Articulação para vaga aberta no TCE poderá abrir campo para Sueli Vidigal

Sueli é a segunda suplente da coligação que elegeu Marcelo Santos, depois de Luiz Durão, que está preso

A ex-deputada federal Sueli Vidigal (PDT) poderá ficar a um passo de assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa, caso seja confirmada a indicação mais do que provável do seu colega de partido, Marcelo Santos (PDT), para a vaga de conselheiro no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Sueli, que é casada com o deputado federal Sérgio Vidigal (PDT), ficou na segunda suplência, mas passaria à frente do primeiro, Luiz Durão (PDT), que se encontra preso, acusado de estupro.

A indicação de Marcelo Santos para o Tribunal de Contas voltou a movimentar os meios políticos nessa quarta-feira (6), com o anúncio do pedido de aposentadoria do conselheiro afastado do TCE, Valci Ferreira, que, se concedida, deixaria a vaga aberta para ser preenchida por indicação do governador Renato Casagrande (PSB). 

A vaga de Valci começou a ser cobiçada desde o ano passado pelo próprio Marcelo Santos, então aliado do ex-governador Paulo Hartung, e o também deputado Dary Pagung (PRP), mas encontrou empecilhos legais, que podem ser superados com a aposentadoria de Valci, afastado das funções e em regime de prisão domiciliar, sob a acusação de corrupção.

Na gestão atual, Marcelo Santos, em seu quinto mandato, teria a preferência, principalmente depois de acertos com o governo, que resultaram na renúncia ao convite para assumir a Secretaria de Estado de Esportes, para não dar a vaga a Luiz Durão, o que colocaria o governo em má situação perante a opinião pública. 

Com o desenrolar do processo de Durão, enviado este mês para a 1ª instância, na Vara Criminal da Serra, por decisão do desembargador do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES), Ewerton Schwab Pinto Júnior, abre-se a perspectiva favorável a Sueli Vidigal. O processo ainda necessitaria, porém, de apreciação da Justiça da Serra e do corregedor-geral da Assembleia, deputado Hudson Leal (PRB).     

Luiz Durão foi preso no dia 4 de janeiro, após ser flagrado com uma menina de 17 anos em um motel na Serra. O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Procuradoria-Geral de Justiça, ofereceu denúncia contra o deputado por crime de estupro. Luiz Durão segue preso no Batalhão do Corpo de Bombeiros, em Vitória.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.