Bruno Toledo é o novo secretário de Cidadania e Direitos Humanos de Vitória

Advogado, professor e ativista assume lugar de Nara Borgo, que foi para o governo estadual

Advogado, professor de Direito e militante dos direitos humanos, Bruno Toledo vai assumir a Secretaria Municipal de Cidadania, Direitos Humanos e Trabalho (Semcid) de Vitória, cargo que ficou vago com a saída da então secretária Nara Borgo para ocupar o posto de secretária de Estado dos Direitos Humanos no Governo de Renato Casagrande (PSB).

“Recebi honrado o convite do Prefeito e compreendi que ele se dirige à militância coletiva que construí, no âmbito do movimento nacional de Direitos Humanos, nos últimos 15 anos em defesa da dignidade humana. Recebo com enorme responsabilidade esse desafio porque sei exatamente o significado e a centralidade da política de Direitos Humanos para a afirmação de uma sociedade justa e comprometida com a igualdade real”, declarou Bruno Toledo, que no ano passado foi homenageado especial do Prêmio Estadual de Direitos Humanos concedido pelo Conselho Estadual de Direitos Humanos (CEDH).

No mesmo ano, Bruno havia renunciado à presidência da Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Vitória, após o então arcebispo Dom Luiz Manchilha Vilela receber o então senador Magno Malta (PR), conhecido por defender bandeiras ultra conservadoras. Com atuação de longa data, participou do Fórum ReageES e, quando presidente do CEDH, foi o responsável pela denúncia na ONU em 2010 contra o governo capixaba por conta do descaso no sistema prisional, caso que ficou conhecido como “As masmorras de Hartung”.

Sobre o novo cargo no governo municipal, diante de um cenário nacional complexo, o secretário destacou algumas questões: “Precisamos pensar fortemente em políticas de prevenção a violações, em políticas de juventude, e na atenção às vítimas das mais diversas e cotidianas violências”, declarou.

“O desafio da gestão desse momento histórico é dialogar com equilíbrio, serenidade e extrema responsabilidade com o conjunto da sociedade sobre o porquê devemos manter e ampliar políticas de igualdade e os riscos que corremos coletivamente em retrocedermos em termos de paradigmas éticos nas nossas relações. Na minha percepção, não há melhor forma de estabelecer esse diálogo do que entregando serviços públicos de Direitos Humanos de qualidade a todos os cidadãos de Vitória, sobretudo àqueles que sofrem violações”, definiu Bruno Toledo.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Condecoração a Damares Alves terá protesto de movimentos sociais

Fórum de Mulheres organiza o ato desta segunda-feira, com concentração às 17h na Assembleia

Promessas, apenas?

Reajuste anunciado por Luciano Rezende reforça cobrança de servidores estaduais a Casagrande

Como Fabricio Noronha quer colocar a cultura para dialogar

Em entrevista ao Século Diário, secretário estadual falou dos desafios e estratégias para o setor

Artistas se mobilizam contra inclusão de 'cultura religiosa' na Lei Rubem Braga

Com abaixo-assinado, reunião e ato, entidades pedem que Luciano Rezende vete emenda de Davi Esmael