Câmara da Serra ignora ponto facultativo de Audifax e prossegue com denúncia

Prefeito foi denunciado por supostos atos ilícitos, segundo parecer de área técnica do Tribunal de Contas

O feriadão de cinco dias decretado pelo prefeito da serra, Audifax Barcelos (Rede), foi ignorado pelo presidente da câmara de vereadores, Rodrigo Caldeira, do mesmo partido. Ele está mais interessado em dar prosseguimento à formalização das oito comissões processantes para apurar supostos atos ilícitos do prefeito. 

Nesta segunda-feira (29), Caldeira promoveu a leitura das comissões de números quatro e cinco, a fim de cumprir a legislação e notificar Audifax, abrindo prazo para apresentação de defesa. O prefeito tem 10 dias para apresentar as justificativas, a partir da data de recebimento da notificação.

As comissões investigam possíveis atos de improbidade administrativa, crimes contra a administração pública e de responsabilidade em referência à apuração de déficit financeiro, evidenciando desequilíbrio nas contas públicas. As comissões têm por base pareceres de áreas técnicas do Tribunal de Contas do Estado.  

As oito comissões foram instauradas em 25 de março deste ano e representam mais uma frente do embate entre a câmara com um bloco de 16 dos 23 vereadores, e o prefeito Audifax Barcelos, iniciado em 2017. O rompimento foi iniciado durante o processo de criação de uma Parceria Público-Privada (PPP), no valor de R$ 2,5 bilhões, para movimentação de resíduos sólidos no município. 

A câmara da Serra retomou os trabalhos das oito comissões processantes no último dia 22, depois da autorização do Tribunal de Justiça. O desembargador Ewerton Schwab Pinto Júnior derrubou o cancelamento das comissões, aprovadas no dia 25 de março deste ano, anulando decisão da juíza Telmelita Guimarães Alves, que apontou ilegalidade no processo.

Na semana passada, o embate se ampliou com o afastamento das funções do vereador Nacib Haddad (PDT), denunciado como integrante de um cartel de empresas de limpeza e conservação. O vereador entrou com recurso na Justiça pedindo a anulação do ato, que, para ele, é "totalmente sem nexo e tem o dedo de Audífax".

Nacib faz parte do grupo de 16 vereadores que aprovaram as investigações e tem ligações com ex-prefeito e deputado federal Sérgio Vidigal (PDT), inimigo político histórico de Audifax Barcelos.   
 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
  • jardel barbosa de oliveira , quinta, 02 de maio de 2019

    qual a preocupação de um prefeito que esta gastando com publicidade, dizendo aos quatro cantos da Serra que e o prefeito mais transparente. Será que e equivoco da camará da Serra abrir oito (08) comissões de investigação. "se neste mato não tiver coelho" fica bem claro, e dever dos nobres EDIL, fiscalizar o executivo, a própria palavra "VEREADOR" ( VEREAR) ADMINISTRAR OU LEGISLAR.

Matérias Relacionadas

Câmara da Serra reage à contratação de serviços de limpeza

O vereador Aécio Leite disse que Audifax fere a lei que regula manejo de resíduos sólidos e líquidos

Audifax é impedido por Conselho de Saúde de terceirizar Hospital Materno

Em assembleia realizada na última sexta-feira, maioria dos conselheiros vetou gestão compartilhada 

Nacib Haddad diz que seu afastamento é injusto e crê em retorno à Câmara

Vereador da Serra, afastado das funções em abril deste ano, será julgado pelo TJES nesta quarta-feira

Orçamento 2020 e manifestação agitam o cenário político na Serra

Treze vereadores contestam o decreto do prefeito Audifax Barcelos, alvo também de lideranças comunitárias