O copo tá cheio

Chega um momento, um dia, uma hora que começamos achar tudo chato, saturado

Como dizia Gonzaguinha: “O copo tá cheio já não dá pra engolir”. Simples assim! Chega um momento, um dia, uma hora que começamos achar tudo chato, saturado. A começar pelo negócio que fazemos, ou seja, a comunicação. A televisão esta repetitiva, o esporte está comum, os noticiários mostram o mesmo estilo de conteúdo, na política é o mesmo fato, na economia a mesma conversa.
 
Nada de novo. Os programas de TV continuam sendo as novelas. Todos os canais no mesmo esquema. No rádio, os mesmos: Roberto, Yvete, Thiaguinho, Anitta (com dois tês) etc. Não aparece nada bombástico na música contemporânea. Na esfera internacional as revoltas e a queda da economia. Nada de novo. Reparem só.
 
Caindo na realidade, ano que vem chega mais uma campanha política e ela promete ser uma das mais acirradas dos últimos anos, porque o PT vai querer assumir o governo estadual talvez, e mesmo assim, cairemos na mesmice dos programas políticos na TV e no rádio. Isso tem de acabar. Ninguém aguenta, ainda mais agora que a classe política esta mais que desgastada.
 
Até no esporte as coisas não mudam. No futebol, a mesma lenga-lenga. Os times perdem e trocam de técnico. Ninguém ainda experimentou trocar os dirigentes. No vôlei as meninas e os meninos ganham, mas estão aquém do que já fora. Temos de nos contentar com Usain Bolt.
 
Nas novelas então, nada de novo. As mesmas caras, as mesmas interpretações, os mesmos roteiros. E a sociedade, esta mais à mercê da violência, em todas as camadas, fora os que teimam aparecer nas colunas sociais. Vivem em outro mundo. Ou seremos nós que vivemos?
 
Agora, tem duas coisas boas por ai, sendo que uma pode mudar e outra não. A que muda é o crescimento do meu neto Enrico. É bom vê-lo crescer. E o que não pode mudar é a rotina de caminhadas na ida e vinda ao trabalho. É oxigênio na cabeça para aturar melhor.
 
PARABÓLICAS (perguntas)
 
Maely entrando com força no ramo das comunicações em áudio e vídeo. Outdoors em papel vão ser superados?
 
Marcelo Penido, repórter esportivo da Rádio Globo do Rio, seria sobrinho de Penido o narrador?
 
Por anda Fernando Melosquencia, o magnânimo? Fernando trabalhou nos tempos áureos da Rádio Capixaba.
 
Será que o pessoal das rádios deu um tempo no Ibope. Não vejo nenhuma pesquisa por ai. Ou chegaram à conclusão que Ibope é balela?
 
MENSAGEM FINAL
 
Nós todos somos alegres se só conhecemos isso. Dostoievsk
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.