Assembleia encerra ano legislativo com discurso de despedida de deputados

A não ser o deputado Da Vitória, eleito à Câmara, ocuparam a tribuna da Casa os derrotados no pleito

Em clima de despedidas, a Assembleia Legislativa realizou a última sessão ordinária do ano, aprovando a toque de caixa as últimas pautas pendentes de votação, numa tarde bem morna no Plenário. Entre os destaques da pauta, a aprovação do Programa de Aposentadoria Incentivada, que pode gerar novo concurso para contratação de servidores diante da aposentadoria de atuais funcionários concursados que já cumpriram os requisitos para tal.

O deputado Sergio Majeski (PSB) propôs uma emenda que garantisse que os cargos vacantes não fossem ocupados por comissionados. A proposta, porém, foi rechaçada, com argumento de que a lei já vedava essa possibilidade.

Entre outras proposições aprovadas, está também a criação do Fórum Permanente de Assuntos Pertinentes aos Servidores da Assembleia Legislativa. A sessão ordinária contou ainda com uma breve cerimônia de natal com apresentação de um coral infantil do Colégio Passionista de Jardim América, em Cariacica.

Também foi aprovada a criação da Comenda de Mérito Legislativo Agesandro da Costa Pereira para homenagens a advogados juristas e magistrados, em memória ao ex-presidente da seccional capixaba da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Após o encerramento da sessão ordinária, Enivaldo dos Anjos (PSD), que exercia a presidência da Mesa, convocou uma sessão extraordinária logo em seguida, com o objetivo de atender à proposição de urgência da deputada Janete Sá (PMN) de retirar o título de Cidadão Espírito-Santense do médium João Teixeira Farias, o João de Deus, acusado de abuso sexual em processo notório a nível nacional. O título havia sido concedido no ano 2000 e foi cassado por unanimidade dos presentes.

Alguns deputados que deixam a Casa no próximo ano aproveitaram para fazer seus discursos de despedida. Da Vitória (PPS) foi o primeiro a falar. Depois de dois mandatos na Casa, ele irá para a Câmara Federal exercer o mandato de deputado federal na próxima legislatura.

Entre outros que se despediram na tribuna estão os derrotados no pleito Sandro Locutor (Pros) e Padre Honório (PT), que volta a tomar posse na Paróquia de São Francisco de Assis em Teófilo Otoni (MG). Já Gildevan Fernandes (PTB), que desistiu da candidatura à reeleição, lembrou sua carreira política como prefeito de Pinheiros e deputado.

Já a deputada Cláudia Lemos (PRB), que exerceu apenas seis meses de mandato após a cassação de Almir Vieira (PRP) por captação ilícita de recursos financeiros de campanha eleitoral, também fez seu discurso, assim como Eliana Dadalto (PTC), deputada de Linhares. As duas tentaram a reeleição, porém, sem sucesso.

A diplomação dos deputados da próxima legislatura será realizada na quarta-feira (19), às 16h, na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES), na Enseada do Suá, Vitória. Na ocasião também serão diplomados os deputados federais, senadores e o governador eleito, Renato Casagrande (PSB).

A Assembleia volta aos trabalhos em 1º de janeiro, às 15h30, na cerimônia de posse do governador eleito.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Assembleia ignora críticas e aprova criação de 307 cargos comissionados no MPES

Projeto do procurador-geral de Justiça, Eder Pontes, quase não encontrou resistências em Plenário

Plano antigo

Quem viu a facilidade com que a Assembleia acatou projeto de Eder, quase até esqueceu da polêmica de 2015

Recorte necessário

Iriny relembra o que a Assembleia tanto fez questão de esquecer: as ''masmorras de Hartung''

Maioria dos deputados confirma nome de Cicilliotti para o TCE

Luiz Carlos Cicilliotti deverá ser eleito pelos deputados nesta terça-feira, como candidato do governo