Casagrande anuncia novos secretários e critica postura do atual governo

David Diniz ocupará a Casa Civil, Flávia Mignoni a Comunicação, e Luiz Paulo o Instituto Jones

Ao anunciar os nomes de mais dois secretários de Estado e do presidente do Instituto Jones dos Santos Neves nesta quinta-feira (8), o governador Renato Casagrande (PSB) criticou o “comportamento desse governo”, em referência à chamada “farra de convênios” com repasses em parcela única às prefeituras, o que pode comprometer as finanças públicas da sua gestão.  

Os nomes anunciados são o advogado David Diniz de Carvalho, filiado ao PPS e atual secretário da Fazenda da de Vitória, que ocupará a Casa Civil, e a jornalista Flávia Mignoni para a Secretaria de Comunicação. Os dois já ocuparam cargos semelhantes na primeira gestão de Casagrande, em 2011, Flávia na Comunicação e David Diniz no Planejamento.

Os dois anúncios já eram esperados, mas a surpresa ficou por conta da indicação do engenheiro Luiz Paulo Vellozo Lucas, ex-prefeito de Vitória e derrotado na disputa à Câmara Federal nas eleições de 7 de outubro. Luiz Paulo migrou do PSDB para o PPS, formando um bloco de oposição do governador Paulo Hartung, atualmente sem filiação partidária.  

Renato Casagrande destacou, à medida em anunciava os novos nomes, a herança do atual governo, detendo-se na questão dos convênios e citando o processo que está em andamento no Tribunal de Contas, que já recebeu parecer favorável - suspensão dos convênios - à denúncia apresentada pela equipe de transição, com pedido de uma auditoria, visando maior transparência.   

Durante o anúncio, o governador eleito anunciou a integração do Sistema Rádio e TV do Estado com o Diário Oficial, a fim de fazer “uma só estrutura” para cuidar da Comunicação do governo, que deverá se conectar com os novos meios, a fim de promover maior aproximação com a sociedade.

Casagrande destacou ainda o trabalho do Instituo Jones dos Santos Neves, órgão de pesquisa econômica e social e de formulação de políticas públicas, que nos últimos governos vem sendo desvalorizado. Ele destacou a experiência de Luiz Paulo na política e como técnico, com formação em engenharia da produção, com passagens em cargos importantes, inclusive no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). 

No último dia 5, Casagrande já havia anunciado os secretários Álvaro Rogério Duboc Fajardo, para a pasta de Planejamento, e Rogélio Pegoretti Caetano Amorim, para Fazenda. 

Leia Também:

3 Comentários
  • Jailson , sexta, 09 de novembro de 2018

    PARABENS Governador Casagrande....Equipe ate aki muito competente!!! Torço para um otimo Governo!!!!

  • Lorena , sexta, 09 de novembro de 2018

    Decepção tirar a atual diretora do Instituto Jones, pessoa qualificada, pra alocar político de fim de carreira.

  • Acamp.Associação Capixaba de Músicos Profissionais , segunda, 19 de novembro de 2018

    EDITORIAL:Torcemos para que sejam levados em consideração, que a pasta da CULTURA não é formatada como ciências exatas mas sim, 90% por bens imateriais ! Tal Secretaria (Secult), não pode mais ser ocupada por pessoas políticas ou burocratas de carreira, sob pena de passarmos outra gestão de estagnação e sem prosperidade dos artistas em geral! Como nos manifestamos por escrito ao Governador Casagrande, o perfil deste postulante a gestor(a), deve contemplar uma pessoa ativa, de iniciativa própria, desburocratizada, promotora e realizadora de ações práticas e reais e não de um assinador de cheques e de relatórios ! Precisamos de alguém que pegue o boi pelo chifre, vá, por exemplo, procurar o ministro da Cultura em Brasília e faça ser liberado os recursos destinados por direito ao nosso querido ES, que se digne a ir nas empresas de mídia, dentro e fora do ES, na busca de espaços nas grades de programações, para divulgarem as coisas do nosso estado, nossas bandas, dançarinos, artistas de teatro e circo e outros. A várias gestões passadas, até hoje, não temos ao menos UMA BANDA DE RENOME NACIONAL CAPIXABA, sendo o único estado da região sudeste nesta situação, mesmo tendo em nosso meio artístico, vários excepcionais músicos ! O que diferencia um bom trabalho de um artista sem público, de outro também com bom trabalho mas com público é a mídia que um tem e o outro não ! Precisamos é de OPORTUNIDADES urgente ! Precisamos de alguém com trânsito livre nos segmentos culturais diversos e conhecido no meio político como um atuante, persistente e obstinado na busca de soluções efetivas, para nos tirar deste exílio cultural perpétuo. Já fornecemos ao Gov.Casagrande, um estudo DETALHADO dos gargalos que nos represam nesta penúria, constando de onze itens bem definidos, tando provenientes da iniciativa pública, quanto privada, para a sua apreciação e parecer ! Temos dito ! Jorge Egbert - Acamp - presidente (doze anos atuando no segmento cultural) A Acamp não para ! Músico unido, músico valorizado !

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.