Apoio de Aridelmo a Bolsonaro indica poder de grupos financeiros

Aridelmo tem ligações com o instituto fundado por Paulo Guedes, o ideólogo de Jair Bolsonaro

A brusca mudança do candidato do PTB ao governo do Estado, Aridelmo Teixeira, que passou de defensor do legado do governador Paulo Hartung (MDB) para apoiador declarado do presidenciável da extrema-direita Jair Bolsonaro (PSL), aponta para o instituto Millenium, entidade ultraliberal de direita que tem entre seus fundadores o principal ideólogo de Bolsonaro, o economista Paulo Guedes. 

Ao declarar apoio a Bolsonaro, Aridelmo emite indisfarçáveis sinais de que o capital financeiro local já acolheu a candidatura do ex-capitão, levando em conta que o instituto Millenium tem o foco na implantação de programas neoliberais ancorados em normas do mercado, com o objetivo de desconstruir qualquer discurso progressista. 

As declarações de Aridelmo, que geraram conflito com lideranças do seu partido, foram feitas no mesmo momento em que se anunciava o desembarque do mercado da candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB), passando a aceitar as propostas de Paulo Guedes, marcadas por tendências ultraliberais, com raízes nos Estados Unidos. O PTB está no palanque de Alckmin.

Questões como concentração de renda, desigualdades sociais e redução da miséria não entram na agenda do Millenium, nem na de Bolsonaro. O foco é voltado para a manutenção de privilégios da camada mais rica e em cooptar gestores públicos para ampliar o nível de influência na condução das políticas públicas, visando principalmente as privatizações.

Paulo Guedes, um dos inspiradores da pré-campanha do apresentador de TV, Luciano Huck, fechou com Bolsonaro quando Huck desistiu de se candidatar, possibilitando uma ampla estrutura ao candidato, que ganhou sustentação de importantes grupos financeiros e conceituação ideológica segundo conceitos neoliberais de livre mercado.   

Com a carreira baseada no mercado financeiro, o economista influenciou o mercado a acolher Bolsonaro. Paulo Guedes é defensor das privatizações e propõe vender tudo o que for possível. 

Entre os membros do Millenium estão poderosos grupos de comunicação como a Rede Globo, Abril, Folha, movimentos políticos como MBL, Vem pra Rua e organizações empresariais, entre elas Espírito Santo em Ação, da qual Adidelmo é presidente licenciado. 

Esse órgão serve de canal para possibilitar a membros do Millenium a implantação, no Espírito Santo, do projeto de escola em tempo integral em parceria com o governo Paulo Hartung, com o nome de Escola Viva, cuja consultoria é totalmente bancada pelos institutos Natura e Sonho Grande, dando sequência a um programa de âmbito nacional.  

0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Matérias Relacionadas

Ódio, presente

O discurso de ódio vira marca da campanha presidencial e recebe estímulo de lideranças evangélicas

Ódio, presente

O discurso de ódio vira marca da campanha presidencial e recebe estímulo de lideranças evangélicas

Valorizou o passe

Luciano Rezende diz que fez “barba, cabelo e bigode” nas eleições. Há controvérsias...

Novas bancadas legislativas preocupam defensores dos direitos humanos no Estado

Alguns eleitos, como Marcos Do Val, defendem a prisão perpétua; outros a castração química