Peças publicitárias aquém do evento

A Olimpíada Rio 2016 já acabou faz alguns dias, mas ainda repercute na minha cabeça a baixa qualidade das propagandas dos patrocinadores

A Olimpíada Rio 2016 já acabou faz alguns dias, mas ainda repercute na minha cabeça a baixa qualidade das propagandas dos patrocinadores. As de Rede Globo foram Claro, Coca-Cola, Fiat, Bradesco, P&G e Nestlé. Cada cota dessas teve um valor de R$ 255 milhões e o faturamento com as seis foi de R$ 1.5 bilhão.
 
O que quero dizer é que antes as propagandas eram mais profundas, tocavam mais as pessoas. Não sei se é a nova geração de criadores que as agências possuem, mas o fato é que as propagandas estão horríveis, sem mensagem alguma.
 
Nessa Olimpíada elas repetiam muito na emissora oficial dos Jogos, a Globo, e nem assim entraram bem na cabeça da gente. Talvez quisessem produzir filmes com alegria, devido à magnitude do evento para a festa do esporte. Se foi isso, não colou
 
A Claro foi muito infeliz com o tal “Maior Edu de todos os tempos”. Feia e chata. A Coca-Cola foi a melhorzinha, mas poderia ir mais longe, pela fama que tem de apenas segurar a marca. Nunca fez varejo.
 
A Fiat pecou demais com seu lançamento, o Mobi. Aliaram o nome a movimento (MOBIlização) e então tanto a musica como a dança foram temas, mas de péssimas imagens.
 
O Bradesco, denominado o patrocinador dos Jogos, quis emplacar uma musiqueta. Não pegou, ninguém guardou e nem a mensagem passou. Um tiro no escuro. E esse bordão “Bra de Brasil, Bra de Bradesco” também enjoou.
 
A P&G, detentora de vários produtos consagrados, escolheu entre eles um amaciante para cabelo feminino. Comercial muito ruim. A modelo feia e falando portunhol. Muito aquém de uma empresa do porte da P&G.
 
Por fim, a Nestlé escolheu o nosso velho e cansado Batom, coisa nossa, capixaba, mas que eles querem modificar. O comercial não despertava nenhum desejo de consumir o produto. Era intercalado com Nescau, sempre com o tema de saúde e qualidade para crianças.
 
Um comercial que valia a pena ver toda vez que aparecia era o da Sansung, que é uma das patrocinadoras dos Jogos desde 1988. Usaram imagens e hinos de vários países. Bem emocionante.
 
Outra coisa, a Olimpíada tem seus patrocinadores mundiais. São eles: Coca-cola, Bridgestone, Dow, GE, MacDonalds, Omega, Panasonic, P&G, Sansung e Visa. O COI veiculou também uma série de comerciais sobre a competição de alta qualidade.
 
EM TEMPO: Informamos que os produtos citados nesta coluna saíram por livre e espontânea vontade do articulista, até porque não precisam de crônicas para melhorar suas vendas.
 
PARABÓLICAS
 
Todas as rádios por conta dessa ingrata propaganda política obrigatória. Um dia isso ainda vira tiro saindo pela culatra.
 
O velho e bom companheiro jornalista Toninho Miranda em Cachoeiro, curtindo nossas redes sociais
 
Por falar em Caxú, o primo Mauricio Mignone continua firme editando e distribuindo seu jornal social O Mirante
 
O governador PH falou em duas rádios nessa ultima semana. Na Sim e na Super do Kazinho. Foi pessoalmente
 
MENSAGEM FINAL
 
O cemitério está cheio de insubstituíveis. Napoleão Bonaparte
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.