Aplicativo orienta sobre redução da conta de energia com placas fotovoltaicas

Solares On é uma criação do Solares, projeto de extensão da Ufes, e pode ser baixado gratuitamente

“Quanto posso economizar instalando energia solar na minha casa/empresa? De quantas placas fotovoltaicas preciso? Em quanto tempo recupero o investimento?” Perguntas como essas, elementares para quem tem curiosidade ou vontade de adotar a energia solar, podem ser respondidas facilmente pelo aplicativo Solares On, elaborado pelo Solares, projeto de extensão da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). 

Idealizado há um ano, teve seu lançamento oficial durante o Startup Summit, em dezembro passado, após fazer estreias preliminares em outros eventos, como a MecShow e a Fenergia. A disponibilidade na play store da Google teve início em novembro, local onde ele ainda pode ser baixado gratuitamente em celulares e tablets. 

Depois de baixado, o usuário só precisa ter sua conta de energia em mãos. “O aplicativo pede ao usuário a cidade onde ele vive e o quanto paga de energia mensalmente, e retorna diversas informações como: investimento necessário, tempo de retorno, área de telhado necessária, entre outras. Com isso, o usuário pode ter uma melhor noção das vantagens e desvantagens de se instalar um sistema fotovoltaico em casa”, explica o gerente Ongrid do Projeto Solares, Guilherme Goes.

Nesses poucos meses de funcionamento o Solares On tem tido boa avaliação dos usuários, comenta Brenda Bastos, diretora-geral do Projeto Solares. “Nos eventos onde expomos o Solares On e na play store temos recebido comentários e resenhas positivas”, diz. 

A economia no valor da conta mensal, com a energia fotovoltaica, pode chegar a 95%, mas o percentual depende do consumo da residência, da intensidade solar anual, entre outras variações, comenta Brenda. 

Rafael Castro, um dos fundadores do Solares, hoje especialistas em energia fotovoltaica, explica que quanto mais cara a conta de energia, mais rápido é o tempo de retorno do investimento feito (payback). 

Numa tentativa de exemplificar com valores mais próximos da realidade, Rafael diz que, em média, para uma fatura de R$ 200 mensais, o investimento inicial seria em torno de R$ 15mil, e o payback simples – sem outros indicadores e peculiaridades – seria de seis anos.

Já em faturas de mil reais, a instalação do sistema solar custaria em torno de R$ 40mil, com payback simples de pouco mais de três anos – “um excelente investimento”, classifica Rafael. “A fatura é cinco vezes maior, mas o custo do sistema menos de três vezes maior”, compara. 

Importante ressaltar, acentua o especialista, que o sistema é feito para durar e gerar energia por mais de 25 anos. “Mesmo com o decréscimo de desempenho, há economia no valor da fatura ao longo de todo esse tempo”, diz. 
 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
2 Comentários
Matérias Relacionadas

Espírito Santo quase triplica sua potência instalada de energia solar

Estado é o 14º no ranking nacional, com 36,9MW, o que corresponde a 1,9% do total no país

Deputados da bancada capixaba criticam intenção da Aneel de taxar energia solar

"Não vamos deixar isso acontecer", garantiu Da Vitória, em reunião da Comissão de Minas e Energia

Mercado da energia solar deve crescer 250% no Espírito Santo em 2019

O Estado utiliza menos de 4% do seu potencial, mas, em 2018, parque fotovoltaico capixaba quadruplicou