Casagrande define Saúde e o sistema estadual de Meio Ambiente

Além de Nésio Medeiros (Sesa) e Fabrício Machado (Seama), foram anunciados Turismo e Desenvolvimento

O governador eleito, Renato Casagrande (PSB), anunciou na manhã desta sexta-feira (21) mais quatro secretários de sua gestão e definiu, também, a composição do sistema estadual de Meio Ambiente, que terá à frente, como já era de conhecimento dos movimentos sociais, o presidente estadual do PV, Fabrício Machado.  Outra pasta que também gerava expectativa, a Saúde, confirmou o nome de Nésio Medeiros, ex-secretário de Palmas (Tocantins).


Já o secretário de Desenvolvimento será Heber Resende e o de Turismo, Dorval Uliana, enquanto Raphael Trés assumirá a presidência da Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros (Ceturb-ES).

Além de Fábio Machado no comando da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Seama), Casagrande anunciou Alaimar Fiusa como diretor-presidente do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e Fábio Ahnert como diretor da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh). 

Dos três nomes, apenas Fábio Ahnert, funcionário de carreira do Iema e que já dirigiu a Agência, atende às reivindicações das entidades ambientalistas. O novo secretário foi, inclusive, alvo de um movimento contrário a sua indicação, que criticou a escolha política para o cargo. Já o currículo de Fiusa foi anunciado pelo governador como “funcionário de uma grande mineradora por mais de 30 anos, atuando em diversos setores”. 

Nos bastidores, já circula informações de que se trata de Vale, principal responsável, junto com a ArcelorMittal, pelos elevados índices de poluição do ar da Grande Vitória, que não cessam por sucessivas omissões dos órgãos públicos, especialmente o governo do Estado. 

Apesar dessa contradição, Casagrande destacou, em seu discurso, a necessidade de devolver a motivação aos servidores do Iema, que foi ameaçado de ser extinto pelo atual governo de Paulo Hartung (sem partido), e de fortalecer parcerias com a sociedade civil, além de ampliar investimentos em programas como o “Reflorestar e no combate à poluição do ar e na manutenção da segurança hídrica”. 

Em relação ao secretário de Saúde, que será responsável por umas das áreas mais caóticas do Estado, o governador eleito afirmou que a escolha se deu porque Nésio realiza, há dois meses, pela Fundação Mangabeira - da qual era presidente até semana passada - um diagnóstico da área, tendo, portanto, conhecimento dos problemas locais. 

Mas, também na contramão de entidades da área, Casagrande ressaltou a meta de fortalecer a gestão das Organizações Sociais (Oss) em hospitais estaduais, bem como a parceria com as cooperativas médicas, como fez no seu mandato passado. 

Equipe

Além dos anúncios desta sexta, Casagrande já anunciou os secretários Edmar Camata (Controle e Transparência), Davi Diniz (Casa Civil), Álvaro Duboc (Planejamento), Rogelio Amorim (Fazenda), Fabrício Noronha (Cultura), Roberto Sá (Segurança Pública), Vitor de Angelo (Educação), Tyago Hoffman (Governo), Paulo Foletto (Agricultura), Marcus Vicente (Desenvolvimento Urbano), Cristina Engel (Ciência e Tecnologia) e Flávia Mignoni (Comunicação).

Nos demais comandos estão Luiz Paulo Vellozzo Lucas e Eduarda La Rocque (Instituto Jones Santos Neves), Coronel Cerqueira (Corpo de Bombeiros), Cael Linhalis (Cesan), Denio Rebello (Fapes), Rodrigo de Paula (Procuradoria-geral do Estado), Angelo Baptista (Bandes) e Vasco Cunha Gonçalves (Banestes).

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Entidades cobram políticas diante de rejeitos de minério e derrame de petróleo

Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional convoca plenária ampliada para debater e construir propostas

Servidores da saúde adiam ocupação da Seger após proposta de corrigir distorções

Já os ex-servidores do Himaba, sem pagamento, marcaram um novo protesto em frente à Sesa

Ex-funcionários do Himaba realizam protesto por pagamentos e contratações

Denúncias apontam que atual gestão aproveita menos de 40% do quadro, reduzindo leitos de UTI e emergência

Antigos trabalhadores do Himaba reclamam de falta de pagamento

Trabalhadores alegam que, com a saída do IGH, há impasse sobre pagamento do salário e rescisão