Agricultores orgânicos de Santa Maria de Jetibá e de Linz organizam intercâmbio

Objetivo é ampliar a produção familiar local, já que cidade austríaca é conhecida como 100% orgânica

Quinze agricultores de Santa Maria de Jetibá, na região serrana capixaba, foram escolhidos em assembleia das duas associações de agricultura orgânica locais – Amparo Familiar e APSAD-Vida – para participar de um intercâmbio com agricultores de Linz, cidade austríaca 100% orgânica.

O objetivo é ampliar a agricultura orgânica no município, que é referência estadual e nacional no setor, com 120 famílias certificadas e mais de vinte em processo de conversão. São quase 700 pessoas trabalhando diretamente nas lavouras orgânicas, produzindo 3,12 mil toneladas/ano de alimentos, principalmente olerícolas, café, milho e feijão, que são comercializados na merenda escolar e em 35 pontos de feiras Grande Vitória e interior.

Já a cidade de Linz é referência mundial em orgânicos, com legislação própria de incentivo e regulamentação, um dos objetos de interesse na pesquisa a ser feita pela prefeitura. “Queremos conhecer essa legislação, se foi decreto ou lei municipal, quanto tempo levou para elaborar e implementar. Para fazer mudanças na nossa legislação, se necessário”, comenta o secretário municipal de Agropecuária, Egnaldo Andreatta, falando também em nome do prefeito, Hilário Roepke (PMDB).

O projeto está sendo germinado desde setembro de 2017 entre a Secretaria de Agropecuária de Santa Maria e o Consulado da Áustria no Espírito Santo, com apoio das Associações Amparo Familiar e APASAD-Vida, e está na fase final, com previsão de votação na Câmara de Vereadores na próxima segunda-feira (25).

O custo é estimado em R$ 79 mil, equivalente a 3% do orçamento de 2018 da Secretaria, garantindo funcionamento das atividades durante dois anos e meio.

Na Áustria, os capixabas serão recebidos pelo primeiro ministro da Áustria e terão hospedagem e alimentação providenciadas pelo governo de Linz. Ao retornarem ao Estado, irão receber os austríacos em suas propriedades e, numa fase mais avançada do projeto, compartilharão os conhecimentos adquiridos com os demais produtores rurais do município, doando cerca de 50 horas de trabalho para essa divulgação, incluindo palestras em escolas.

Selene Tesch, presidenta da Amparo Familiar e membro de outras duas entidades locais – a Cooperativa de Agricultores Familiares (CAF Serrana) e a Associação Mães da Terra – é uma das 15 pessoas eleitas para o intercâmbio. "Projetos como esse deveriam ser estendidos a todos os agricultores do município, pois esse tipo de intercâmbio enriquece a todos que participam, promove o desenvolvimento de valores e princípios de sua cultura”, enfatiza.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Nove anos depois da primeira terceirização, Secont lança 'guia' para fiscalizaçã

Entidades apontam que até hoje não existe um fórum de fiscalização com participação da sociedade civil.

Ato pela legalização do aborto será realizado na segunda-feira em Vitória

Com o grito ''Nossa hora de legalizar o aborto'', evento se concentrará em frente à Assembleia