Candidaturas à direita são derrotadas na eleição para reitoria da Ufes

Lista tríplice será enviada ao presidente Bolsonaro tendo Ethel Maciel como a mais votada

A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) afastou a possibilidade de ter uma reitoria alinhada com o governo de Jair Bolsonaro (PSL). Em reunião dos conselhos universitários, nesta quinta-feira (5), foram indicados os nomes para compor a lista tríplice com os candidatos que podem ser nomeados a presidente para o quadriênio 2020-2024. A mais votada foi a atual vice-reitora, Ethel Maciel, com 26 votos, que vai para a lista junto com os os professores Rogério Naques Faleiros (História) e Paulo Sérgio Vargas (Arquitetura e Urbanismo).

Já Gláucia de Abreu, diretora do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Ufes, ficou de fora com 12 votos. A candidata ligada ao bolsonarismo,  professora Surama Freitas (Medicina Veterinária), teve apenas um voto.

Na consulta informal realizada no mês passado com voto direto de professores, servidores e estudantes, Ethel venceu Gláucia com mais de dois terços dos votos. Surama se negou a participar alegando que a consulta não era obrigatória nem oficial. Embora sirva para ouvir a opinião da comunidade acadêmica, que vinha sendo tradicionalmente considerada pelos presidentes anteriores, de fato as coisas se decidem nos conselhos superiores e a palavra final é do presidente da República.

A jogada do campo progressista foi lançar mais duas candidaturas, de Rogério e Paulo Sérgio, que até então haviam apoiado publicamente a investida de Ethel para o cargo. Com a divisão tática dos votos dos conselheiros, afastaram a possibilidade tanto de Surama como de Gláucia serem indicadas.

Agora os três nomes saem para sanção de Bolsonaro, que deverá escolher um deles. Ethel Maciel sai com o respaldo de ter vencido com folga as duas eleições. Se for mesmo indicada, representaria uma continuidade que já dura décadas. Foram dois mandatos de José Weber Macedo, sucedido de dois de seu vice, Rubens Rasseli, que também teve o vice eleito como sucessor, Reinaldo Centoducatte, que teve dois mandatos, sendo que Ethel assumiu como vice em 2013, após o falecimento de Cida Barreto, que exercia o cargo ainda no primeiro mandato de Reinaldo. O candidato a vice na chapa de de Ethel Maciel é o professor Roney Pignaton.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
2 Comentários
  • Machado , quinta, 05 de dezembro de 2019

    Ué, na época do lulopetismo os candidatos eram alinhados com os petralhas? Pode isso? Mas... a Universidade não é autônoma? Reitor de Universidade não deve ser alinhado a governo algum. O único compromisso dele deve ser com a formação do profissional que futuramente prestará serviço à população que financia a universidade pública.

  • Juliano , sexta, 06 de dezembro de 2019

    Essa dinastia progressista está refletida nos péssimos resultados da nossa educação. Deveria acabar votação pra reitor de UF apenas dentro das universidades, deveria tornar isso de participação popular aberta a toda sociedade do contrário a minoria marxista continuará apodrecendo nossa educação.

Matérias Relacionadas

Normas para eleição de procurador-geral de Justiça são publicadas  

Eder Pontes, que acumula três gestões, foi o primeiro a se inscrever para possível quarto mandato

Vila Velha também abre vagas para Educação de Jovens e Adultos

Vagas para estudantes que deixaram a escola chegam a 6 mil em Vitória, Vila Velha e Serra

Educação de Jovens e Adultos de Vitória oferece mais de 2 mil vagas em 2020

Podem se inscrever no EJA jovens moradores da Capital com mais de 15 anos e fundamental incompleto

Filha de catadores conquista bolsa para estudar fora do País

Os locais de destino da estudante estão entre Estados Unidos, Inglaterra e Canadá