Campeões de votos em 2014 não devem atingir marca de 40 mil este ano

O deputado Marcelo Santos é cotado a alcançar mais de 30 mil votos, se não for para o TCE

O grande número de casos de corrupção envolvendo a classe política, agravado com o desemprego e o corte de programas sociais, deverá provocar elevada abstenção nas eleições deste ano. Nesse cenário, lideranças locais projetam que deputados estaduais campeões em 2014 passam dos 30 mil votos, mas não chegam a 40 mil.  

As previsões de bastidores sinalizam que haverá uma redução de 35% no número de votantes para deputado estadual, considerando os votos brancos, nulos e as abstenções. A estimativa leva em conta, também, o desempenho de cada candidato, que deverá provocar diferenças entre 3 a 5%.  

O deputado Theodorico Ferraço (DEM), que em 2014 obteve 49.366 votos, não deve repetir esse bom desempenho. Fora da Presidência da Assembleia e sem contar com a máquina pública, é cotado a chegar a 33 a 37 mil votos. Além desses fatores, Ferraço terá que trabalhar para reeleger sua mulher, Norma Ayub (DEM), à Câmara Federal. 

Outro deputado estadual bem votado em 2014, com reeleição garantida, mesmo com um desempenho sofrível na Assembleia, é o Dr Hércules (MDB), que na eleição passada chegou a 43.795 votos. Ele tem reduto eleitoral em Vila Velha, município que, este ano, apresenta candidatos concorrentes.

Os dois principais são os médicos Rafael Favatto (Patriota) e Hudson Leal (PRB) e cinco vereadores do município que são candidatos e estão trabalhando muito em Vila Velha. 

Além disso, o prefeito Max filho (PSDB) está focado em eleger o ex-vice-prefeito Jorge Carreta (Avante) para federal e os ex-secretários Carlos Von e Luciano Machado para estadual. A previsão de lideranças políticas é que Dr. Hércules fique entre 32 e 35 mil votos.

Padre Honório, do PT, alcançou 29.991 votos em 2014 e cumpre um mandato com elevado nível, principalmente para os municípios do interior. Deve atingir entre 31 e 34 mil votos, devendo ser o único a representar seu partido no Legislativo.

O deputado Marcelo Santos, com 28.234 votos em 2014, se não for para o Tribunal de Contas, também não deve passa de 30 mil votos, ficando entre 33 e 35 mil votos.

O deputado Hudson Leal marcou 22.180 votos em 2014, que organizou o Podemos no Estado, construindo redutos que ampliaram sua densidade eleitoral. Hoje, no PRB, é considerado capaz de alcançar 33 e 36 mil votos, com maioria em Vila Velha e Guarapari, e municípios interioranos onde ele levantou novas lideranças. 

O deputado Sergio Majeski (PSB) obteve 12.007 votos em 2014, mas pelo desempenho do seu mandato, deve passar dos 30 mil votos. Cresceu pela oposição coerente ao governador Paulo Hartung desde o início. Além disso, trabalha bem as redes sociais. 

Dos novatos que podem surpreender e passar dos 30 mil votos, por terem tidos muita exposição na mídia, está o delegado Lorenzo Pazolini, que trabalha com o senador Magno Malta (PR), que tem a mesma bandeira que ele, e o ex secretário de segurança André Garcia (MDB), atual aposta de Paulo Hartung. 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Majeski pede ao TCE suspensão da análise das contas de Paulo Hartung

Deputado aponta um desvio de R$ 4,4 bilhões na área de educação na gestão do ex-governador

Majeski quer apuração sobre desperdício de R$ 6 milhões em escola na Serra

Deputado aponta gastos questionáveis com prédio da Aristóbulo Barbosa Leão, que tem falhas estruturais

Deputados iniciam em 15 dias investigação sobre desmonte de escola da Serra 

Alunos e professores da Aristóbulo Barbosa Leão foram ouvidos no colegiado de Educação nessa segunda

Disputa à prefeitura de Vila Velha em 2020 já tem nove pré-candidaturas

O prefeito Max Filho é identificado como um nome forte, indicando a possibilidade de reeleição