Poucas & boas II (com colaboração da Sulradio)

O que Dilma teria conversado com os executivos das principais emissoras de TV do País?

 

NOTA - Entrou na fase final a elaboração do Plano de Desligamento da Televisão Analógica no Brasil. Começaria em 2015 nas grandes cidades e terminaria em 2018. A proposta aguarda decisão final da presidenta Dilma Rousseff.
 
OPINIÃO – Aliás isso é munição para a reeleição da presidente. Ela deve doar receptores digitais para a população de baixa renda, o povo dela. Por isso Dilma dirá quando será.
 
NOTA - Insatisfação com baixo número de espectadores tem levado igreja a discutir nova estratégia de comunicação. CNBB deve aprovar este ano documento com parâmetros para setor; canais discutem formas de colaboração entre si
 
OPINIÃO – A Base de sucesso é a programação da Canção Nova do Padre Jonas Habib. A Igreja deverá se basear nos conceitos de linha de programação desta entidade para se fortalecer perante o rebanho
 
NOTA - O Cade deu 30 dias para que o Ecad e seis associações efetivas (com direito a voto) paguem a multa de R$ 38 milhões. As entidades foram condenadas em março deste ano por formação de cartel e por abuso de poder.
 
OPINIÃO – Quando o Cade estipulou essa multa, ele deveria saber que o Ecad teria ou não a grana. Se não tiver, é para então o órgão ser submetido á outra autarquia e ficar com mãos e pés amarrados.
 
NOTA - A presidente Dilma Rousseff teve reuniões privadas com dirigentes de emissoras de televisão. O presidente do SBT, José Roberto Maciel; o vice-presidente das Organizações Globo, João Roberto Marinho; Amilcare Dallevo, sócio da RedeTV; Alexandre Raposo, presidente do Grupo Record e João Carlos Saad, presidente do Grupo Bandeirantes. O Planalto não revelou o teor das reuniões.
 
OPINIÃO – O motivo é claro. O apoio das redes, com seu jornalismo, em favor das causas do governo federal, em relação aos programas populares. Com isso fortalece a campanha presidencial em vários aspectos. Vamos ver como será isso.
 
NOTA - A Câmara dos Deputados defende a proposta de lei que amplia as opções de horário para o início da transmissão do programa A Voz do Brasil nas rádios de todo o país. Afirme que “A obrigatoriedade de veiculação em horário único não garante ouvintes. Pelo contrário, a audiência acaba despencando quando começa A Voz do Brasil”.
 
OPINIÃO – Pela primeira vez concordo com eles. Mas, na realidade, deveriam colocar o programa com opção de ser gravado ou não, retransmitido ou não e fragmentado em blocos
 
PARABÓLICAS
 
Gatão está trabalhando em duas emissoras distintas, ambas como programador musical, a FM America e AM Tribuna
 
Fernando Palhares saiu com seu programa da Universitária FM e não foi substituído por nenhum outro programa sertanejo
 
Rogério Lima, o Djeisinho, empresta toda sua habilidade de edição e operação técnica em geral na FM Líder.
 
90% das rádios do Brasil têm o titulo “Show da manhã”, para o horário entre oito e meio-dia
 
MENSAGEM FINAL
 
Quando alguém está deprimido, um grama de ajuda é melhor que um quilo de prece. Edward R. Bulwer-Lytton
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.