Jairo Maia

Existe um grande predicado no sucesso de JM: a sua humildade

 

Nota: Depois de todos sentirem e falarem do passamento de Jairo Maia, nós deveríamos também prestar nossa homenagem. Mas resolvemos trazer de volta esta crônica sobre ele, escrita em 26/05/2005. Queria Também deixar registrado minha homenagem a Zé Henrique Pinto, companheiro de mais de 30 anos no rádio. 
 
 
Pode-se dizer que ele seja o único verdadeiro radialista do Estado e um dos poucos no Brasil, não desprezando os demais, até porque nos incluímos entre estes. É próprio da humanidade enaltecer quem desaparece, fazendo homenagens e grandes reverências. Por que não em vida? Aliás não estamos prestando homenagem a ninguém. Fazemos o exercício do reconhecimento pleno.É muito difícil nos dias de hoje chegar aos 70 anos de vida e 50 de carreira em pleno vigor, mantendo uma grande audiência e produzindo a todo vapor. Conhece alguém mais? Onde? mostre! Só aqui, com o senhor Jairo Gouveia Maia, natural de Bom Jesus do Norte, e com esta grande vantagem, isto é, não ser de "fora", não ter vindo, por exemplo, de Minas, como a maioria.
 
 
Mas existe um grande predicado no sucesso de JM: a sua humildade, aliás, aliada à sua sinceridade. Sempre soube pedir, sempre foi sincero e tudo isso deve ter marcado a sua carreira. 
 
Tem-se notícia de apenas uma vez que ele mudou de rádio por conta própria, sem ser convidado. Foi quando comprou, juntamente com seu sogro Jefferson Dalla, a Rádio Capixaba, até então pertencente a Cúria Diocesana do saudoso Arcebispo Dom João Batista da Motta e Albuquerque. Das outras vezes, saiu a convite da rádios.
 
JM tem um grande retrospecto a seu favor. Como ele próprio costuma dizer: "é missa de corpo presente". Fala o que acha e geralmente acerta no que diz, principalmente em se tratando de rádio e seu pessoal. Quantas e quantas vezes falou bem de um, e que em breve virou sucesso e falou de outro, que realmente sucumbiu. Sabe sempre distinguir.
 
São poucos os que se mantiveram no rádio como JM se mantém, tanto moral, profissional e financeiramente. Mas, segundo ele, tem de gostar do que faz e ele teve essa sorte, como poucos. Cuidou dos pais, formou os filhos e ainda continua a ser uma lenda no rádio.
 
Jairo Maia deveria ser referência nas matérias de rádio e TV dessas faculdades por sua saga, seu conhecimento e sua índole, pois o meio é pobre e fraco de pessoas que possam dignificá-lo, com raríssimas exceções. Tem um pessoal radialista que chega a envergonhar outros, mas sempre foi assim e esperamos que essas faculdades melhorem, principalmente se estudarem Jairo Maia como referência. 
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.