Rose balança o coreto de PH

Decisão de última hora da senadora de trocar o MDB pelo Podemos, para disputar o governo, desorganiza cenário eleitoral armado por Hartung

A decisão de última hora da senadora Rose de Freitas de trocar o MDB pelo Podemos, e sair candidata ao governo do Estado, nocauteou o governador Paulo Hartung, pela surpresa num momento em que ele já tinha organizado todo o processo eleitoral para garantir seu favoritismo na próxima eleição e, sobretudo, por não ter como mais mexer no universo que preparou. 
 
Em matéria de PH, Rose não é uma incauta que está mexendo com um demolidor de lideranças e partidos sem saber o que faz. Tem histórico de ações de confrontamento com ele que surpreendem. Nas eleições de 2014, em que PH venceu Renato Casagrande (PSB) e levava a tiracolo o petista João Coser para fazê-lo senador, a Rose, em seu mesmo partido, candidatou-se ao Senado e derrotou Coser surpreendentemente. Então, esta Rose que agora está botando PH para correr, é a mesma desse episódio.
 
PH perdeu o rumo a ponto de aparecer em A Tribuna nesse domingo (8), dia seguinte à decisão de Rose, com seu secretário de Segurança Pública, André Garcia,  que estava a caminho do PSDB para ser candidato a deputado estadual, apresentando-o como provável candidato ao governo do Estado pelo MDB, sem que ele sequer tenha condições de enfrentar esta disputa.
 
A candidatura da Rose vem em uma hora em que PH a esperava no MDB para derrotá-la na convenção e abater mais um pré-candidato ao governo. Não vai ser fácil. O momento escolhido por Rose encontrou PH na sua fase mais cruel com o seu próprio partido e quando deslocou o deputado estadual Erick Musso, presidente da Assembleia Legislativa, do MDB para o PRB. A legenda perdeu mais três deputados estaduais.
 
PH estava em franca atividade de movimentar pessoas e partidos e Rose vem com sua atitude colocar freio nisso, abrindo condições de sua candidatura oferecer abrigo àqueles que PH escanteou neste processo eleitoral, como é o caso do prefeito de Vila Velha, Max Filho (PSDB), e do deputado estadual Teodorico Ferraço (DEM). Quem duvida que estarão neste palanque? Assim como outros. 
 
Rose enfraqueceu PH e deixa sem rumo a candidatura de Renato Casagrande (PSB), já que representa um agregador de forças anti-PH, o que Casagrande não conseguiu ser até agora.
 
A senadora é conhecida pelas suas atividades junto aos prefeitos. Desde que se elegeu deputada federal, traz recursos federais para os municípios.   Justamente para onde PH se volta agora jogando dinheiro à vontade para conseguir votos para sua reeleição. 
 
Esta arte de Rose no confronto com PH foi tão bombástica que ela entrou pelo Podemos, o partido que estava trancado na mão do deputado estadual, Hudson Leal, que teve de sair correndo do partido, indo também para o PRB.
 
O estrago foi total. PH pensou que tinha nocauteado Rose no MDB na disputa pela candidatura ao governo e se deu mal. Rose está aí, caminhando a galope. 
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.