Advogado questiona Rodosol por manifestação desse domingo na Terceira Ponte

André Moreira afirma que paralisação foi irresponsável diante da crise sanitária causada pelo coronavírus

O advogado André Moreira vai tomar as medidas legais cabíveis diante da autorização da concessionária Rodosol para a realização da manifestação desse domingo (15) que causou a paralisação da Terceira Ponte, reunindo cerca de cinco mil pessoas. Ele defende que os responsáveis sejam penalizados pela "atitude irresponsável", já que o ato promoveu a aglomeração de pessoas em um período de crise sanitária devido ao coronavírus. 

Para exigir as medidas legais, que segundo ele podem ser até mesmo a perda da concessão por parte da Rodosol, André Moreira solicitou para a concessionária, por meio de uma petição, a cópia do pedido de liberação da Terceira Ponte para a manifestação. Nessa mesma petição também é solicitado o nome e a qualificação do responsável dentro da concessionária pela decisão de liberação da ponte para essa atividade. 

Outro pedido feito foi do laudo, estudo ou outro documento de análise do impacto da paralisação da Terceira Ponte para passagem dos manifestantes e o risco para eventuais urgências de saúde ou segurança, e facilitação da dispersão do vírus entre os participantes e o restante da população. 

“O Ministério da Saúde recomenda a não aglomeração. Ao autorizar a paralisação da Terceira Ponte, a Rodosol facilita uma medida que deveria ser respeitada, podendo aumentar a contaminação entre os manifestantes e dos manifestantes para outras pessoas”, diz o advogado.

André Moreira destaca, ainda, o caráter antidemocrático da manifestação, já que ela foi realizada para reivindicar o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF). O ato do último domingo ocorreu em vários estados brasileiros. No Espírito Santo os manifestantes saíram de Vila Velha rumo a Vitória pela Terceira Ponte em apoio ao governo Jair Bolsonaro. A ponte ficou parada nos dois sentidos. 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
3 Comentários
  • Elc Ros , segunda, 16 de março de 2020

    Vai caçar o que fazer André Moreira, deve estar sem clientes para defender!!!!!!!!!!!! ônibus lotado para você não tem Covid-19?, é pior ainda, não tem ventilação e nem espaço para ficar distante do outro, se tocando uns nos outros a todo momento com o balanço do busão. Se é para evitar aglomeração como diz, reivindique medidas cabíveis para os empresários de ônibus, que evitem super lotação no ônibus e caso contrário sejam penalizados por "atitudes irresponsavel".

  • JUBIRA SILVIO PICOLI , terça, 17 de março de 2020

    É brincadeira a que ponto que chegou a racionalidade do capixaba. Será que o ódio e a soberba cegou-lhe além dos olhos, a razão!?

  • Marcos , terça, 17 de março de 2020

    Hostilidade é mato aqui, o direito a democracia é de todos, pedir, todos podem, se aconteceu, alguém autorizou, se estiver errado que medidas cabíveis sejam tomadas, porem tudo precisa ser respeitado, inclusive o povo do "homi". Eu tive meu direito cerceado, por que a ponte não foi construida para isso, é essa a democracia que querem?

Matérias Relacionadas

Governo anuncia auxílio econômico para micro e pequenas empresas e MEIs

Serão R$ 400 milhões em postergação de ICMS e empréstimos, além de medidas de desburocratização

O mais triste Dia do Circo de todos os tempos

Proibidos de se apresentar por conta do coronavírus, circos capixabas não tiveram o que comemorar

Priorizar pequenos empreendedores é uma forma de exercer solidariedade

Trabalhadores informais e autônomos, como agricultores, se organizam para atender demandas em domicílio

Casagrande destina R$ 51 milhões para ações de proteção social nos municípios

Já as medidas econômicas ainda serão anunciadas. ES tem 53 casos confirmados e 1.105 em investigação