‘Bancada das faltas’

Só três dos dez deputados do Estado não faltaram a nenhuma sessão este ano: Amaro, Soraya e Ted Conti

Apesar da renovação de 50% da bancada capixaba na Câmara Federal nas eleições de 2018, a maioria continua a repetir velhas práticas políticas. Dos 10 representantes do Estado, apenas três foram 100% assíduos no primeiro semestre deste ano, segundo levantamento realizado pelo Congresso em Foco em parceria com o Instituto OPS. Amaro Neto (PRB) e Soraya Manato (PSL) compareceram a todas as 86 sessões deliberativas realizadas no período e Ted Conti (PSB) a 84, já que assumiu o cargo um pouco depois, como suplente do secretário estadual de Agricultura, Paulo Foletto. No outro extremo, como os mais faltosos, estão os deputados Da Vitória (Cidadania), com 11, e Evair de Melo (PP), com nove. Na sequência vêm Norma Ayub (DEM), com seis; Felipe Rigoni (PSB), com quatro; Sérgio Vidigal (PDT), com três; e Helder Salomão (PT) e Lauriete (PL), com duas cada. Refresco de memória: os parlamentares recebem salário de R$ 33,7 mil por mês, fora benefícios, e só precisam registrar presença em três dias da semana (terças, quartas e quintas). O mínimo que se espera – a não ser em casos bem específicos (saúde, principalmente) - é que cumpram com sua obrigação.

Repeteco?
No caso de Soraya, inevitável comparação com o marido, Carlos Manato (PSL), que por 12 anos levou o título de não ter nenhuma falta na Câmara. O que não é uma coincidência. Novata em política, ela foi eleita pelas mãos dele para dar continuidade ao seu legado, enquanto o próprio ficou com a missão de levantar o palanque do presidente Bolsonaro no Estado e acabou com uma candidatura derrotada ao governo. Agora, tem a missão de eleger prefeitos do PSL em 2020 e circula com Soraya pra baixo e pra cima.

Dinheiro na conta
Das faltas dos sete deputados do Estado, a maioria foi justificada, o que mantém os vencimentos em dia. Entram na lista do “perdão” licenças médicas, missões autorizadas, decisões da Mesa...mas, a não ser em caso de licenças médicas, convenhamos, muito difícil marcar as demais agendas para outros dias? Repito: são só três sessões na semana, que começam à tarde!

Sem explicações
Já no bolo das não justificadas, estão três faltas de Da Vitória e de Felipe Rigoni; duas de Helder Salomão; e uma de Evair, Lauriete e Norma. Vai saber...

Têm chance?
A propósito, o tradicional Prêmio Congresso em Foco abriu as votações populares pela internet para eleger os melhores parlamentares de 2019. Na Câmara, concorrem oito dos dez deputados do Estado, excluindo Helder Salomão (PT) e Sérgio Vidigal (PDT). Já no senado, disputam os três: Fabiano Contarato (Rede), Marcos do Val (Cidadania) e Rose de Freitas (Pode).

Têm chance II?
Este ano, foram criadas três categorias. Uma homenageia os parlamentares que incentivam o empreendedorismo no País, concorrendo os mesmos oito deputados citados acima e nenhum senador capixaba. Outra vai premiar aqueles que defendem os bancos públicos e disputam o deputado federal Da Vitória e o senador Contarato. A terceira e última, elegerá os parlamentares “pelo clima e sustentabilidade” – na lista, Rigoni, Norma Ayub, Ted Conti e, de novo, os três senadores. 

Têm chance III?
O prêmio considera aptos os parlamentares que não respondem a acusações criminais e que exerceram o mandato por ao menos 60 dias na atual legislatura. Os mais bem avaliados serão escolhidos por meio de três filtros: votação popular, júri especializado e jornalistas que cobrem o Congresso Nacional. A votação na internet vai até dia 31 de agosto e já tem parlamentar em campanha. Os vencedores serão anunciados em setembro.

Negocia, mesmo?
Poucos dias depois de finalmente abrir a mesa de negociação com os servidores públicos do Estado sobre a recomposição das perdas salariais, o governador Renato Casagrande volta ao centro dos ecos de insatisfação, pelas declarações que deu ao Gazetaonline de que concederá reajustes somente em 2020. A medida reforça os sinais de que a reunião foi um “sossega-leão” diante da sanção do projeto de criação dos 307 cargos comissionados no Ministério Público Estadual (MPES).

Negocia mesmo, II?
O governador repetiu justificativas contestadas pelo sindicato das categorias, o Sindipúblicos, que agora diz aguardar resposta formal da gestão estadual na próxima reunião, marcada para esta semana. Tal posição será levada à assembleia geral unificada no próximo dia 30 de agosto. A conferir!

Fantasma de 2017
Sobre o mesmo assunto voltou a discursar, na sessão desta terça-feira (6), o deputado estadual Capitão Assumção (PSL), porém, com foco nos policiais militares, bombeiros e policiais civis. Ele alertou, de novo, que o clima é tão ruim quanto o de 2017, da fatídica greve da PMES. “Vai esperar o caos?”, questionou, cobrando que o governo chame as categorias e promova o diálogo.

PENSAMENTO:
"O começo de todas as ciências é o espanto de as coisas serem o que são". Aristóteles

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

PSB aprova punição aos deputados federais Felipe Rigoni e Ted Conti

Diretório Nacional livrou parlamentares da expulsão, mas determinou suspensão em comissões e relatorias 

Interferências

Volta dos trabalhos no Congresso retoma processo contra Rigoni e Ted Conti no PSB. Saem ou não saem?

Rigoni e Ted Conti respondem a processo no Conselho de Ética do PSB

Deputados federais votaram a favor da reforma da Previdência e podem até ser expulsos do partido

‘Traidores'

Confirmado o placar da reforma, PSB coloca na linha de tiro a surpresa de 2018, Felipe Rigoni, e Ted Conti