Política italiana

Acho que todo brasileiro sonha em ser político

 

Fico vendo a luta que se trava para que o cidadão se torne um político. Acho que todo brasileiro sonha em ser político. O exemplo está com Renan Calheiros. Acusado, criticado, crucificado e de repente volta ao poder. O cidadão se empolga com a política. Quer ser político.
 
Porque escrevo isso? É que neste mês de fevereiro tem eleições na Itália. Os italianos escolheram um novo parlamento, que é o quem manda por lá. Presidente da República tem também, mas não é nada, ninguém, apenas uma representação, uma figura decorativa. Quem manda mesmo é o primeiro-ministro.
 
Mas na Itália há também os deputados e senadores. Quatro dessas cadeiras podem ser preenchidas por representantes de italianos “oriundi”, ou seja, natos e descendentes (com direito a voto) que moram fora da Itália.
 
Tem brasileiros descendentes de italianos que se candidataram para essas eleições e fazem campanha como qualquer político. Percorrem o país deles, no caso o Brasil, como tem também na Argentina etc. Só tem de estar “ligado” a um candidato ao Senado de lá.
 
Aí está uma chance que nenhum político aquilatou. Já pensou você ser político na Itália? Pertencer ao Senado ou a Câmara de lá? De votar, discutir leis de lá? De negociar coisas e por aí afora? Deve ser mais emocionante do que estar em Brasília e além do mais com um “handicap” de não ter nenhum eleitor te enchendo o saco.
 
E tem mais, do jeito que a raça italiana é muito desunida, é provável que você ganhe a eleição e quem votou nem vai querer saber sobre o resultado do seu trabalho lá, que deve ser para defender os direitos dos italianos e descendentes “l’estero”
 
Está aí uma eleição importantíssima (para quem quer ser político) que os políticos com descendência estão deixando escapar. Ou seja, que muito políticos profissionais não vão disputar ou que não estão sabendo.
 
Eu, como descendente (entre o árabe e o italiano pesa mais o último), já escolhi em quem votar. É mulher, bonita e decidida. Vai adoçar um pouco a amarga política italiana. Alguém já ouviu falar em Berlusconi?
 
PARABÓLICAS
 
O ex radialista Guilherme Amorim está sempre presente no Facebook, ora matando saudades dos colegas ora falando com a família
 
Fernando Palhares deve estrear em novo prefixo brevemente. Tem um bom programa de sertanejo raiz.
 
A ida de Penido para a Rádio Globo (futebol) não mexeu na grande de audiência da Tupi no Rio. O baixinho Santiago continua bombando.
 
O colunista Wesley Satlher se revelou um grande apresentador de eventos, como aconteceu no da Record News. Um novo jeito de fazer esse trabalho.
 
MENSAGEM FINAL
 
“Pois todo homem que se eleva será rebaixado, mas quem se rebaixa será elevado.” São Lucas
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.