Sugestão Netflix ??? um filme necessário

Indicado ao Oscar, Strong Island supera a maioria dos documentários, por mesclar a experiência familiar com a crítica social

Em minha opinião, os Estados Unidos não são, nem de longe, um país que sirva de parâmetro para comparar problemas sociais, vide alguns exemplos no Brasil de pessoas que insistem em utilizar a experiência dos Ianques como espelho para nossa sociedade. A verdade é que, na maioria das vezes, essa transfiguração de uma realidade estrangeira para solo nacional resulta catastrófica. Este não é, felizmente, o caso do Documentário Indicado ao Oscar, Strong Island.
O filme conta com uma trama bem urdida que instiga o espectador, já que as partes mais interessantes não são reveladas de pronto, os personagens não surgem como pessoas que sempre estiveram ali, e o passado deles é contado desde o início do filme. Este retrospecto faz-se essencial para melhor compreendê-los. 
William é o personagem principal desta história. É o irmão mais velho da diretora, que tem o trabalho de reunir os depoimentos de parentes e amigos próximos a seu irmão. Num clima ao mesmo tempo sério e descontraído, os entrevistados revelam a personalidade de William, um jovem calmo, que nunca se envolveu em confusões, mas que morre precocemente, assassinado por motivo fútil. 
A trama torna-se ainda mais real pelo fato de William ter sido irmão mais velho da diretora. Teria sido impossível atuar diante da indiferença dos funcionários da Justiça referentes ao assassinato de seu irmão e isso fica claro pelas reações dela e dos outros entrevistados. 
Por fim, este filme supera a maioria dos documentários, por mesclar a experiência familiar com a crítica social, uma espécie de As Histórias que nós Contamos, de Sarah Polley, com um bom filme de cunho político.  
  • Palavras-Chaves
Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.