se aprofundou no conhecimento sobre cirurgia.

Aos 61 anos, Adolf foi mandado para o front da Primeira Guerra Mundial como médico cirurgião. Com poucos recursos, seus conhecimentos de cirurgia foram então desafiados, até que durante o conflito Adolf foi atingido por estilhaços de uma explosão de granada e faleceu em 1918.

Já no mundo espiritual, passa pelo processo de livramento das mágoas, com o socorro de seu mentor Fabiano de Cristo, e depois de passar pelo umbral, descobre que para alcançar a luz, esta teria que ser gerada dentro de seu espírito, e Adolf então segue à sua missão de caridade, já com os horrores da guerra e os maus sentimentos superados.

E, depois de um tempo, com a orientação do espírito do Dr. Bezerra de Menezes, este que organizava os trabalhos das equipes de socorristas espirituais, na divulgação, também, da realidade da pluralidade das existências, já na edificação da FEESP (Federação Espírita do Estado de São Paulo).

Quando começa a missão espiritual de Adolf, este passará a ser mais conhecido, contudo, como o Dr. Fritz. No plano espiritual elevado, no amparo fraterno de Francisco de Assis, é designado o espírito de Francisco de Antônio Francisco Lisboa (conhecido como Aleijadinho), no auxílio e orientação do médium José de Freitas, que ficaria mais conhecido como Zé Arigó. É então que este médium passa a incorporar o espírito que agora seria denominado de Dr. Fritz.

Nos anos 1950, Zé Arigó sofria perturbações que envolviam visões, transes, insônias e dores de cabeça que quase o levaram à loucura. Ainda havia, também, uma voz que lhe acompanhava aonde quer que fosse. Contudo, depois deste período em que a sua mediunidade se encontrava em desarmonia, esta voz que lhe acompanhava o levou a um estado de desdobramento, foi quando Zé Arigó conseguiu ver um personagem calvo, com avental branco, supervisionando uma equipe de médicos e enfermeiros, tudo isso dentro de uma sala de cirurgia.

O espírito, embora falasse outra língua, era compreendido por Zé Arigó, e naquele momento o médium era o escolhido pelo Dr. Fritz para a realização de suas cirurgias e curas espirituais. A partir daí, Congonhas passou a ser o centro em que o trabalho do Dr.Fritz, via Zé Arigó, se desenvolveu. Zé Arigó, por fim, foi processado por prática ilegal de medicina ao menos por duas vezes, e morreu num acidente de carro em 1971, morte violenta que fora prevista pelo próprio médium como um pressentimento inexplicável.

Tragicamente, após a morte de Zé Arigó, o Dr.Fritz passou a se manifestar através de dois médiuns baianos, os dois eram irmãos, e após a morte do primeiro em um acidente automobilístico, o espírito do Dr.Fritz passou a se manifestar no outro irmão, este que também viria a morrer num acidente automobilístico. Dr.Fritz também se manifestou em um médium mato-grossense, o qual foi detido em 1998 acusado de exercício ilegal da medicina, charlatanismo e formação de quadrilha. Atualmente, o médium atua em Uberaba, Minas Gerais.

Ao final da década de 1970, Dr.Fritz também se manifestou em um médium pernambucano, que teve seu registro profissional de médico cassado posteriormente, sendo enfim absolvido em 1985 pelo Conselho Federal de Medicina, o médium acabou sendo assassinado a facadas pelo seu caseiro em 1991. Dr.Fritz continuou se manifestando em alguns médiuns, dentre eles podemos destacar a médium Aylla Harard, que me meados de 2003 começou a trabalhar com a entidade do médico.

Dr.Fritz, já em cinco décadas de atuação espiritual, passa do receituário instantâneo, além das cirurgias sem assepsia com instrumentos perfuro-cortantes aparentemente inadequados, e incrementa seu tratamento, posteriormente, com água fluidificada, passes e desobsessão. Suas cirurgias sui generis sempre tiveram a característica de quase nenhum ou ausência total de sangramento, cicatrizações rápidas sem necessidade de suturas, nada de infecções pós-operatórias, dores ausentes ou reduzidas durante as intervenções, e tudo isso com uma instrumentação de assepsia questionável.

Link recomendado

 

Gustavo Bastos, filósofo e escritor.
Blog
: http://poesiaeconhecimento.blogspot.com

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.