Menos um pouco

Tudo está na medida da saturação e quase virando coisas banais

Esse negócio de “tungar” o veto dos royalties, de “blindar” a quadrilha do escritório da presidência de São Paulo, de ministro vir dizer que seu partido é que começou a moralizar tudo, de prefeitos eleitos caírem nas mesmas armadilhas, tudo isso está na medida da saturação e quase virando coisas banais. O que é pior!

Estupros entre crianças da família, assaltos com morte estúpida. Isso que aparece noticiado nos jornais e na TV é apavorante. A guerra de mísseis no oriente médio parece ser normal. As mortes em série na noite de São Paulo e nada de solução. Tudo vulgar!

Outro dia um senhor ao meu lado falava do carnaval e do Natal. Achando tudo sem emoção. Dizia que Natal as pessoas fazem de tudo e cada vez mais esquecem o aniversariante do dia, o significado de seu nascimento. . Ele tem razão.

Isso aqui não é uma crônica de fim de ano, não nenhuma retrospectiva. É uma crônica banalizada também. O meu receio é de sempre tocar nesses assuntos e isso vira uma banalização entre os leitores.

Uma vez vi um experiente homem de rádio ensinando a uma repórter de externa a ser sucinta. A falar sem escrever o texto. Ele dizia: “Fala o que você vê, vai narrando tudo ao seu redor”.

É assim que eu faço. Escrevo o que vejo e o que sinto, como nessa crônica. Só que o tema é bastante ridículo num final de ano. Mas não dá para fazer um escrito de acordo com o espírito da época, pois esse espírito já não é o mesmo. Sinto isso!

PARABÓLICAS

Mário Fernando com suas empresas de comunicação (atendendo mais o setor gospel) contribui para a grandeza da imprensa capixaba.

Quem aderiu às modernidades do Facebook foram dois grandes radialistas: Moyses Santos e Dery Santos

Nero Neto com projetos mais ambiciosos para sua Rádio Nero, agora uma marca em rádio web no país.

O novo prédio da Rede Sim Sat na Avenida Vitória já começou a ser habitado aos poucos. Já por lá está a rádio AM 1.290.

MENSAGEM FINAL

Não há noite tão longa que não encontre o dia. Cardeal de Retz

  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.