Juntos, mas nem tanto!

Max Filho, Norma Ayub e Ferraço se articulam, mas cada um segue o seu caminho

As articulações políticas em torno da formação de chapas para as eleições de outubro mostram um quadro ainda sombrio, com um colorido em que podem ser visualizadas várias cores sem, no entanto, formar um matiz definido.
Ainda há muitas cores misturadas, cheias de imagens distorcidas, sem nitidez, como, por exemplo, as recentes conversas entre os “Maxs” – o pai e o filho, prefeito de Vila Velha e postulante ao Palácio Anchieta nas eleições de outubro próximo -, e a nova presidente estadual do DEM, deputada federal Norma Ayub, com participação de seu marido, o deputado estadual Theodorico Ferraço.
A partir do encontro ocorrido em Brasília nessa terça-feira (26), começa a se fortalecer o núcleo de oposição sistematizada ao governo atual fora do eixo do corporativismo empresarial onde há anos transitam com grande desenvoltura o governador Paulo Hartung e o ex-governador Renato Casagrande (PSB).
No entanto, essa aproximação não significa uma parceria totalmente formalizada, como pareceu no primeiro momento. Estão juntos como frente de oposição a Hartung, mas cada um segue seu caminho, independente das posições assumidas.
O prefeito Max Filho reúne, no contexto político atual, condições essenciais para liderar um bloco de oposição aos movimentos de Hartung, sendo sua reeleição ou quem ele indicar. Por isso, não desistiu de caminhar rumo ao Palácio Anchieta.  
Esforça-se para superar as barreiras impostas por Hartung, por meio do deputado estadual Hudson Leal, e de lideranças do Podemos no Estado, que rejeitaram sua entrada no partido, visando inviabilizar sua candidatura. 
As conversas com o presidente nacional da sigla, senador Álvaro Dias, prosseguem em Brasília. Paralelamente, Max Filho mantém contato com outras lideranças a fim de garantir acolhimento depois de sua saída do PSDB. 
Com essas articulações, a definição de maior nitidez no cenário ainda está longe. No entanto, existe uma certeza: o prefeito de Vila Velha é candidato ao governo nas eleições deste ano.
E, apesar das barreiras, ele provoca reboliço no mercado, em decorrência de seu histórico e de seu preparo para enfrentar o jogo
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.