Moço velho 2018

Letra da canção imortalizada por Roberto Carlos retrata, diretamente, os festejos de Natal

O poeta e compositor paulista Sílvio César foi imortalizado por Roberto Carlos na música Moço Velho, de 1973. A letra dessa canção retrata diretamente, mesmo sem fazer referência, os festejos de Natal. Traz uma profunda análise interior daqueles que se entristecem ou acham a data muito significativa interiormente.
 
Acima de tudo, a letra mostra uma pessoa triste, mas consciente de sua existência e que, no fim, tudo que faz, tudo que fala, tudo que sente, é “porque ainda crê no amor”. E o amor é a tônica do Natal.
 
Acompanhe a letra por esse prisma e se souber a música, melhor ainda: Feliz Natal!
 
“Eu sou um livro aberto sem histórias
Um sonho incerto sem memórias
Do meu passado que ficou.
Eu sou um porto amigo sem navios
Um mar, abrigo a muitos rios
Eu sou apenas o que sou
Eu sou alguém livre
Não sou escravo e nunca fui senhor
Eu simplesmente sou um homem
Que ainda crê no amor
Eu sou um velho, um velho moço
Que não viveu cedo
Que não sofreu muito
Mas não morreu tudo
Eu sou alguém livre
Não sou escravo e nunca fui senhor
Eu simplesmente sou um homem
Que ainda crê no amor”.
 
PARABÓLICAS
Ricardo Carone esteve presente no dia último dia seis de dezembro no Ministério das Comunicações, quando assinou o Contrato de Migração da tradicional Rádio Cachoeiro AM para a Cachoeiro FM, agora na frequência 96,3 MHz. Deve entrar no ar após o carnaval.
 
MENSAGEM
"Todas as coisas realmente grandes acontecem em si de modo lento e pouco aparente'. Tolstoi
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.