Caldo cultural neste sábado arrecada recursos para a Lagoa Encantada

Área preservada da lagoa forma verdadeira ilha de segurança hídrica em meio aos alagamentos de Vila Velha

“Aqui [Vale Encantado] não alaga, né. Mas os bairros ao redor, todos, sempre alagam quando chove muito”. A percepção, da fotógrafa de natureza e membro do Fórum de Desenvolvimento Social, Econômico e Ambiental do Grande Vale Encantado (Desea) Ingridi Barros, indica a importância da proteção da Lagoa Encantada, que dá nome ao bairro Vale Encantado, em Vila Velha.


Funcionando como uma espécie de esponja, a lagoa e seus alagados permitem que a água da chuva se infiltre no solo e não empoce na superfície, como historicamente acontece, em vastas regiões da cidade, que é a segunda mais populosa do Espírito Santo, com mais de 480 mil habitantes, e foi erguida sobre terrenos que, via de regra, possuem altitude negativa, ou seja, abaixo do nível do mar, e com o agravante de serem resultado do aterro desordenado de incontáveis manguezais, alagados, lagoas e córregos naturais.

Bairros como Rio Marinho e Araçás, próximo ao Vale Encantado, não possuem a mesma sorte, pois perderam suas áreas naturais mais significativas. A Lagoa Encantada está com sua vegetação bastante descaracterizada, mais ainda apresenta biodiversidade impressionante, que atrai observadores de aves de várias partes do Estado e do Brasil.

Infelizmente, conta Ingridi, apesar de toda a beleza e importância ecológica, a Lagoa Encantada sobrevive com dificuldade, pois a pressão urbana/industrial/imobiliária é imensa e as agressões, recorrentes.

A última, infelizmente, veio da própria revisão do Plano Diretor Municipal (PDM), que reduziu o status de conservação da lagoa. Antes classificada como Zona de Especial Interesse Ambiental (ZEIA) A, o novo Plano a rebaixa a ZA-B, onde é possível, sim, erguer edificações, desde que estudos indiquem as condições e a prefeitura emita a licença ambiental.

“Mas a gente entende que, numa área que não tem fiscalização, que vem sendo descaracterizada por queimadas e desmatamentos constantes”, contextualiza a fotógrafa de natureza, a tendência é que os estudos resultem em pareceres favoráveis às construções. “Quando era ZEIA-A, tinha mais proteção, porque apesar da descaracterização, era uma área de preservação”, argumenta. “Houve um retrocesso gritante”, protesta.

O rebaixamento da obrigação legal de conservação chegou a ser vetado pelo prefeito Max Filho (PSDB), mas a Câmara derrubou o veto e aprovou o PDM, em dezembro passado, com esse e outros graves retrocessos ambientais.

A situação só não está pior, ressalva a ambientalista, porque a área está passando por estudos estabelecidos em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em 2017 entre o Ministério Público e a empresa Brasit, que invadiu um trecho de preservação da lagoa, resultado da pressão das organizações da sociedade civil, entre elas, o Fórum Desea.

O objetivo dos estudos é indicar qual categoria de unidade de conservação é a mais apropriada para proteger legalmente a lagoa e seus alagados. A criação do Parque Natural da Lagoa Encantada é reivindicada há quase dez anos pela rede de organizações e ativistas locais.

A luta é financiada pelos próprios militantes, que, periodicamente, organizam eventos para levantar recursos. O próximo é o Caldo Cultural, que acontece neste sábado (25), de 19h às 22h, na rua Córrego Grande, 224, em Vale Encantado.

O objetivo é conseguir verba para produzir a 8ª Caminhada Ecológica Lagoa Encantada, no próximo dia 9 de junho, cujo tema, este ano, é “Nossa História”.

O bairro surgiu na década de 1960 como um loteamento chamado Parque Alice. Mas as lendas criadas pelos moradores mais antigos da região – sobre o caboclinho d' água, o velho do saco e outras – em torno dos mistérios que envolviam a grande lagoa local, acabaram nominando-a de Lagoa Encantada e, o bairro, como Vale Encantado.

Serviço:
Caldo Cultural Lagoa Encantada
Quando:
Sábado (25), de 19h às 22h
Ingressos: R$20,00, com direito a self-service de caldos (incluindo vegetarianos) e sucos
Mais informações


8ª Caminhada Ecológica Lagoa Encantada: Nossa História
Quando:
Domingo, 9 de junho, de 7h30 às 10h30, com saída na Praça do bairro Vale Encantado.
Mais informações

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Curso de Meliponicultura busca aumentar a polinização na Lagoa Encantada

Criação de abelhas sem ferrão por moradores do entorno visa proteger a lagoa e seus alagados em Vila Velha