Além das tarifas, subsídios concedidos às empresas do Transcol também aumentaram

Pesquisa do Sindipúblicos mostra que os subsídios aumentaram 62% em 2019, chegando a R$ 147 milhões

Não são apenas as tarifas pagas pelo consumidor que aumentaram seu valor no universo do transporte público de passageiros da Grande Vitória. Os subsídios concedidos pelo governo do Estado às empresas que operam o Transcol também aumentaram, significativamente. 

Pesquisa do Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Estado do Espírito Santo (Sindipúbicos/ES) mostra que em 2019, os subsídios do governo de Renato Casagrande (PSB) passaram dos R$ 147 milhões, 62% a mais que os R$ 90 milhões de seu antecessor Paulo Hartung. 

Para a entidade, o aumento de 4% no valor das tarifas, iniciado no último domingo (5), impacta ainda mais o salário dos servidores, que já amargam uma defasagem acima de 28% dos seus salários. A recomposição salarial concedida em dezembro passado, de 3,5%, será praticamente anulada pela nova alíquota da previdência, que retirará 3% dos salários. 

“O Sindipúblicos reforça que estará na luta para que o governador cumpra sua palavra e recomponha as perdas salariais anuais, bem como defende a concessão de vale transporte para os servidores se deslocarem para seus locais de trabalho”, afirma a entidade. 

Nesta quarta-feira (8), estudantes da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) realizam uma reunião com sindicatos de dentro da universidade e também dos rodoviários para traçar os rumos de uma campanha de conscientização voltada à população. A intenção é realizar panfletagem durante três dias nos terminais. 

Na última segunda-feira (6), o Diretório Central dos Estudantes da Ufes (DCE) realizou uma plenária sobre o assunto e, entre as sugestões, estão, além da campanha de conscientização, a necessidade de encaminhar ao Conselho Tarifário (Cotar) que não se reúna apenas no início e final do ano para definir os reajustes das passagens, mas que realize reuniões mensais para discutir com profundidade o projeto sócio-político de mobilidade urbana da Grande Vitória. 

“Para além disso, precisamos também pautar e exigir auditorias com as empresas privadas que prestam serviços de transporte para assim termos maior transparência nesse processo”, afirmou Emanuelle Kisse, diretora do DCE.

Questionada sobre os subsídios concedidos em 2019 e a previsão para o ano de 2020, a Secretaria de Estado de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi) não respondeu, até o fechamento desta matéria.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Militantes de direitos humanos rejeitam construção de novas prisões

Anúncio foi feito pelo governador Renato Casagrande ao comentar redução de homicídios 

Greve dos rodoviários vai paralisar Transcol e linhas de Vitória e Vila Velha

Paralisação começa na próxima segunda-feira (2), pleiteando 9% de reajuste para a categoria

Deputados pedem fim de isenções fiscais da Vale por não indenizar vítimas

Enivaldo dos Anjos afirmou que não irá arrefecer até acabar com as regalias da mineradora

Reforma da Previdência e eleição da Mesa Diretora aprovadas na Assembleia

Apesar dos apelos, plenário aprovou a nova idade mínima para aposentadorias e contribuição de 14%