‘Bloco dos voluntários’ faz mutirão de Carnaval no Parque Nacional do Caparaó

Sem orçamento federal para as obras, comunidade arrecada doações e recupera estradas da portaria capixaba

Fotos: Cecilia Nakao

Senso de pertencimento na prática. No Caparaó Capixaba, uma comunidade que abraça seu parque nacional mostra que, nos momentos mais difíceis, são os moradores e empreendedores do entorno que arregaçam as mangas e financiam as mudanças possíveis. 

Sem orçamento federal por parte do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Ministério do Meio Ambiente (MMA), vários comércios de Pedra Menina e arredores e os mais diversos Amigos do Parque Caparaó, como eles passaram a se chamar, têm se unido para tirar pedras e troncos caídos após as enchentes de janeiro, para recuperar os bloquetes que foram parar no rio e reformar a estrada da portaria capixaba do Parna. Tudo com total apoio e coordenação da equipe local do Parna. “A equipe daqui tem se desdobrado para apoiar nosso trabalho”, observa Cecilia Nakao, uma das integrantes do Amigos do Parque.

Neste sábado de carnaval, a turma pegará no pesado de novo. “É o bloco dos voluntários”, brinca Cecilia, reproduzindo a brincadeira feita para animar ainda mais os voluntários. 

A intenção é manter os mutirões semanais aos sábados, até que essa parte do trabalho seja concluída. “Temos recebido muitas doações de materiais de construção e outras lojas da região”, conta. 



O grupo inicial conta com dez pessoas e continua aberto para novos integrantes, que podem fazer inscrição pelo e-mail do Circuito Caparaó Capixaba: contato@circuitocaparaocapixaba.com.br. Os participantes assinam termo de responsabilidade com o ICMBio, recebendo instruções técnicas e material de trabalho. 

Muito mais do que o Pico

O Circuito é formado por cerca de trinta empreendimentos turísticos do entorno direto e indireto do Parque no lado do Espírito Santo, nos municípios de Dores do Rio Preto, Divino de São Lourenço, Ibitirama e Guaçuí. 

Por enquanto, a portaria de Pedra Menina continua fechada, mas será reaberta à visitação assim que o primeiro quilômetro da estrada esteja transitável com segurança ao menos para pedestres. Já o acesso capixaba ao Pico da Bandeira ainda está sem data para reabrir, visto que até o último acampamento, da Casa Queimada, as obras exigem máquinas pesadas, que somente o governo federal, a princípio, pode custear. 

Em paralelo, o Circuito Caparaó Capixaba intensificará sua campanha permanente de divulgação dos inúmeros atrativos turísticos do Parque e do entorno capixaba do Parque, com diversas cachoeiras, mirantes, propriedades rurais e trilhas no coração da Mata Atlântica. 

“O Caparaó é muito mais do que o Pico da Bandeira. O turismo em unidade de conservação pode ser muito melhor aproveitado aqui e é o que estamos construindo aqui “, testemunha Cecilia. 
 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Pedra Menina realiza mutirão para reconstruir acessos do Parque do Caparaó

Primeira ação foi transferida para esta quarta-feira. Voluntários cadastrados podem participar

Pedra Menina recebe mutirão para reconstruir acessos do Parque do Caparaó

Primeira ação acontece neste sábado. Voluntários cadastrados podem participar

Vitória recebe mutirão de mudança de nome e gênero para pessoas trans

Ação é uma parceria entre a Defensoria Pública, a Associação Gold e o Centro de Referência Aconchego

Circuito Caparaó realiza levantamento dos prejuízos com fechamento de parque

Parque Nacional do Caparaó está fechado por tempo indeterminado, impactando o turismo local