Bloco de Erick Musso na Assembleia Legislativa sofre abalos e se desfaz

O deputado Marcelos Santos pulou fora do barco de Erick Musso pela segunda vez

“Eu quero pedir desculpas...e dizer que conte comigo, que estarei sempre ao lado do senhor” é a frase de maior impacto no cenário político do Espírito Santo neste fim de semana. As palavras são do deputado Marcelo Santos (PDT), primeiro secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, dirigidas ao governador Renato Casagrande (PSB), em solenidade no Palácio Anchieta, nessa sexta-feira (13). 

Ao destacar sua preferência ao lado de Casagrande, o deputado rompe publicamente, pela segunda vez, a parceria com o presidente da Assembleia, Erick Musso (Republicanos), que em discurso proferido na última terça-feira (10) o chamou de “amigo pessoal”. Foi com Marcelo que Erick articulou a eleição antecipada da Presidência da Casa, sendo ele o próprio o condutor do processo na qualidade de relator da Comissão Especial formada com essa única finalidade. 

A reviravolta de Marcelo Santos, depois da suspensão da eleição e da reação do governador Renato Casagrande, trouxe de volta nos bastidores políticos sua antiga pretensão de ser agraciado com uma indicação ao cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), na vaga de Sérgio Borges, que se aposenta em 2020.

Outra opção para Marcelo, segundo bastidores políticos, seria a Presidência da Assembleia na eleição prevista para fevereiro de 2021, justamente a que ele e Erick articularam para antecipar, a fim de estender seus mandatos até 2023. 

No pedido de desculpas, muito aplaudido pelos presentes ao Palácio Anchieta nessa sexta-feira, também era figura destacada o deputado Hudson Leal, pré-candidato à Prefeitura de Vila Velha pelo partido de Erick Musso, o Republicanos, e um dos 24 deputados que participaram dos movimentos de Erick e votaram a favor da eleição antecipada. 

Junto a Hudson, Hércules Silveira, o Dr. Hércules (MDB), também na disputa pela prefeitura desse município e um dos apoiadores da eleição. A baixa presença de deputados na assinatura de uma ordem de serviço de asfaltamento é apontada no mercado pelo fato de ter ocorrido em uma sexta-feira, período no qual os parlamentares se deslocam para as bases eleitorais em seus municípios.  

A Mesa Diretora eleita no dia 27 de novembro, com 14 meses de antecipação, depois anulada pela Justiça, tinha o deputados Marcelo Santos (PDT) como integrante, que se manteve no posto de 1º vice-presidente, além de Erick na Presidência, Torino Marques (PSL), 2º vice, Adilson Espindula (PTB), 1º secretário, Eustáquio Freitas (PSB), 2º secretário, Marcos Garcia (PV), 3º secretário, e Janete de Sá (PMN), 4º secretária.  

Nos bastidores, estima-se que dos 22 que se alinharam a Erick, apenas 10 deputados permaneçam, e, mesmo assim, sem muitas garantias.de se manterem fiéis, considerando as eleições municipais de 2020. 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Semana marca reinício do ano legislativo em clima de campanha eleitoral

Pelo menos 15 dos 30 deputados estaduais têm os nomes cotados para candidatura às prefeituras este ano

Disputa à Prefeitura de Cariacica pode unir Marcelo Santos e Helder Salomão 

Marcelo Santos confirma candidatura e espera o apoio do governador Renato Casagrande

Erick Musso encerra 2019 com articulações para manter seu grupo político

Presidente da Assembleia teria quebrado acordo com o governador Renato Casagrande

Grupo de Trabalho da Assembleia sobre portos vai incluir sindicatos do setor

Deputado Marcelo Santos se comprometeu em editar decreto e incluir trabalhadores da Codesa no debate