Advogados e lideranças políticas exigem apuração de denúncias à Lava Jato

O deputado federal Helder Salomão quer a anulação do processo e punição de Sergio Moro e Delagnoll

Todos os envolvidos deveriam ser afastados de suas funções públicas e os processos contra o ex-presidente Lula anulados, na opinião de advogados e dirigentes partidários ao comentar as denúncias do site The Intercept divulgadas nesse domingo (9).

Dirigentes de partidos políticos, entre eles PSB, PDT, PCdoB, reunidos em Brasília, e juristas do país estão divulgando manifestos e petições ao Ministério Público e ao Supremo Tribunal Federal (STF), a fim de exigir a adoção de medidas drásticas contra os envolvidos no escândalo.    

O The Intercept divulgou conversas secretas do então juiz Sergio Moro, do procurador Deltan Delagnoll e outros membros da Operação Lava Jato, que, segundo o deputado federal Helder Salomão (PT), confirmam o "caráter de perseguição ao ex-presidente Lula e colocam em suspeição a legitimidade das eleições de 2018”.

Expressaram a mesma opinião o advogado André Moreira, ex-candidato ao governo do Estado pelo Psol, o advogado Luiz Fernando Nogueira Moreira, e o dirigente petista Perly Cipriano. O presidente da seccional capixaba da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), José Rizk Filho, não respondeu às indagações de Século Diário, até o fechamento desta edição. 

O The Intercept trouxe à tona revelações que implodem a operação e revelam uma farsa montada para direcionar as eleições presidenciais. O site publicou três reportagens mostrando discussões internas e legalmente duvidosas da força-tarefa da Lava Jato, liderada pelo procurador Deltan Dallagnol, em colaboração com Sergio Moro, atual ministro da Justiça.

“Todos deveriam ser afastados e Moro perde a idoneidade moral para o exercício do cargo e para a indicação para o Supremo Tribunal Federal (STF). Está claro que influenciou diretamente o processo, com o objetivo de impedir a candidatura do ex-presidente Lula. O processo é nulo”, afirma André Moreira. 

Já o também advogado Luiz Fernando Nogueira Moreira ressalta: “A gente vê claramente que o juiz estava aconselhando no intuito de condenar por antecipação pessoas que eram investigadas”. Para ele, há uma suspeição do juiz Moro, o que pode anular o processo, pois mostra um tribunal de  exceção. 

Luiz Fernando acrescenta que o juiz Moro faltou com a ética e o seu comportamento depois da denúncia demonstra que não há ilegalidade no vazamento das informações veiculadas no site. Não há sinais de interceptação.   

André Moreira também emite a mesma opinião, que é compartilhada pelo deputado federal Helder Salomão, que acrescenta: “É gravíssimo, o Moro extrapolou as atribuições e se colocou acima da Constituição, do Código de Processo Penal e mostra a farsa da Lava Jato”. 

Em momento algum, afirma o deputado, eles negaram a veracidade das informações. “A nota emitida pelos envolvidos os coloca como réus confessos, que deveriam ser afastados das funções e o presidente Lula imediatamente libertado”.  

O parlamentar destacou a repercussão internacional das reportagens e informou que o Supremo Tribunal Federal (STF) já convocou sessões extraordinárias para as próximas horas, para analisar a questão.  

Para Perly Cipriano, dirigente petista no Estado, a “ Lava Jato sempre foi um projeto para inviabilizar o PT e impedir a candidatura do ex-presidente Lula. Foi o instrumento de um golpe contra a democracia e a soberania nacional”.

Ele acrescenta que “a promiscuidade entre Delagnoll, Moro e outros membros da 'quadrilha', deveria anular os processos contra o ex-presidente Lula. Foi o mais sujo dos golpes dos segmentos do Judiciário, que ajudaram a eleger Bolsonaro e seus autores se locupletaram com a nomeação de Moro para o Ministério da Justiça e sua indicação para o STF”.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Fundador do The Intercept encara Marcos do Val em depoimento no Senado

O jornalista Glenn Greenwald falou na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal

Helder Salomão diz que Dellagnol tem muito a explicar sobre a 'Vaza-Jato'

Deputado preside a Comissão de Diretos Humanos e puxou o coro de críticas a Dellagnol na Câmara

CNJ critica projeto de Moro por alterar prazo para audiências de custódia

Mudança no Código de Processo Penal passam de 24 para 72 horas a realização da audiência

Vale tudo

O Ministério de Jair Bolsonaro, que inclui o senador Magno Malta, traz à tona a marca do totalitarismo