Ação, reação

Comemorada pela Direita e Magno Malta, retirada da faixa Lula Livre no Centro vai parar na Polícia

Gravada e espalhada nas redes sociais por integrantes da direita, em clima de êxtase, a retirada da faixa Lula Livre estendida em imóvel na Praça Costa Pereira, Centro de Vitória, chegou à Polícia Civil. Nesta quarta-feira (18), foi registrado um Boletim Unificado (B.U) pelo representante legal da proprietária do edifício Orozimbo José Coelho, antigo Hotel Europa, por crime contra o patrimônio e invasão de propriedade alheia. A faixa, como aponta o documento, foi fixada a pedido da dona. “Os suspeitos colocaram escada, retiraram sem autorização e ainda filmaram e publicaram em rede social, atentando contra a liberdade de expressão”. O boletim cita, ainda, “que ao final do vídeo, um dos suspeitos diz ser faixa preta e que está aguardando quem for reclamar com ele”. O denunciante manifesta desejo de representar criminalmente contra os envolvidos. O vídeo foi divulgado ao vivo no último domingo (15) nas redes sociais da Direita Espírito Santo e do agente da Polícia Federal Gilvan (Aguiar Costa), que disputou a Assembleia Legislativa nas últimas eleições pelo PSL, com votação inexpressiva, e é pré-candidato a vereador em Vitória. O auge da repercussão não foi, porém, nos perfis de Gilvan, e sim no compartilhamento feito por Magno Malta (PL): “Nota mil, parabéns”, comemorou o ex-senador.

Números
Pra se ter uma ideia, o comentário-compartilhamento de Magno do vídeo registra, até esta quarta, 5,2 mil curtidas, 1 mil comentários e 2,2 mil compartilhamentos. Já a transmissão ao vivo da Direita ES, no domingo, bateu 17 mil visualizações.

Discurso eleitoral
A faixa havia sido “inaugurada” em ato público do PT no Estado dois dias antes da operação de retirada. No vídeo sobram xingamentos ao ex-presidente e à esquerda, além de exaltação à bandeira verde e amarela e ao slogan da campanha do presidente Jair Bolsonaro, “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”. Junto com o enredo da gravação, muitas risadas.

Discurso eleitoral II
A fala sobre a faixa preta de jiu jitsu é do agente Gilvan, que aproveitou para criticar o prefeito de Vitória, Luciano Rezende (Cidadania), “porque não assume o compromisso e a responsabilidade de bater no peito e ir pra cima  da criminalidade” e o governador Renato Casagrande, “socialista, que tem a visão de que marginal é vítima da sociedade e coitadinho”. 

De longe
Ao contrário de Magno, o presidente do PSL no Estado, Carlos Manato, se manteve em distância segura da operação comandada por seu filiado. Nada de compartilhamentos, etc. e tal.

Sem apoio
No ano passado, uma matéria publicada no site do Sindicato dos Inspetores do Sistema Penitenciário do Estado (Sindaspes) criticou articulação feita por Gilvan em Brasília, que também ficou conhecida por vídeo, para angariar votos com a categoria. “Estratégia sensacionalista e oportunismo eleitoreiro”, criticou na época o presidente da entidade, Sostenes Araujo. 

Agora cola?
Gilvan teve 5,3 mil votos à Assembleia, equivalente a 0,28% dos votos válidos. Ele já está em campo para disputar a Câmara de Vitória pelo PSL, ainda apostando na fórmula que elegeu Bolsonaro e militares nos legislativos. No ano passado, porém, ele não surfou na onda, embora o PSL tenha feito a maior bancada da Assembleia, com Capitão Assumção, Torino Marques, Alexandre Quintinho e Danilo Bahiense.

Agora cola II?
Quem também é cotado como candidato pelo partido à Câmara de Vitória é o tenente-coronel da PM Rogério Fernandes Lima, da Associação dos Oficiais Militares Estaduais do Espírito Santo (Clube dos Oficiais/Assomes). Ele também tentou a Assembleia e saiu com apenas 2,8 mil votos das urnas.

Campanhas
Por falar em 2020, depois de Carlos Von (Avante), só chamado pelos colegas de futuro prefeito de Guarapari”, Marcos Garcia (PV) nunca mais escutou a palavra deputado ao ser acionado no plenário da Assembleia. É o “futuro prefeito de Linhares”. Mal estrearam e já vão pular de mandato?

Homenagem
Casagrande sancionou, nesta quarta-feira (18), no Palácio Anchieta, a lei que denomina Ponte Governador Gerson Camata o trecho de acesso à Segunda Ponte, conhecido como viaduto do Príncipe. A solenidade contou com a presença da ex-deputada federal Rita Camata, viúva de Camata, assassinado no final de 2018 em um crime que chocou os capixabas. O autor da proposta foi o deputado estadual Marcelo Santos (PDT).

PENSAMENTO:
“Se eu tivesse um único dólar, investiria em propaganda”. Henry Ford

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

STF julga improcedente ação contra distribuição de royalties a municípios

Governador do ES alegava que caberia apenas aos estados decidir as formas de aplicação dos recursos

Abaixo-assinado defende tombamento do sítio histórico de Santa Teresa

Coluna CulturArte: Guarda Municipal barra palco para festival, capixabas no México, formação antirracista

Filipe Catto se apresenta em Vitória no Festival Lula Livre

Revelação da música brasileira, ele se junta a mais de 30 artistas neste sábado na Praça Costa Pereira

Quem não conhece...

Rejeitado nas urnas e réu em ações por um caso absurdo, Magno Malta é ''o maior patrimônio do PL no País''