Resgate no meio rural

Ao retomar diálogo com o Comitê de Educação do Campo, Casagrande começa a desfazer ações nocivas à educação adotadas por Hartung

Em meio a estranhas ações do governo federal para a educação, extremamente nocivas, configurando um desmonte de setores ao desenvolvimento socioeconômico e cultural no País, o Espírito Santo experimenta o início do resgate da Educação do Campo, programa setorial que irá permitir a reabertura de escolas no meio rural.

A desastrosa gestão do ex-governador Paulo Hartung, apesar dos louros de parte da imprensa neoliberal conservadora, resultou no fechamento de dezenas de escolas, por meio da municipalização de unidades pedagógicas e a falta de recursos das prefeituras para mantê-las. 

Como se isso não bastasse, o governo anterior extinguiu os conselhos de escolas com menos de 100 alunos e, dessa forma, trancou o recebimento de recursos estaduais e federais. 

Esse quadro caótico começa a mudar, com o aceno do governo Renato Casagrande de retomar o diálogo, comprometendo-se com as prioridades do plano de ação estabelecido pelo colegiado até o primeiro semestre de 2020. 

A política educacional de Hartung alcançou as raias do absurdo e foi motivo de manifestações desde o início do seu terceiro mandato. Em fevereiro de 2016, trabalhadores rurais ocuparam durante 11 dias a Secretaria de Educação (Sedu) tentando o diálogo com o governo para pedir a reabertura de turmas de escolas no campo, sem obter êxito. 

Além disso, o governo, de forma autoritária e sem ouvir os interessados, negou a Pedagogia da Alternância, método de ensino utilizado em todo o país em comunidades camponesas. As alterações impostas pelo governo afetou a vida de centenas de crianças, obrigadas a deixarem seu habitat natural para estudar nas cidades, com prejuízos de todas as necessidades específicas da educação no campo. 

Depois de quatro anos com as portas da Secretaria de Educação fechadas para debater essa questão, colocando-a entre as prioridades da administração, o governo dá um passo à frente ao assumir compromisso de retomar as diretrizes originais do programa educacional do Estado, antes das modificações da gestão Paulo Hartung, e fazer a adequação legal, em virtude de novas normatizações publicadas no período, promovendo a homologação.

Por meio da interação do governo com o Comitê de Educação do Campo do Espírito Santo (Comeces), fica finalmente aberto o necessário canal de debate, que irá permitir a adequação da estrutura da Sedu para atender às demandas do campo e analisar os processos de reabertura de escolas. O cumprimento dessa tarefa, como se espera, reabre um cenário de esperança e deve ser motivo de comemoração. 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.